Como Dominar A Arte Do Tempero: 5 Dicas Para A Dieta Slow Carb

Tempero – FACETHUMB

Introdução, tradução e adaptação por Guilherme Torres e Roney Fernandes. O texto original é do Tim Ferriss (criador da dieta Slow Carb) e está aqui.

A dieta Slow Carb não precisa ser chata.

E, melhor do que isso: não precisa de muito para essa dieta deixar de ser repetitiva e se tornar mais inventiva.

No meu caso, mesmo sendo um aficionado por carne vermelha, comecei a ficar cansado de não ter mais opções de tempero além de sal e pimenta.

Adicionei carnes de caça (javali, avestruz, cateto, queixada e capivara, por exemplo) ao meu cardápio, e isso tornou minhas refeições mais interessantes.

Mesmo assim, as coisas ficaram boas mesmo quando experimentei um tempero chamado Montreal Steak Rub (um tempero não disponível no Brasil, feito a partir de sal grosso, pimenta, alho e páprica) e, por minha conta, uma mistura que eu chamo de “CPA”: cominho, páprica e alecrim.

É simplesmente delicioso – sem contar que bioquimicamente esse tempero é ótimo para o seu coração, e conta inclusive com propriedades anti-inflamatórias.

O ponto é: para muitas pessoas (em particular, leigos em culinária como eu), as refeições Slow Carb às vezes se tornam um exercício de déjà vu culinário.

E isto frequentemente se soma com frustrações comuns de iniciantes, tais quais:

Sendo que a resposta da primeira pergunta seria adicionar canela e/ou essência de baunilha (embora nós gostemos também de um pouco de creme de leite fresco).

E a resposta da segunda pergunta está mais abaixo neste mesmo post.

O que queremos dizer é que as soluções para seus dilemas culinários não precisam ser complicadas.

>>> Relacionado: Cardápio Para Seguir a Dieta Slow Carb Sem Enjoar

Por isso, neste post, a especialista em culinária Jules Clancy vai focar principalmente em especiarias que podem te ajudar muito na cozinha.

Então continue lendo.

Porque, após terminar este texto, você terá acesso a:

  • melhores dicas para iniciantes,
  • uma receita teste inicial, e
  • uma lista de compras com o básico que você precisa para começar.

Então vamos começar com as dicas da Jules – que é uma cientista de alimentos e amante da boa culinária.

(A partir daqui, será a Jules escrevendo.)

Jules E Os Temperos Slow-Carb

Tempero 1

Como sou uma pessoa que trabalha diretamente escrevendo artigos sobre comida, quando comprei minha cópia do “4 Horas Para O Corpo“, pulei direto para o capítulo sobre a dieta Slow Carb.

A única coisa que me incomodou sobre a dieta Slow Carb, porém, foi a suposição de que ela seria tediosa para a maioria das pessoas.

E isso me incomodou porque não é por algo ser simples que ele tem que ser chato.

A dieta Slow Carb pode – e deve – ser divertida e deliciosa.

Se você estiver disposto a aprender o básico da arte do tempero, um mundo de variedades e pratos surpreendentes pode se abrir para você com um mínimo de esforço.

5 Dicas Para Superar O Tédio Na Dieta Slow Carb

Tempero 2

Dica #1 – Adote o sal e a pimenta como temperos fundamentais

Um dos truques mais antigos e ainda assim um dos melhores.

É fundamental você conseguir um tempero básico para maximizar o sabor.

Esqueça o que te disseram sobre os perigos de uma dieta elevada em sódio –  a quantidade que você estará adicionando será minúscula comparado com o que é colocado pelos fabricantes em alimentos processados.

(E a gente já sabe que numa dieta low-carb o sal na verdade é um ótimo aliado. Conforme explicou o Dr. Souto nesse podcast.)

Para pratos que são cozidos lentamente, é uma boa ideia adicionar um pouco de sal logo no começo, de modo que ele possa se espalhar por todo o prato, ao longo do tempo.

Para outros pratos, temperar no final é o melhor caminho.

Dica #2 – Aproveite o poder do ácido

O caloroso e maravilhoso povo tailandês dominou o equilíbrio entre doce, azedo, salgado e apimentado há muito tempo.

No entanto, a maioria de nós não entende verdadeiramente esses sabores.

E isso é uma coisa que eu aprendi a apreciar durante meus anos como enóloga.

Na escola de enologia, fizemos muitas experiências onde tivemos que ‘dissecar' um vinho com diferentes tipos e quantidades de acidez.

Nós então provávamos as amostras diferentes para ver quais eram melhores.

Foi extremamente esclarecedor para ver a diferença que a acidez fazia no vinho.

