Dieta Low-Carb: Por Quanto Tempo Posso Seguir Uma Alimentação Baixa Em Carboidratos?

Você começou uma dieta low-carb e está tendo ótimos resultados.

Sente-se bem, está emagrecendo…

Mas alguém falou (ou você sente intuitivamente) que ela é uma intervenção de curto prazo.

E que você não deveria seguir a low-carb para sempre… certo?

É isso que vamos descobrir hoje.

Então, leia atentamente este artigo para saber:

  • por quanto tempo é seguro seguir uma dieta low-carb,
  • qual a real intenção por trás dessa pergunta, e
  • cuidados e considerações que você deve ter ao adotar o estilo de vida low-carb.

Se você se interessa por saúde, aproveite para deixar seu email abaixo e receber nossas melhores dicas na sua caixa de emails alguns dias por semana.

E vamos começar fazendo algo muito importante para responder a pergunta de “por quanto tempo seguir a low-carb”: vamos entender o contexto dessa dúvida.

Por Quanto Tempo Seguir A Dieta Low-Carb: Duas Intenções

A verdade é que a pergunta de “por quanto tempo seguir a low-carb” pode envolver dois contextos diferentes.

Isto é, duas “intenções” distintas.

Por um lado, tem pessoas que estão gostando e pensam “espero poder seguir isso para sempre”.

Mas, por outro lado, tem pessoas que gostam dos resultados da low-carb

Mas que já estão pensando “por quanto tempo eu tenho que seguir essa dieta?”

E essa mudança de mentalidade — a ideia de fazer por obrigação — faz toda a diferença.

Porque, ao perguntar “por quanto tempo eu tenho que seguir?” parece que a pessoa não se adaptou muito bem a essa nova realidade alimentar.

Que ela está fazendo por obrigação, e está louca para acabar a dieta.

Parece, na verdade, que a pessoa busca perder peso, obter algum dos benefícios da low-carb, e atingir os objetivos que ela queria…

Para depois voltar a comer pão e açúcar o tempo todo.

Nesse caso, pode ser que ela não esteja gostando da low-carb.

Pode ser que ela esteja com dificuldades de montar seu cardápio para emagrecer com low-carb.

Ou que talvez ela tenha caído em algum erro comum dos iniciantes — como ficar “carbofóbica”, ou cortar radicalmente todas as gorduras boas da alimentação.

Sendo que encarar a low-carb como uma dieta maluca, restritiva… realmente é o caminho para o fracasso.

Por isso, é importante transformar a dieta em estilo de vida.

E vamos ver como fazer isso no próximo passo.

Resumindo: Muitas vezes, a pessoa busca uma dieta com “prazo de validade” — uma intervenção maluca (como o jejum de ovo) para emagrecer e depois voltar ao que fazia antes.

A Definição De Insanidade

A ideia que propomos aqui pode parecer radical.

Especialmente para algumas pessoas que buscam a “pílula mágica”.

No entanto, a nossa ideia é:

Esses são os pilares do estilo de vida de sucesso que vemos os nossos leitores e clientes levarem — sem sofrimento algum.

E você pode perceber que existe espaço para exceções — mesmo uma cerveja ou uma sobremesa não low-carb.

(Embora existam diversas receitas de sobremesas low-carb e mesmo de pães low-carb.)

Agora, se você voltar a comer:

  • os alimentos que você comia antes,
  • na frequência que comia antes, e
  • na quantidade que comia antes…

Você vai voltar ao peso, corpo, resultados e má saúde que você tinha antes.

Não tem segredo.

Afinal de contas, se você seguia um estilo alimentar que te deixou acima do peso, com um corpo que te deixava infeliz, com baixa disposição, e dormindo mal

Ao você voltar a ele, você vai reproduzir os resultados que tinha.

Até porque talvez você já tenha ouvido a seguinte frase.

Insanidade é fazer a mesma coisa repetidas vezes e esperar resultados diferentes.”

Então, que tal parar com essa loucura e apostar em uma mudança duradoura de estilo de vida?

