Gizelly Elimina 38kg Com Dieta Low-Carb E Recupera Sua Saúde

Todo mundo que você encontra está enfrentando uma luta sobre a qual você não sabe nada.”

Hoje trazemos para você a história emocionante da Gizelly.

A Gizelly lutou contra o peso por muitos e muitos anos — desde a infância, na verdade.

E passou por traumas pessoais (como a perda de sua mãe) que só a fizeram correr ainda mais para a comida em busca de consolo.

Ela tentou de tudo para perder peso: remédios, dietas malucas ingerindo hormônios…

Tudo mesmo.

E lendo a história dela você vai ver tudo isso.

Vai ver como a low-carb trouxe benefícios a sua saúde.

Mas vai ver ainda mais: porque vai ver uma mulher guerreira, que não se deixa parar por nada.

Vai ver o dia que mudou tudo para ela. E todas as lutas pelas quais ela passou.

E até mesmo vai ver como usar o Instagram de uma maneira boa (para inspiração e foco).

Com vocês, a Gizelly.

A História Da Gizelly

Sempre fui considerada acima do peso — desde meus 11 anos já era a “gordinha da família”.

Entre tantas dietas já feitas na minha vida, medicamentos (venenos) que já tomei para ser aceita nos “padrões da sociedade”, meu maior peso foi quando perdi minha mãe.

Após seu falecimento, no ano de 2006, busquei na comida o conforto de sua perda e demais problemas relacionados à sua morte.

Comia o tempo todo, pois a sensação era tão boa ao comer tudo aquilo…

Eu não parava, queria sempre mais, não me importando com o que me falassem — até porque o que ouvia era somente o quanto havia engordado.

Ninguém se preocupou em saber se eu estava bem.

E, assim, continuei a me confortar.

Anos se passaram. Em 2014, com mais de 115kg, decidi realizar a cirurgia bariátrica, mesmo não tendo apoio da minha família.

Realizei todos os exames e consultas necessárias, só faltava agendar a data.

Foi quando uma amiga médica, irmã que a vida me deu (Fabiana Saenger), falou tudo o que precisava ouvir naquele momento, o que me fez desistir de operar.

Mas decidi então, fazer algo que conseguisse emagrecer.

Foi quando resolvi fazer o tratamento HCG (dieta do hormônio), onde gastava quase R$600,00 todo mês em medicações manipuladas.

Até consegui eliminar um pouco de peso — 14kg no total — mas foi só parar a medicação que voltei ao meu peso inicial.

E até engordei mais ainda — chegando aos quase 130kg.

Foi entre final de 2016 e início de 2017 que as coisas pioraram: comecei a ter hemorragias uterinas, cólicas absurdas, de menstruar 30 dias sem interrupção, de usar um pacote de absorventes (noturno) ao dia!

Até chegar ao ponto de meu marido me tirar debaixo do chuveiro, sangrando sem parar, para me levar para o Pronto Socorro — e nada resolver.

Foi quando encontrei uma médica, cliente e amiga, que se prontificou a ajudar no meu caso, se dedicando, pesquisando e me medicando no que era preciso.

Fui diagnosticada com miomas intramurais.

Fiz todos os tratamentos, mas meu organismo não respondia de forma satisfatória: continuavam as hemorragias, depois cessavam por poucos dias… e depois voltavam com dores mais fortes.

Estava exausta, não aguentava mais!

Foi então que, em retorno de exames com minha ginecologista, falei para ela que não queria mais tratamento algum que não fosse a histerectomia (retirada do útero).

Mesmo não tendo filhos, supliquei para a Dra. que me encaminhasse para a cirurgia, pois seria a forma de encontrar uma cura para o que estava passando.

Então, a Dra. ali neste dia (02/08/2017) falou tudo o que eu não queria ouvir.

Meus exames laboratoriais estavam TODOS alteradíssimos. Minha pressão arterial, aferida antes da consulta, estava em 230×140 — ela teria de me encaminhar ao PA para ser medicada.

Eu, ali, era uma paciente de alto risco para ser encaminhada ao centro cirúrgico, que precisaria de maca especial, teria de ser operada em UTI cardíaca.

Eu me neguei a qualquer medicamento para “normalizar” minha situação, e ela, a Dra., sem pestanejar, disse:

Ou você emagrece pelo menos 20kg, ou não vou te encaminhar para a cirurgia.

Volte daqui a 2 meses, com novos exames laboratoriais.”

(Tenho gratidão eterna por isso, Dra. Beatriz Botelho.)

Saí do consultório em prantos, e não foi por mágoa nem por estar sentida pelo que a Dra. havia me dito.

Foi por me sentir derrotada naquele momento.

Eu mal conseguia falar, meu marido perguntava o que tinha acontecido e eu só sabia abaixar a cabeça e chorar mais.

Cheguei em casa e, ao tirar a roupa para me trocar, resolvi então me olhar no espelho, somente de calcinha e sutiã.

Ali me vi como nunca tinha me visto, porque é difícil aceitar: estava muito gorda.

Resolvi então me pesar — pois sim, sempre tive uma balança em casa… mas sempre fugia dela.

Estava com 122 kg.

Chorando sem parar, me encarei de frente, e ali prometi que nunca mais iria me prejudicar.

E que, daquele dia em diante, lutaria todos os dias por mim, pela minha saúde!

Já seguia alguns perfis do Instagram onde defendiam a alimentação low-carb.

Então, da noite para o dia, iniciei a low-carb, e decidi criar um IG (@lowcagy) onde tiraria fotos para me motivar a não parar.

Assim como todo início, este não foi fácil.