No nível ideal de acidez, o vinho fica mais brilhante e vivo nas papilas gustativas. Pode-se dizer que ele chega a cantar!

Desde então, aprendi a aplicar isso em meus pratos.

Quando algo não tem um sabor tão fresco quanto eu gostaria, e eu já coloquei um pouco de sal, meu próximo passo é adicionar um pouco de vinagre ou um pouco de limão.

Tente isso em alguns legumes ou espinafre cozidos, e você verá quão dramática pode ser a diferença.

Dica #3 – Libere o umami (uma explosão de sabor) com um simples molho de soja

Tempero 3

Os japoneses foram os primeiros a reconhecer o quinto sabor, o umami (também chamado de “sabor delicioso”).

Alimentos que são ricos em componentes umami são coisas deliciosas de degustar tais como carne, tomates, cogumelos e queijo parmesão.

Diz-se que o molho de soja foi inventado por monges budistas para fazer a comida vegetariana ter mais gosto de carne.

A soja tem muito a ver com o umami e um pouco mais dela pode transformar praticamente qualquer alimento (não apenas pratos asiáticos) em uma explosão de sabor.

Nota do Senhor Tanquinho: mesmo que a ingestão de soja não seja algo aprovado em uma dieta como a Paleo, a quantidade que a Jules sugere (um pouco de shoyu) provavelmente não é o bastante para fazer mal para a maioria das pessoas.

E, de toda forma, as dicas que ela passou estão mais alinhadas com uma dieta como a Slow Carb – que já é rica em leguminosas como o feijão (e que também não seriam tradicionalmente consideradas paleo).

Dica #4 – Adicione profundidade usando pimenta

É difícil bater a maravilhosa sensação de calor que você tem com um pouco de pimenta.

Embora eu goste de coisas apimentadas, este ponto se trata mais sobre sentir o calor e ainda ser capaz de saborear o que você está comendo, ao invés de sentir sua boca pegando fogo.

(Para quem mora nos Estados Unidos, Jules sugere o mix de 6 pimentas em flocos do Dave's, com diversos níveis de potência.)

Dica #5 – Especiarias e ervas – os acessórios da cozinha

Usar ervas e especiarias é uma maneira de você começar a se divertir na cozinha – além de poder trazer variedade mesmo para aquele prato que você já estava cansado de comer.

Um pouco de curry em pó pode fazer seu paladar ir até a Índia, enquanto se o mesmo prato recebeu alguma pimenta, limão e coentro fresco, ele pode te levar direto para Acapulco.

Veja as variações sugeridas na receita abaixo para obter mais ideias sobre como ervas e especiarias podem funcionar bem para você.

Sugestão de Experimentos Para Você Tentar

Receita: Carne e brócolis salteados com feijão

Tempero 4

Rendimento: 1 a 2 porções
Tempo de preparo: 10 minutos

Sinta-se à vontade para brincar com o tempero nesta receita.

Eu gosto de usar pimenta em flocos seca, porque ela fica bem bonita, mas você pode usar pimentas inteiras secas ou mesmo pimenta em pó.

Se você preferir usar brócolis fresco, substitua por 1 ou 2 cabeças cortadas em pedaços menores (pequenos buquês ou ramos).

Eu usei feijão cannellini branco mas pode ser feijão preto, carioca, etc. Todos ficam igualmente deliciosos.

Ingredientes (são apenas 5!):

  • 450g de carne moída
  • 450g de brócolis congelado
  • 1-2 colheres de pimenta em flocos seca
  • 4 colheres de sopa de molho shoyu
  • 1 lata de feijão (400g), bem drenado

Preparo:

  • Pré-aquecer uma frigideira grande ou wok em fogo alto. Adicionar algumas colheres de óleo de macadâmia ou de amendoim e, em seguida, acrescentar a carne (você também pode usar manteiga, banha, ou azeite de oliva);
  • Refogar a carne por alguns minutos, mexendo sempre para quebrar os pedaços e para dourar a carne uniformemente.
  • Quando a carne já não estiver rosada, adicionar o brócolis. Cobrir com uma tampa, assadeira ou papel alumínio e cozinhar por 2 ou 3 minutos, ainda em fogo alto;
  • Misturar e experimentar o brócolis. Ele deve estar verde brilhante e não congelado no meio. Se ainda estiver frio, continuar a cozinhar tampado por mais um minuto ou dois;
  • Adicionar a pimenta e o molho de soja (shoyu);
  • Mexer e provar. Se você achar que precisa de mais sabor, adicionar mais molho de soja ou um pouco de sal. O mesmo vale para o nível de pimenta;
  • Adicionar o feijão já drenado. Mexer até que eles fiquem quentes.

