Pode Cerveja Na Low-Carb? Descubra Como Conciliar

Leite é bebida de crianças. Quando você cresce, tem de tomar cerveja.”

(Arnold Schwarzenegger)

Se o grande Arnold Schwarzenegger (um dos maiores fisiculturistas de todos os tempos) disse… então não tem debate. Certo?

Na verdade, errado.

Isso porque, por mais que ele tenha aproveitado boas cervejas durante noites a fio de sua juventude em Munique…

Isso não significa que essa seja uma boa ideia para você — que deseja emagrecer seguindo uma dieta low-carb.

Por isso, leia atentamente este post.

Porque, assim você vai descobrir exatamente:

  • se cerveja é low-carb,
  • considerações a respeito da cerveja e da dieta low-carb para emagrecer, e
  • como encaixar cervejas ocasionalmente no seu estilo de vida baixo em carboidratos.

Você se interessa por ter uma alimentação saudável e ao mesmo tempo prazerosa?

Se sim, deixe seu email na caixa acima para receber as nossas melhores dicas exclusivas semanalmente.

E vamos começar respondendo diretamente a pergunta: cerveja é low-carb?

(E se você tem outras dúvidas sobre low-carb além da questão da cerveja, então você precisa ler esse outro texto aqui. ;))

Cerveja É Low-Carb?

Resumidamente, não.

Isso porque uma latinha de cerveja (de 350 ml) tem algo entre 11 e 15g de carboidratos digeríveis.

(Inclusive, mesmo as cervejas “puro malte” não são alimentos low-carb. Na verdade, elas apresentam a mesma quantidade de carboidratos.)

Se somarmos a essa informação o fato de que grande parte das pessoas não toma apenas uma latinha de cerveja — em um churrasco, festa, ou na praia, por exemplo…

Temos uma maneira fácil de inserir dezenas de gramas de carboidratos sem fornecer nenhuma saciedade.

O que é bem diferente de quando você come frutas low-carb, por exemplo.

Apenas para dar um exemplo: para consumir uma quantidade de carboidratos igual à de 6 latinhas de cerveja, você teria de comer mais de 1 kg de morangos!

Você provavelmente ficaria enjoado de tanto comer morangos antes de conseguir ingerir todos esses carboidratos.

Por isso, vai ser bem mais fácil seguir um cardápio low-carb se você evitar tomar cerveja durante a maior parte do tempo.

Agora, isso quer dizer que você nunca mais vai poder “tomar uma breja”?

Não.

E nós já vamos ver algumas considerações sobre a cerveja — que vão muito além dos carboidratos.

E também como inserir cervejas ocasionalmente sem prejudicar sua dieta.

Resumindo: A cerveja não é uma bebida que pode ser “considerada low-carb”.

É claro que você poderia tomar 100 ml de cerveja, e ainda estaria numa dieta baixa em carboidratos.

Mas o padrão de consumo de cerveja da maioria das pessoas no mundo real simplesmente não é assim.

Além disso, a questão da cerveja vai um pouco além dos carbos.

Cerveja E Emagrecimento: Álcool E Calorias

Sendo que o ponto negativo da cerveja não se deve “somente” aos carboidratos.

Ela também contém uma substância que atrai muitas pessoas (e que também é calórica): o álcool.

Sendo que este é um tema em que vamos nos abster… do moralismo.

Não vamos dizer que você nunca mais pode tomar álcool.

O álcool é usado pela humanidade há milhares de anos para fortalecer a conexão entre as pessoas, aumentar a criatividade, e celebrar todo o tipo de ocasião.

E, antes que digam que “o álcool não é paleo”: isto aqui não é uma religião.

Acreditamos que nossos leitores são adultos responsáveis, e é nesse espírito que compartilhamos estes fatos.

Principalmente o de que é preferível, quando você for beber (o que não deve ser o tempo todo), optar por bebidas e drinks low-carb.