Resumindo: Se você voltar a seguir o estilo de vida que te engordou, vai engordar de novo.

A Dieta Low-Carb É Um Estilo De Vida

Nesse sentido, propomos uma mudança de mentalidade — para assim obter uma mudança de qualidade de vida.

“É assim que eu me alimento a partir de agora.

Ao me alimentar assim, eu:

  • me sinto bem,
  • atingi um corpo de que eu gosto (e que eu consigo manter),
  • consigo sentir prazer ao comer receitas gostosas,
  • consigo viver a minha vida, viajar e ter eventos sociais sem prejuízos,
  • compartilho refeições gostosas com a minha família e amigos,
  • me sentir com alta energia o tempo todo,
  • não passo fome, e
  • não fico de mau humor por estar de dieta.”

Pense quantas mudanças isso envolve daquela antiga ideia de dieta restritiva!

Sem contar os outros benefícios da low-carb — um estilo alimentar que ainda pode ajudar a reverter sintomas de gordura no fígado, diabetes, e até refluxo gastroesofágico.

Tanto que ouvimos em diversos depoimentos e relatos (confira alguns aqui) frases como:

“Esse é meu novo estilo de vida. Eu descobri isso, foi uma virada na minha vida, antes a minha alimentação era de um jeito, agora ela é de outro, muito melhor. E eu não vou abandonar.”

É essa a ideia de estilo de vida que nós encorajamos: fazer essa transformação para algo permanente.

E vemos um padrão similar quando falamos de exercício físico.

Pois algumas pessoas buscam fazer algo que odeiam por um tempo predeterminado — com “prazo de validade”.

Por exemplo, pensam “vou correr 10 quilômetros por dia até o verão”. E de fato fazem isso.

Mas, quando acaba o verão, param de fazer esporte. Voltam a ser sedentários.

Aí, quando resolvem voltar a correr no ano seguinte, passam novamente pelo sofrimento e martírio.

Por quê? Porque não criaram um bom hábito — e não fizeram isso se tornar parte do seu estilo de vida.

Por outro lado, se você achar uma atividade que você gosta — seja corrida, seja qualquer outra (academia, CrossFit, caminhada, bicicleta, andar com o seu cachorro, qualquer coisa), as chances de seguir são muito maiores.

Não vai ser um peso ou uma dor.

(Inclusive, falamos disso com o Rafa Lund em uma entrevista.)

E é isso que nós queremos que a alimentação low-carb se torne para você.

Queremos que ela deixe de ser uma “intervenção restritiva”, e se torne um estilo de vida.

Resumindo: Mudar a mentalidade da dieta é provavelmente um dos passos mais importantes para o seu sucesso com a low-carb.

Tendo explicado essa importante mudança, vamos agora responder se a low-carb é uma estratégia segura para ser seguida no longo prazo.

Relacionado: Tem outras dúvidas sobre a low-carb? Respondemos a 9 questões comuns nesse outro texto.

A Dieta Low-Carb É Segura No Longo Prazo?

Em primeiro lugar, temos de entender o contexto no qual essa dúvida aparece.

Isso porque, a nosso ver, se uma pessoa pergunta “por quanto tempo eu posso seguir essa dieta?”, geralmente ela está se sentindo bem, emagrecendo e feliz com seus resultados.

Mas, ao mesmo tempo, está com algum tipo de medo — especialmente pelo conceito ser diferente da ideia de comer grãos integrais, e a cada 3 horas.

“Quanto tempo eu posso continuar com essa alimentação? Afinal, ela é muito diferente daquilo que sempre ouvimos que era o certo.”

E isso é totalmente normal e compreensível.

Porque toda mudança drástica provoca dúvidas no início.

E a isso se somam parentes e amigos “dando seus pitacos” na dieta, e a cabeça fica ainda mais tomada de incertezas.

Relacionado: no vídeo abaixo, contamos como explicar a dieta para amigos e familiares.

De toda forma, é esse “medo” o maior incentivador desse tipo de dúvida relacionada ao “prazo” da dieta low-carb.