Aqui está uma versão em vídeo da receita acima para guiá-lo passo-a-passo:

Nota do Senhor Tanquinho: Se você preferir, pode usar o feijão já cozido, conforme feito em casa no dia a dia.

Pensamos que Jules escolheu o feijão em lata devido tanto à praticidade quanto ao fato de que, fora do Brasil, nem sempre é comum cozinhar feijão no dia a dia (até porque panelas de pressão não são um item tão comum em alguns lugares).

Sugestões de maneiras alternativas de servir

Assim que você já dominar a versão básica acima, você pode realmente misturar as coisas, modificando a maneira que você prepara o prato.

É incrível o quão diferente este prato pode ficar com alguns ajustes simples.

Opção #1: Carne e brócolis com purê de feijão

Tempero 5

Em vez de adicionar o feijão à mistura, você pode esmagar o feijão drenado com um garfo em separado e misturar um pouco de azeite.

Aí, é só servir a carne e o brócolis em cima desse purê – o calor do refogado irá aquecer o feijão.

Opção #2: Carne e feijão com brócolis de acompanhamento

Tempero 6

Esta é uma boa opção para as pessoas que não gostam muito de comer legumes.

Nela, você pode apenas refogar o brócolis por 4 a 5 minutos no fogo alto, ou ferver durante 3 minutos e escorrer.

Cozinhar a carne e o feijão conforme a receita acima, pulando as etapas onde você acrescentaria o brócolis.

Opção #3: Carne com purê de feijão e brócolis de acompanhamento

Tempero 7

Assim como na opção 1, nesta versão você pode esmagar o feijão com um garfo, e misturar um pouco de azeite.

Então, pode cozinhar o brócolis no microondas separadamente por 4-5 minutos na potência alta ou ferver durante 3 minutos.

E, por fim, cozinhar a carne de acordo com as instruções acima, pulando as onde adicionaria o feijão e o brócolis. Basta servir a carne em cima do purê com o brócolis ao lado.

Bônus: 7 Temperos Fundamentais Para Uma Despensa Perfeita

Tempero 8

Se você está apenas começando a montar sua despensa, a lista abaixo lhe dará uma base sólida de temperos que você pode usar em qualquer ocasião.

Tempero #1 – Sal

Eu prefiro sal grosso (não-refinado) que têm uma estrutura agradável de flocos grandes, tornando-os perfeitos para moer em cima da comida logo antes de servi-la.

Já o sal iodado é ótimo para pessoas que não consomem muitos frutos do mar em sua dieta e pode ajudar a combater o hipotireoidismo.

O sal kosher também pode ser uma alternativa simples e saborosa.

Tempero #2 – Pimenta

Se você não possui um moedor de pimenta em casa, então as pimentas que já vêm moídas dos supermercados são um ótimo começo.

No entanto, eu realmente acho que não há substitutos para o aroma da pimenta fresca.

Eu pessoalmente prefiro grãos de pimenta preta (pimenta do reino), porque acho que a pimenta branca tem um odor desagradável.

Tempero #3 – Molhos

Eu recomendo começar com um frasco de molho de soja (molho shoyu).

Não use apenas em pratos de inspiração asiática: você pode usá-lo no lugar do sal, sempre que quiser um sabor mais intenso.

Se você gosta de comida apimentada, um frasco da pimenta Cholula ou Sriracha é indispensável.

O molho de ostra também é ótimo para os amantes de comida tailandesa (porém é bem difícil encontrá-lo à venda no Brasil).

Tempero #4 – Especiarias

Vá devagar com as especiarias.

Minha recomendação é começar com flocos de pimenta seca, pimenta em pó ou pimentas inteiras e, em seguida, adicionar 1 ou 2 dos itens a seguir em sua despensa por vez:

  • Cominho moído: Um ótima ideia é juntar uma colher de sopa de cominho moído com uma quantidade igual de azeite e, em seguida, usar para marinar o bife antes de cozinhar. Uma pitada de cominho também irá adicionar uma nova dimensão de sabor em uma tigela de hummus.
  • Coentro moído: Aqui a dica é polvilhar um pouco de coentro moído sobre peixe cozido ou carne de porco. Fica sensacional também quando adicionado ao espinafre.
  • Curry em pó: Experimente adicionar algumas colheres de chá de curry em sua lentilha antes de esquentá-la para o almoço. Eu também amo adicionar um pouco de curry nos ovos mexidos (e essa é a resposta do que adicionar aos ovos que o Tim falou lá no começo do post)!
  • Páprica defumada: Uma sugestão é usar a páprica como um tempero seco no frango antes de grelhá-lo. Ela também fica maravilhosa em pratos à base de tomate.