Por uma semana tive enxaquecas, até entender que era por conta da abstinência do açúcar.

Até entender como a low-carb funcionava, tive alguns erros em escolhas de alimentos, mas na maioria acertava.

O @senhortanquinho me ajudou e muito com as receitinhas, para “driblar” as vontades que sentia.

Cada vez que queria comer algo diferente, acessava a página deles para fazer alguma receita

Com apenas 20 dias de reeducação alimentar lowcarb, resolvi coletar os exames laboratoriais.

Fiz isso porque já me sentia confiante: já havia eliminado 7kg!

Em 30 dias foram 11kg — e as hemorragias haviam cessado, sem medicação.

Chegou o dia em que retornaria em consulta com minha ginecologista (ali já tinha eliminado 18kg).

Ela levou um susto ao me ver! (rsrsrsrs)

Meus exames laboratoriais já estavam normalizando.

Mesmo após tão poucos dias, já não era mais pré-diabética, minha pressão arterial na pré consulta estava 120×80 (amém!), meu colesterol estava dentro da normalidade.

Então eu disse a ela — que havia me pedido para emagrecer 20kg.

“Eliminei 18kg, me manda para a histerectomia.”

Ela, toda orgulhosa, pediu alguns exames complementares…

Em novo retorno, já tinha eliminado até mais do que ela havia pedido.

E, com novos exames, ela me disse que não iria me encaminhar para cirurgia, pois não precisaria mais: meus miomas haviam regredido em metade do tamanho!

Mas que precisaria ter um acompanhamento, por conta do aumento do meu útero.

Desta vez, saí do consultório chorando, em prantos, novamente meu marido perguntou o que tinha acontecido, todo preocupado.

Neste dia eu consegui responder para ele:

Estou curada, Mor, a low-carb me curou!!!! Sou uma pessoa saudável!!!”

Desde então não parei, adotei a low-carb para a vida!

Cheguei à marca dos 38kg eliminados em 14 meses.

Iniciei com a Paleo, hoje faço a Cetogênica e incluo protocolos de Jejum Intermitente.

Meus miomas regrediram mais ainda.

Porém, no final de 2018, fui diagnosticada com adenomiose.

É uma patologia uterina caracterizada pela presença de glândulas e estroma endometrial (o revestimento interno do útero) dentro do miométrio (a camada muscular grossa do útero).

Estou em tratamento, utilizando do DIU Mirena.

Não está sendo fácil, a luta é diária.

Mas eu não vou parar.

Gizelly Cristionoti Ruiz – @Lowcagy

Depoimento da Gizelly — Uma História Emocionante

Fui só eu que quase chorei lendo?

A história da Gizelly mostra uma mulher de fibra, que repetidas vezes teve de encarar as dificuldades de frente até descobrir o que funcionava para ela.

Nós somos muito gratos de poder fazer parte dessa história — de ter ajudado, com artigos completos sobre low-carb, e com nossas receitas.

Mas sabemos que os méritos são todos dela.

Porque o nosso papel aqui é dar informação.

Mas a informação não vale nada sem a ação — e essa parte é com você.

Agora É A Sua Vez

Ler uma história de superação como esta pode dar uma sensação boa na gente.

Uma felicidade por ver a Gizelly se superando.

Uma alegria porque a gente foi torcendo conforme ia lendo o relato (assim como vamos torcendo pelo “mocinho” quando assistimos a um filme).

E mesmo uma uma motivação para tomar ações positivas na nossa própria vida.

E eu não queria que você saísse deste texto sem ter decidido qual ação positiva vai tomar.

Caso você já tenha atingido seu resultado de perda de peso e ganho de saúde, uma ação incrivelmente positiva é compartilhar sua história.

Assim como a Gizelly acabou de fazer.

E como a Vânia, a Cíntia, e muitas outras pessoas já fizeram.

Você pode mandar seu relato para [email protected] ou para [email protected].

E ficaremos super felizes de publicar aqui no site — porque isso ajuda mais pessoas a se motivarem a se transformarem também.

Caso você ainda não tenha atingido seu resultado, existem outras opções.

A primeira é fazer como a Gizelly fez: seguir a gente no Instagram, no YouTube, no WhatsApp… e receber nossas dicas para ir melhorando sua saúde aos poucos.

Esse é um caminho que pode ser demorado — mas que pode te ajudar a chegar lá.

Já a segunda opção pode exigir mais de você.

Mas entrega resultados incríveis (e em menos tempo).

Porque ela consiste em contar com nossa ajuda durante cada passo do caminho.

Ao participar do nosso Desafio De 7 Semanas.

No Desafio, montamos um grupo pequeno (de até 10 pessoas) para “te pegar pela mão” e transformar sua alimentação e sua saúde ao longo de 7 semanas.

Você vai interagir diretamente com a gente — via grupo VIP no WhatsApp, transmissões ao vivo exclusivas, e tirada de dúvidas sem parar.

Participar do desafio não é uma opção que fica disponível o tempo todo.

Por isso, se a ideia de contar com nosso apoio durante toda a sua jornada faz sentido para você, leia esta página aqui.

Porque nela explicamos todos os detalhes que você precisa saber sobre como vai funcionar o programa.

E como ele pode te ajudar a ter mais resultados, em menos tempo.

Clique aqui para saber mais.

Independentemente de qual opção você escolher, saiba que ficamos muito felizes de ter você ao nosso lado durante esta jornada.

E que será uma honra e um prazer trabalhar com você, caso você veja sentido na proposta do Desafio.

Muito obrigado por ter lido até aqui!

Um forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.

Deixe um comentário

avatar
  Receba atualizações dos comentários  
Notifique-me de