Senhor Tanquinho: Você no controle do seu corpo.

O objetivo desta página é contar um pouco mais sobre a história do Senhor Tanquinho – tanto do site em­ si quanto da vida das pessoas por trás dele. Então, continue lendo para saber tudo sobre:

  • A mudança mais drástica de toda a minha vida;
  • A dieta que me fez emagrecer 16kg e nunca mais voltar a engordar.
  • A maneira exata como este site pode ajudar você a atingir seus objetivos.

Como minha vida mudou

Com vocês, Guilherme:

“Antes de mais nada, deixe-me só esclarecer algo: eu NÃO sou nutricionista, nem tenho a menor intenção de substituir um.

Na verdade, o que eu sempre fui, desde que me entendo por gente, era uma “pessoa gordinha”.

E, exceto por uma curta fase na adolescência (o famoso ‘estirão’), sempre estive acima do peso, sendo que emagrecer consistia em um mistério para mim.

E, não importava o quanto de atividade física eu fizesse (novamente, excetuando esse período curto na adolescência), emagrecer para mim sempre foi no mínimo muito difícil e, por várias vezes, impossível.

Como fui descobrir mais tarde – e não precisaria ter demorado tanto, bastava ter olhado os outros membros da minha família – o que acontece é que fui abençoado com uma genética que me predispõe a acumular vastas quantidades de gordura e isso, aliado a hábitos ruins e muita desinformação, formava um quadro perfeito para gerar (e agravar) essa condição de sobrepeso pela vida toda.

Porém, assustado com a dimensão que as coisas estavam tomando (incluindo a dimensão da minha cada vez mais proeminente barriga), nos últimos 12 meses me dediquei extensivamente a pesquisar, descobrir e implementar métodos que me permitissem reassumir controle da minha vida – começando pelo meu próprio corpo.

E acontece que descobri muitas coisas que contradizem completamente o senso comum, algumas delas extremamente efetivas. E, a cada etapa desse processo, eu não conseguia parar de me perguntar: “Por que será que nunca tentei isso antes?!.

E a resposta é a seguinte: essas dicas, métodos e procedimentos você dificilmente vai encontrar em algum guia de dietas ou site por aí – ainda mais em português.

Meu processo investigativo incluiu bastante leitura de livros, papers científicos, documentários, sites… realmente, um trabalho intenso de muita absorção, filtragem e sintetização de informação.

Afinal, é preciso separar o joio do trigo! Mas calma, antes que você comece a se preocupar com todo o estudo que isso envolve, não se esqueça: meu papel aqui é te ajudar nesse processo.

Vou fornecer a você a melhor informação disponível sobre diferentes modos de alimentação – e aí você será capaz de fazer as melhores escolhas para a sua vida.”

Com vocês, Roney:

“Olá, pessoal!

Eu sou o Roney, e minha história é um pouco diferente, apesar de também não ser nutricionista e nem professor de educação física… porque eu sempre fui magrelo.

Sim, magrelo… vareta, linguiça, cotonete, esqueleto, embalado a vácuo, caveira, capa da gaita, Chitãozinho (embora esse não seja relacionado à academia… rs).

capa da gaita, hipertrofia, magreza, magro, vareta, caguete.
Tava só na capa da gaita…

Então, assim que entrei na faculdade, resolvi fazer o que sempre tinha acreditado que certamente iria me trazer resultados e o corpo que desejava: entrei numa academia e comecei a treinar.

Porém, para minha imensa surpresa, nada mudou…

Resolvi começar a treinar mais: afinal, se não estava vendo resultados, devia ser porque eu não estava treinando com a frequência necessária.

Sendo assim, passei a ir na academia não mais 3x por semana, mas sim seis! Eu ia religiosamente todos os dias, exceto domingo… e apenas pelo simples motivo de porque ela não estava aberta!

Então, ouvi a opinião dos “bombados” da academia, e comprei e comecei a tomar um dos chamados hipercalóricos… Acreditava cegamente naquelas pessoas, que defendiam alguns pontos sem justificativa nenhuma apoiada pela Ciência, apenas porque eram as únicas referências ao meu redor que tinham um corpo mais próximo do que eu sonhava para mim.

No entanto, essa suplementação não adiantou nada também – até ganhei um pouco de peso, mas nada efetivamente visível mudou em minha aparência. Descobri que, na verdade, o modelo de vida que eles defendiam era basicamente:

  • Treinar todos os dias (“um dia sem treino é um dia perdido”)…
  • Gastar uma verdadeira fortuna com alimentação e suplementos…
  • Não sair, não perder noites, não beber, não comer comidinhas de boteco ou guloseimas em geral…

… enfim, não viver.

Sendo que meu objetivo principal ao entrar nesse mundo era ganhar mais músculos, me sentindo melhor comigo, o que traria mais autoestima e mais qualidade de vida…

Então, eu claramente não estava disposto a perder qualidade de vida para ganhar qualidade de vida!

Todavia, isso me deixou numa encruzilhada: o que, então, eu deveria fazer?

Afinal, com toda essa história, já haviam se passado 3 anos que eu entrara na academia, e ainda estava esperando ansiosamente pelo dia em que chegariam meus resultados!