Tempero #5 – Ácidos

Tempero 9

O vinagre é a maneira mais fácil de adicionar o sabor ácido a seu dia a dia porque dura muito tempo – e portanto você pode sempre ter um em sua despensa.

Experimente o de vinho tinto, balsâmico ou vinagre de xerez.

Tente combinar vinagre com azeite na proporção 1:2 para obter um molho de salada instantâneo, natural e sem açúcar (e, claro completamente low-carb).

Além disso, uma colher de sopa de vinagre misturado com lentilhas enlatadas levemente aquecidas, por exemplo, realmente pode dar outra vida ao prato.

Uma outra opção para trazer o ácido a suas refeições é utilizar o limão.

Até porque é difícil bater as propriedades de sabor e refrescância de um suco cítrico.

E, conforme alguns experimentos do Tim mostraram, o suco de limão pode ajudar a diminuir a resposta glicêmica.

(É até por isso que algumas pessoas o utilizam para preparar sua água saborizada.)

Particularmente, sempre mantenho limões na geladeira para regar alguns pratos, como o espinafre cozido.

Limas também podem ser interessantes, além de terem o poder de fazer meus pratos lembrarem comida mexicana.

Temperos #6 – Ervas

Na minha opinião, ervas secas tendem a fazer tudo ficar com gosto de “coisa antiga”.

Fique longe das ervas até que você esteja pronto para lidar com elas secas ou começar a cultivar as suas próprias ervas em casa (nesse caso, você utilizará ervas frescas).

Quando você estiver pronto para tentar, comece com manjericão (ótimo com qualquer coisa à base de tomate) ou coentro, com seu frescor maravilhoso.

Temperos #7 – Molhos prontos

Eu sempre tenho algumas conservas de tomate ou molho de tomate caseiro em minha geladeira, juntamente com um frasco de pimenta feita em casa em minha despensa.

Mesmo não sendo o que estamos acostumados a chamar de temperos, eles são ótimos para adicionar um pouco de variedade e sabor a seu dia a dia.

Um frasco de molho pesto pode ser um sucesso também.

Conclusão E Palavras Finais

Tempero 10

Ao longo deste texto, vimos diversas maneiras simples de incrementar seus pratos, mesmo se você estiver apenas iniciando na cozinha, ou gostar de praticidade.

Nesse caso, é importante perceber como alguns temperos podem realmente mudar o jogo da sua alimentação, transformando uma dieta que seria “chata” em um plano de refeições gostoso de seguir.

E tudo isso enquanto você ganha ainda mais saúde!

Por fim, queremos citar 3 recursos que você pode aproveitar se desejar se aventurar na cozinha, e começar a ter ainda mais prazer em suas refeições.

O primeiro é o nosso Cardápio Slow Carb.

Ele foi pensado como um plano de refeições fácil de ser seguido, e vem com mais de 70 receitas 100% adequadas à dieta do Tim Ferriss.

Se você leu minha história, sabe que emagreci mais de 16kg com essa dieta apenas – e isso antes mesmo de conhecer ferramentas poderosas como o jejum intermitente.

Clique aqui para conhecer o Cardápio Slow Carb.

O segundo é o livro de culinária do próprio Tim Ferriss!

O livro se chama “The 4-Hour Chef” e, até onde pesquisamos, só está disponível em inglês.

A Livraria Cultura importa o livro físico, caso você queira tê-lo em sua casa.

É uma leitura que vale a pena, embora o Tim Ferriss não fale apenas de culinária no livro.

Na verdade, o foco é em aprendizado acelerado, e ele usa a culinária como uma habilidade a ser aprendida.

E o terceiro e último recurso é o curso Dominando a Culinária Low-Carb, da cozinheira paleo Dirlene D’Addio.

Esse curso online conta com diversos vídeos para te guiar do absoluto zero até os seus primeiros pratos práticos e saudáveis.

Clique aqui para conhecer o curso Dominando a Culinária Low-Carb

Esses são 3 recursos que podem ser úteis para quem deseja comer refeições mais saudáveis e gostosas.

E ajudam desde quem já tem mais familiaridade com a cozinha (como no caso do Cardápio) até quem literalmente não sabe nem fritar um ovo (como no caso do curso da Dirlene).

Da nossa parte, aprender a cozinhar tem sido um processo bem divertido – além de saudável e saboroso!

E você, costuma cozinhar? Quais são os ingredientes ou temperos que não podem faltar?

Conte para a gente nos comentários!

  • Olá Simone!

    Obrigado pela participação – muito legal seu relato e dicas a respeito de alimentação Low Carb para a família, dicas de temperos, etc

    Ótima opção o leite “artesanal” e feijão 1x na semana, praticamente não é nem sair da dieta

    Abraços