Dieta Cetogênica E Deficiência De Vitamina C — Será Que Você Deveria Se Preocupar?

Tradução, adaptação e finalização por Guilherme Torres e Roney Fernandes. O texto original é da mestra em nutrição Ellen Davis e está aqui.

Vitamina C – FACETHUMB

Quando as pessoas embarcam em um novo estilo de vida, é normal que elas se preocupem com deficiências de nutrientes vitais.

Isso é particularmente verdadeiro se essa nova forma de se alimentar for algo bem diferente do que elas se acostumaram a pensar que era o “certo” — como é o caso da dieta cetogênica.

E isso compreensível.

Afinal de contas, foram anos e anos se alimentando de uma mesma forma, e mudanças quase sempre geram dúvidas.

Sendo que uma das dúvidas comuns na mudança para a dieta cetogênica (além daquele velho mito de que seu corpo vai ficar sem energia se você não comer carboidratos) diz respeito à vitamina C.

Dieta Cetogênica Gera Deficiência De Vitamina C?

suplementos para dieta paleo aprovados pelo mark sisson

De maneira resumida, podemos dizer que não.

Isso porque já foi mostrado em vários estudos científicos que esta desconfiança é infundada.

E isso se deve a dois motivos principais.

O primeiro deles diz respeito à oferta de vitamina C.

E a verdade é que muitos alimentos que se encaixam numa dieta low-carb (como diversos legumes frescos, pimentas, e vegetais de folhas verdes escuras como couve e brócolis), apresentam um monte de vitamina C.

Por isso, se o seu medo dizia respeito a você ingerir pouca vitamina C numa dieta very low-carb como a cetogênica, pode ficar tranquilo.

Relacionado: Saiba mais sobre a quantidade de carboidratos dos principais alimentos

Mas o segundo motivo diz respeito à demanda.

Pois comer menos carboidratos resulta em precisar de menos vitamina C.

Isso acontece porque a glicose concorre com a vitamina C para acessar as mesmas vias metabólicas do corpo.

Então, se sua ingestão de carboidratos é alta, você terá que aumentar sua ingestão de alimentos contendo vitamina C (ou mesmo suplementar com vitamina C) para assim obter vitamina C suficiente.

Mas isso só vai acontecer devido às elevadas quantidades de açúcar no sangue.

Desse modo, seguindo a dieta padrão ocidental que sempre nos ensinaram que era o certo, e que é rica em carboidratos e em grãos, as necessidades de vitamina C são maiores.

E reduzir a ingestão de carboidratos na verdade diminui a necessidade de suplementar com vitamina C.

Vitamina C Na Dieta Cetogênica — Uma Fonte Inesperada

Vitamina C 2

Agora, existe uma outra fonte de vitamina C na sua alimentação que você talvez nem imaginasse.

É a carne vermelha.

Isso porque os animais são capazes de produzir vitamina C internamente — então a carne deles também a contém.

Sendo assim, se você não come carboidratos de jeito nenhum (o que não é recomendado para a maioria das pessoas), você ainda assim pode obter vitamina C suficiente apenas por consumir carnes mal passadas e gordura.

E há um interessante estudo de caso que pode exemplificar bem esse ponto: o do antropólogo Vilhjalmur Stefansson.

Ao estudar o povo Inuit no Alasca, Stefansson documentou o fato de que cerca de 90% da dieta deles consistia de carnes e de peixes.

E, durante seu tempo lá, ele seguiu os costumes dos inuit.

Então ele (e toda a tribo) comiam nada além de carne e peixe por 6 a 9 meses a cada ano.

Esta era essencialmente uma dieta cetogênica com zero carboidratos.

Sendo que Stefansson ficou nessa dieta cetogênica durante 9 anos, enquanto viveu com os esquimós.

Nove anos!

Quando ele retornou à vida na cidade e descreveu suas experiências, os médicos ficaram espantados porque sua saúde não foi afetada.

E o próprio Stefansson ficou impressionado com isso, e acabou concordando em participar de um estudo experimental: ele teria de viver no hospital Bellevue em Nova York comendo apenas gordura e carne durante um ano inteiro.

Para esse estudo, foram chamados médicos vindos de Harvard, Cornell e outras instituições de prestígio.

E eles estavam convencidos de que Stefansson e o outro voluntário (o Dr. Karsten Anderson), iriam desenvolver problemas de saúde — ou pelo menos deficiências em vitaminas.

A ingestão de alimentos dos voluntários foi mantida sob controle científico rigoroso, então não houve nenhum tipo de fraude ou engano quanto aos resultados.

Toda a comida que os dois voluntários ingeriram foi analisada e, ao final do estudo, os totais diários foram calculados e observados:

  • Calorias totais diárias: de 2000 a 3100 kcal
  • Ingestão Diária De Proteína: de 100 a 140 gramas (15 a 25% das calorias)
  • Ingestão Diária De Gordura: de 200 a 300 gramas (75 a 85% das calorias)
  • Ingestão Diária De Carboidratos: de 7 a 12 gramas (1 a 2% das calorias)

No final do experimento, Stefansson e Anderson mantiveram-se em perfeita saúde (e provavelmente em cetose).

Sendo que nenhuma deficiência vitamínica ou problemas de saúde graves ocorreram.

Os resultados desse estudo foram publicados pela Journal of Biological Chemistry em 1930.

Relacionado: Descubra a verdade sobre a ingestão de proteínas em uma dieta cetogência

Deficiência de Vitamina C Na Dieta Cetogênica — Conclusão E Palavras Finais

Vitamina C 3

Baseado nas evidências que temos, que incluem:

  • conhecimento básico de bioquímica (o fato de que a glicose compete com a vitamina C pelas mesmas vias metabólicas),
  • conhecimento das populações inuits (que vivem em dietas cetogênicas por anos a fio e não possuem problemas de saúde associados à deficiência de vitamina C), e
  • dois estudos de caso (dos doutores Anderson e Stefansson) que participaram de um estudo controlado por um ano,

é bastante seguro concluir que a deficiência de vitamina C não é algo com que a maioria das pessoas deveria se preocupar ao seguir uma dieta low-carb ou cetogênica.

Entretanto, você deve sempre fazer exames e se consultar com seu médico regularmente para se informar sobre a sua saúde.

Esperamos que tenha gostado desta leitura, e deixe um comentário dizendo o que achou deste texto – e se gostaria de ver mais textos sobre dieta cetogênica aqui no site.

Referências

  1. http://www.orthomolecular.org/library/jom/2005/pdf/2005-v20n03-p179.pdf
  2. http://www.jbc.org/content/87/3/651.full.pdf
  3. http://www.ketogenic-diet-resource.com/support-files/jbc-1930-mcclellan-stefansson-study.pdf