Mesmo assim, é importante notar o seguinte.

O fato de que o álcool tem calorias, e ingerido em excesso pode atrapalhar o seu emagrecimento.

Pois as calorias ainda importam para emagrecer — mesmo em uma dieta low-carb.

E, por isso, mesmo bebidas low-carb como o vinho podem ter de ser moderados.

Mas você já sabia isso: que a base da sua dieta deve ser composta de bichos e plantas, e não de álcool.

Até porque o álcool impede a oxidação das gorduras que você está tentando eliminar.

Isso é verdade para o vinho, e também para a cerveja.

Resumindo: A cerveja, além dos carboidratos, também contém álcool. O álcool traz consigo calorias totalmente vazias, sem prover nutrientes nem saciedade.

Além disso, existem alguns outros pontos a respeito da cerveja que você tem de considerar.

Cerveja E Dieta Low-Carb: Outros Pontos A Considerar

Até agora, falamos da cerveja por conta dos carboidratos e das calorias.

No entanto, a cerveja também é rica em glúten.

Isso porque ela é feita de cevada (ou trigo), e isso pode ser prejudicial para boa parte das pessoas.

Tanto pessoas que são sensíveis ao glúten, quanto pessoas com doença celíaca.

E existem também pessoas que achavam que não tinham nenhum problema com o glúten…

Mas que, quando deixam de consumir esse nutriente, começam a se sentir melhor.

E aí, quando consomem a cerveja — por conta do glúten ou até mesmo por conta do gás da cerveja — podem ter algumas reações desagradáveis (como desconforto intestinal).

Por fim, temos um ponto extra a considerar quando falamos de bebidas alcoólicas.

E ele vale tanto para a cerveja quanto para o vinho (que é low-carb), ou mesmo para outras bebidas.

É o fato de que, após tomar uma certa quantidade de álcool, boa parte das pessoas começam a ter uma capacidade diminuída de julgamento.

Isto é, começam a fazer escolhas piores, por não estarem de posse completa das suas faculdades mentais.

O que isso quer dizer na prática?

Que, muitas vezes, a noite pode começar com uma cervejinha… e acaba progredindo para duas… três…

Acabando no drive thru no McDonalds, ou com uma estranha combinação de pizza e sorvete.

E essa “furada da dieta” não é ruim só pela parte fisiológica.

Mas sim porque tem chances de, no dia seguinte, você sentir culpa, e se sentir mal.

E é esse tipo de emoção que queremos evitar — especialmente quando você está começando a dieta, e buscando engatar esse novo estilo de vida.

Mas Senhor Tanquinho, nunca mais vou poder tomar cerveja?”

Não é isso. Na nossa opinião, a cerveja não tem que ser banida da sua vida, necessariamente.

Então vamos ver como conciliar.

Resumindo: Lembre- se de que a cerveja tem glúten (que pode ser problemático para quem está fazendo uma dieta autoimune, por exemplo), e o fato de que muitas vezes bebidas alcoólicas levam a escolhas ruins.

Cerveja E Dieta Low-Carb: Como Conciliar

Chegamos à parte que todo mundo queria saber!

Até agora, você já entendeu que a cerveja não faz parte da dieta low-carb…

Mas ela pode sim fazer parte de um estilo de vida low-carb.

Como assim?

Acreditamos que, em um estilo de vida, eventualmente podemos ter uma exceção ou outra.

Sendo que, nesses casos, podemos tomar uma “cervejinha” (com responsabilidade, é claro).

Sem com isso estragar totalmente nossa dieta ou perder todos os nossos resultados.

Afinal de contas, os resultados virão de acordo com aquilo que você faz durante a maior parte do tempo.

Inclusive falamos mais sobre dias e refeições livres neste post aqui.

E preferimos deixar a ingestão de cervejas para ocasiões realmente especiais.

(Nesse contexto, “todo dia” não é uma ocasião realmente especial. 😉)

Assim, optamos por degustar cervejas artesanais de vez em quando.