Até que comecei a buscar a informação de qualidade, no único lugar onde era garantido que ela seria inovadora, comprovada e tratada por profissionais: por incrível que pareça, comecei a usar uma nova fonte de dados: a Ciência.

durante... hipetrofria, resultado, tanquinho
Durante…

Desde aquele momento, os resultados têm sido brutais: mesmo sabendo que a jornada ainda não acabou, o primeiro passo (o mais importante!) certamente já foi dado – e, junto com ele, vieram mais 14.3 kg diretamente para o meu corpo, ao longo de 12 meses de trabalho árduo – sendo a parte mais crítica o trabalho mental, e não o físico.”

Como o site Senhor Tanquinho surgiu

Eu e o Roney éramos amigos de longa data, compartilhando diversos interesses em comum. Dentre eles, a faculdade de Engenharia da USP, o compromisso com a verdade e a eficiência em tudo o que fazemos e, naquele momento, algo devastador: a incapacidade de ter o total controle sobre nossa forma física.

Curiosamente, descobrimos os métodos que mudariam nossas vidas de cabeça para baixo mais ou menos ao mesmo tempo, isto é, por volta de maio/junho de 2013.

Nessa época, eu estava morando fora do Brasil, e foi quando tive contato com o primeiro livro que me ensinou a “pensar fora da caixa” em relação a nutrição e saúde (The 4-Hour Body, de Tim Ferriss).

Nesse livro, ele defendia uma dieta que permitia me alimentar sem passar fome, sem comer de 3 em 3 horas… e ainda fazendo um dia do lixo por semana!

É até vergonhoso dizer… mas foi pelo dia do lixo que eu comecei a seguir a dieta!

Foi justamente por ela ser tão diferente de tudo o que eu já havia tentado ao longo de anos consultando nutricionistas, endocrinologistas e me matando na academia que eu resolvi dar um voto de confiança a esse modo de se alimentar que parecia para mim uma verdadeira loucura… mas que, conforme acabei descobrindo, era embasado na melhor ciência existente, e me entregou resultados duradouros.

Porém, assim que iniciei meus experimentos com os novos métodos que tinha descoberto, tive de ouvir muitas críticas, piadinhas e “isso nunca vai funcionar!” de muita gente, inclusive de amigos mais próximos e familiares.

E eu pessoalmente prefiro acreditar que eles não estejam agindo com má intenção e nem desejando meu fracasso, mas sim que estejam desconfiados dos métodos, que por vezes vão contra o senso comum e tudo o que a maioria das pessoas tem ouvido por anos.

E, para ver como é estranho mesmo, basta visualizar a seguinte situação: num dia, você esta comendo como almoço um sanduíche de presunto e queijo, que pesa menos de 100g, e diz que vai começar uma dieta para emagrecer. No dia seguinte você, começando sua dieta, aparece para almoçar com um pratão de mais de 800g!

Então para eles pode parecer “errado” ou “sem sentido” o que você está fazendo, simplesmente por não possuírem o conhecimento e a visão do processo como um todo.

No entanto, algum tempo depois, essas mesmas pessoas que anteriormente duvidaram e criticaram, começam a ver os resultados e, consequentemente, a pedir informações.

Quando isso começou a acontecer comigo, me prontifiquei a dar as direções gerais do que estava fazendo, incluindo dieta, exercício (e aqui já adianto uma dica: não precisa ser muito!) e outras práticas utilizadas para obter os tais resultados.

Ainda, para os mais curiosos, indicava os livros que tinha/estava lendo, e os conceitos que eles apresentavam (geralmente com respaldo de muitos estudos científicos).

Mas o que percebi é que a maioria das pessoas não tinha o mesmo interesse que eu pelo tema*. Percebi que a maioria dos meus amigos e conhecidos tinha SIM desejo de mudar seu corpo, mas queria pular (pelo menos a maior parte) do jargão científico e ir direto para a ação.

E foi ai que a ideia do site surgiu: Agrupar num só lugar o conhecimento que adquiri, e passá-lo em linguagem acessível, para que mais e mais pessoas possam aproveitar os benefícios que um corpo melhor pode trazer, desde os mais diretos – mais disposição, menos cansaço, sono mais regulado, mais condicionamento, mais força – até os mais difíceis de medir (mas facilmente perceptíveis): autoestima, sensação de controle sobre a própria vida, satisfação consigo mesmo(a)…

Enfim, digo que esse processo impactou muito, e muito positivamente, a minha vida, assim como a das pessoas que tive a felicidade de poder ajudar.

Porém, quero deixar claro desde o início: neste site fornecerei as ferramentas e o conhecimento, mas depende apenas de você colocar em prática esses recursos. Sendo assim, pergunto: agora que sabe que é possível, você está pronto para melhorar sua vida?”

* Confesso que ler quase 600 páginas, em outro idioma, sobre os diversos tipos de fontes de calorias não é algo que todas as pessoas queiram fazer com seu tempo livre – ainda mais sendo um livro que cita estudos científicos, grupos controle de pessoas, diferentes dietas ao redor do mundo, pesquisas com roedores; e fala e fala e fala sobre dietas… e chega no final sem fornecer nenhuma!

PS: Caso você queira saber, a dieta que iniciou esse processo de emagrecimento e despertou minha curiosidade para o mundo da Ciência da Nutrição, além de ter me ajudado a perder muito peso (e ter sido a primeira dieta que consegui seguir em toda a minha vida!) foi a Dieta Slow Carb.

PPS: De modo a deixar claro que nosso conhecimento vem diretamente do estudo do trabalho de cientistas e divulgadores da ciência, além da nossa própria experiência pessoal, preparamos um Disclaimer do Senhor Tanquinho.


*Esses são resultados particulares obtidos pelo Guilherme e pelo Roney e podem variar de pessoa para pessoa.