Mas, como já deve ter dado para perceber (por tudo o que falamos até aqui) a dieta low-carb não tem um prazo de validade.

Porque não existe impedimento para reduzir o consumo de açúcares e carboidratos processados durante a maior parte do tempo.

Até porque a dieta low-carb talvez não devesse ser chamada de “low-carb”.

E sim de “dieta com um consumo normal de carboidratos” (normo-carb, talvez).

Afinal, foi com um consumo moderado de carboidratos que nós evoluímos.

Dificilmente alguém no período paleolítico comia 300 gramas de carboidratos por dia.

(Talvez em uma rara exceção, quando nossos antepassados achavam uma árvore cheia de frutos… E, ainda assim, naquela época os frutos tinham muito menos açúcar do que atualmente.)

Então era difícil conseguir consumir tantos carboidratos quanto a maioria das pessoas consome hoje em dia.

Portanto, desse ponto de vista, o certo seria chamar a dieta padrão ocidental (aquela da pirâmide alimentar) de dieta high-carb, ou dieta alta em carboidratos.

E a dieta low-carb sendo a “dieta com ingestão normal de carboidratos”.

Por fim, vale também destacar que não há mal nenhum você trocar pães e doces por alimentos saudáveis como verduras, hortaliças, ovos, carnes, ou peixes.

Intuitivamente, todo mundo consegue perceber que comer comida de verdade no lugar de carboidratos refinados é muito mais saudável, inclusive a longo prazo.

Tudo o que precisamos para ter sucesso é ajustar nossa mentalidade.

Dieta Low-Carb: Ajuste Sua Mentalidade

Muitas vezes, os iniciantes na low-carb apresentam uma das duas mentalidades abaixo.

Mentalidade #1 — sofrimento antecipado

A nosso ver, se antes de iniciar, ou logo após começar, a dieta low-carb, você está pensando em coisas como:

“Por quanto tempo eu tenho que seguir esse sofrimento todo?”

Então você está começando esse novo estilo alimentar de forma totalmente errada — e essa mentalidade deve ser mudada antes de mais nada.

Mentalidade #2 — medo do longo prazo

Por outro lado, tem pessoas que estão gostando muito, tendo resultados, mas que acabam pensando:

“Por quanto tempo é seguro basear a alimentação em comida pouco processada — como carnes, ovos, vegetais, peixes, e frutas de baixo açúcar?”

Bom, você pode fazer isso para sempre, que não vai fazer mal algum para você.

Comece tentando por 4 semanas

Independentemente da mentalidade, nossa sugestão é que você comece mantendo uma alimentação low-carb por apenas 4 semanas.

Você pode encarar isso como um desafio pessoal, e assumir esse compromisso consigo mesmo (de comer comida de verdade baixa em carboidratos por 4 semanas).

Você pode baixar grátis lista de alimentos permitidos que tem aqui e começar essa empreitada hoje mesmo.

Pense que serão apenas quatro semanas.

(E pode até fazer um dia de exceção no meio, mas achamos mais interessante não fazer durante esse desafio.)

E assim você poderá ver os resultados, e sentir como como seu corpo se adapta.

No final das quatro semanas, se você:

  • não gostar de como se sentiu,
  • não tiver nenhum resultado,
  • não estiver se sentindo melhor, ou
  • achar que foram 4 semanas de martírio e sofrimento desnecessário…

Então pode abandonar a dieta, e voltar para aquilo que você fazia antes, sem peso na consciência.

Mas, se você aceita esse pequeno desafio, mas que pode fazer uma grande diferença na sua vida.

E sente que precisa de um incentivo extra para começar…

Então sugerimos que continue lendo este texto atentamente até o final.

Porque nossa próxima dica pode ser um divisor de águas entre seu sucesso e seu fracasso nessa jornada.

Comece seguindo um cardápio simples para a dieta low-carb

guia dieta cetogênuca: o mapa para sua saúde e emagrecimento

Nossa última dica e incentivo para você é oferecer um verdadeiro mapa do tesouro da dieta low-carb.