Ao nosso ver, é uma questão de ajustar a frequência do consumo.

Para que você consiga equilibrar os resultados e a saúde com um hábito que você aprecia.

Sendo que há pessoas que conseguem emagrecer tomando cerveja todas as semanas, por exemplo — e não há nada de errado com isso.

E a única forma de você saber qual é a frequência (e quantidade) que vai funcionar para você é testando.

No entanto, um experimento que pode ser válido é o seguinte.

O de tentar ficar o primeiro mês de dieta sem tomar cerveja.

Talvez você esteja chocado(a) agora…

Mas será que é realmente impossível —  ainda mais se puder trocar por uma taça de vinho, ou uma caipirinha (sem açúcar)?

Existem muitas opções de bebidas para substituir.

E, ao nosso ver, é mais inteligente você não ser escravo de uma bebida ou de um alimento específico.

O melhor é que você faça as suas escolhas — e não seja dependente de nenhuma bebida ou comida.

Talvez, após esse mês, você valorize mais quando for tomar cerveja… ou mesmo decida que não vale tanto a pena ingerir sempre, deixando-a como uma exceção.

Resumindo: A cerveja pode ser encarada como uma exceção da dieta.

Sendo que é muito importante criar um estilo de vida que você consiga manter.

Tomar uma cerveja no final de semana (e seguir o resto da alimentação corretamente) a longo prazo é melhor do que fazer uma dieta restrita por duas semanas e depois abandoná-la.

Cerveja E Dieta Low-Carb: Conclusão E Palavras Finais

Existe espaço para ingerir bebidas alcoólicas, incluindo-se aí a cerveja, de maneira ocasional e responsável em uma dieta low-carb.

Nós mesmos, de vez em quando, gostamos de tomar uma tacinha de vinho, ou mesmo fazer alguns drinks low-carb.

Mas a cerveja, a nosso ver, é uma bebida que dificilmente vai se encaixar nesse estilo de vida porque ela tem os carboidratos e você está buscando reduzir.

Então, é mais inteligente ingerir os carboidratos da sua dieta low-carb ou cetogênica de fontes como legumes, vegetais e frutas… e não da cerveja.

Pois você já entendeu que a cerveja:

  • é rica em carboidratos,
  • contém glúten,
  • tem álcool (esse você já sabia), e
  • contém calorias.

Mas que, mesmo assim, pode ser incluída como parte do seu estilo de vida.

Afinal de contas, um estilo de vida não é sobre sacrifícios e sofrimento.

Mas sim sobre escolhas inteligentes.

E tem pessoas que gostam de experimentar e testar com o próprio corpo para assim se conhecerem.

Elas experimentam com cetose, fazem jejum intermitente… e até protocolos de eliminação como o Whole30.

E essas pessoas podem gostar de fazer o experimento de ficar um mês sem cerveja.

Não porque é impossível emagrecer tomando cerveja

E sim porque elas gostam de um bom desafio.

Se você não gosta, basta ajustar a frequência — e continuar perdendo peso, sem sofrimento.

Afinal, nós gostamos de mudanças de hábito.

Mas gostamos mais ainda se elas vêm com alegria e prazer.

Isso sim merece um brinde — saúde!

E você, gosta de cerveja? Abandonou na low-carb,  ajustou a frequência… o que você decidiu fazer?

Vamos conversar nos comentários abaixo!

Referências

  1. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO. 4ª edição revisada e ampliada. Unicamp, 2011 http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf
  2. Shelmet, J. J., Reichard, G. A., Skutches, C. L., Hoeldtke, R. D., Owen, O. E., & Boden, G. (1988). Ethanol causes acute inhibition of carbohydrate, fat, and protein oxidation and insulin resistance. Journal of Clinical Investigation, 81(4), 1137–1145. https://dx.doi.org/10.1172%2FJCI113428