E esse mapa é especialmente pensado para aquelas pessoas que estão iniciando nesse estilo de vida.

Ou então para aquelas pessoas que pensam em desistir porque simplesmente não aguentam mais comer somente as mesmas coisas na low-carb.

E estão a ponto de ficar com raiva da sua nova alimentação por “só comer ovo com linguiça”.

Se você se enquadra em um dos dois cenários anteriores então você precisa conhecer nosso cardápio-exemplo para 147 dias de alimentação low-carb.

Neste link você encontra todas as informações que você precisa saber para garantir seu sucesso na dieta low-carb a longo prazo.

São 21 semanas nas quais te pegamos pela mão e te guiamos pelas diversas possibilidades alimentares da dieta low-carb.

Acreditamos que esse tempo é mais do que suficiente para você aprender como montar seus pratos de maneira gostosa e saudável, 100% adequada ao seu estilo de vida.

Se você é uma pessoa que preza pela praticidade, ótimo: porque você vai aprender como seguir low-carb apesar da correria do dia a dia.

Já se você preza mais pela diversidade alimentar e por refeições mais elaboradas, perfeito: porque você vai aprender como seguir a dieta low-carb aproveitando todas as suas nuances e sabores.

E assim, naturalmente, você vai internalizando a ideia da dieta low-carb — tornando-a algo muito mais fácil e prazeroso.

Algo que pode ser levado para muito além das quatro semanas de desafio que havíamos mencionado.

Pois acreditamos muito nessa fase inicial de desafio — e certamente o cardápio é a melhor forma de você ter sucesso nesse desafio.

Porque o desafio é um período de testes ao mesmo tempo:

  • suficientemente curto para não te intimidar, e
  • suficientemente longo para trazer os primeiros resultados.

Sem deixar de ter um caráter de experimento: no pior cenário, você não vai ter perdido muito tempo da sua vida, e vai perder um pouco de peso.

E vai ficar com a consciência tranquila, pensando: “ok, aprendi alguma coisa, mas percebi que não é para mim”.

Já no melhor cenário, a sua vida vai mudar completamente: você vai emagrecer, vai se sentir melhor, vai dormir melhor, e ainda pode melhorar algumas condições de saúde (como diabetes, gordura no fígado, etc.).

Então, realmente acreditamos que o Guia Cardápio Low-Carb é a ferramenta certa se você está buscando uma solução para a sua saúde e uma alimentação melhor e mais saudável.

Até o momento foram mais de 5.000 pessoas que adquiriram esse produto e tiveram muito sucesso com essa dieta.

E para melhorar, e deixar esse material ainda mais adequado a você, nós oferecemos a garantia-desafio: você pode fazer o desafio das 4 semanas e, se não gostar dos resultados ou do produto, é só pedir seu dinheiro de volta.

Assim você não tem nenhum risco.

Resumindo: adquira o cardápio e participe do desafio de 4 semanas. Você não tem nada a perder, e tudo a ganhar.

Conclusão E Palavras Finais

Neste texto, te mostramos como uma dieta baixa em carboidratos pode ser segura e adequada para ser seguida por longo prazo.

Mais importante ainda, lembramos a você que a alternativa a ela (uma dieta rica em comida processada e açúcares) é uma das piores ideias para sua saúde.

Também te mostramos que muitos dos medos associados a seguir a low-carb vêm da mentalidade errada de encará-la como uma intervenção momentânea — e não como estilo de vida.

Sendo que a dieta low-carb é bastante flexível no sentido da quantidade de carboidratos a comer por dia — indo desde vertentes mais cetogênicas a vertentes mais permissivas.

Por fim, te apresentamos o cardápio low-carb que pode mudar a sua vida — se você se permitir participar deste desafio.

Esperamos ter te ajudado a obter ainda mais segurança e determinação na sua jornada de saúde e boa forma.

E estamos ao seu lado para o que você precisar.

Você pode contar com nossas dicas grátis todas as semanas ao colocar seu email na caixa abaixo.

Nos falamos em breve!

Forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.