Eritritol, Xilitol E Stevia – Prós E Contas Dos 3 Melhores Adoçantes Para A Dieta Low-Carb

Seja bem-vindo(a) a mais um artigo com uma doce temática aqui no Senhor Tanquinho.

Pois hoje vamos falar sobre as três principais opções de adoçantes para a dieta low-carb — que são a stevia, o eritritol e o xilitol.

Se você nunca ouviu falar nesses adoçantes, vale a pena ler esse texto com atenção.

Porém — mesmo que já tenha ouvido — leia até o final.

Porque assim você irá descobrir exatamente:

  • quais os prós e contras de cada um desses três adoçantes,
  • quando usar e quanto custa cada um desses adoçantes,
  • qual é o nosso favorito,
  • por que preferimos evitar o uso da sucralose,

e ainda vai ganhar um presente!

Ou seja: muita coisa boa, para deixar seu dia mais doce.

Então, vamos começar falando por que esses três adoçantes são os considerados as melhores escolhas para a dieta low-carb.

Adoçantes Low-Carb Naturais — Stevia, Eritritol E Xilitol

A stevia (ou estévia), o xilitol e o eritritol são os campeões para a dieta low-carb por dois motivos.

Stevia, eritritol e xilitol são adoçantes naturais

O primeiro motivo é que eles são adoçantes naturais.

Sendo que adoçantes naturais são aqueles que são encontrados na natureza.

Por exemplo, a stevia é encontrada em uma planta chamada… Stevia!

(É impossível ser mais descritivo do que isso 😉)

E o xilitol e o eritritol são açúcares de álcool, sendo encontrados em alguns tipos de plantas e frutas.

Mas os que nós consumimos não são extraído dessas plantas, nas quais eles aparecem em pequena quantidade.

Esses que chegam até nossas mesas, e que usamos para fazer nossas receitas low-carb, são feitos em laboratório.

No entanto, mesmo que eles sejam produzidos industrialmente, chamamos de “naturais” porque a molécula é igual àquela que é encontrada em alguns legumes, frutas e plantas na natureza.

O que é diferente do caso dos adoçantes artificiais, como o ciclamato de sódio, a sacarina, e a sucralose.

Pois estes são adoçantes que o homem criou, e que não existem na natureza, de nenhuma forma.

Stevia, eritritol e xilitol são adoçantes low-carb

E o segundo motivo é que são adoçantes baixos em carboidratos — quando comparados com o açúcar, por exemplo — e praticamente não elevam a glicemia no sangue.

No caso da stevia, dizemos que ela é baixa em carboidratos por ser muito, muito doce — muito mais doce do que o açúcar.

Então, nós usamos quantidades muito pequenas dela, que bastam para adoçar o suficiente.

Já o eritritol e o xilitol são açúcares de álcool, e por isso são classificados como 100% carboidratos.

No entanto, os carboidratos deles não são completamente absorvidos  — é aí que entra em questão o conceito de carboidratos absorvíveis ou carboidratos líquidos.

No caso do xilitol, apenas 60% dos seus carboidratos são absorvidos pelo organismo do ser humano.

E, no caso do eritritol, esse número é ainda menor: cerca de 6% dele é absorvido.

Então, é muito, muito menos.

Se você consumir, por exemplo, 100 gramas de xilitol, só cerca de 60 gramas deles vão ser carboidratos “de verdade”, digeríveis (os carboidratos líquidos que a gente fala).

E, no caso do eritritol, menos ainda — só 6 gramas.

Porém, nem tudo são flores a respeito desses adoçantes.

Porque cada um deles tem seus prós e contras.

Isto é: alguns pontos que você tem que levar em consideração para poder decidir qual deles é o melhor para você.

Então vamos comparar os adoçantes naturais low-carb agora.

Vantagens Dos Adoçantes Low-Carb Naturais

Sendo assim, vamos começar abordando todas as vantagens de cada um dos três melhores adoçantes low-carb.

Para, em seguida, abordar os possíveis pontos negativos de cada um deles.

E escolhemos o stevia para encabeçar essa lista justamente por conta de ser o mais “comum” dos três.

Pontos positivos do adoçante stevia (ou estévia)

O stevia é, dentre nossas 3 melhores opções, aquele que é mais facilmente encontrado na maioria dos mercados atualmente.

Além disso, é o mais barato deles.

Do ponto de vista da saúde, ele apresenta um baixíssimo índice glicêmico e uma quantidade desprezível de carboidratos por porção.

Resumindo, as vantagens do stevia são:

  • baixo custo,
  • facilidade de ser encontrado,
  • baixo índice glicêmico,
  • baixa quantidade de carboidratos por porção.

Pontos positivos do adoçante eritritol

O eritritol é um adoçante que é encontrado em estado sólido — com uma aparência bem próxima à do açúcar.

Inclusive, além da cor branca e do aspecto granulado, esse adoçante se comporta de maneira parecida ao açúcar em muitas ocasiões.

O que é uma característica bem interessante: já que nossa ideia é justamente utilizá-lo em substituição ao açúcar em receitas low-carb.

Uma outra grande vantagem do eritritol é que ele tem bem poucos carboidratos absorvíveis — cerca de apenas 6% do seu peso.

Ou seja, a cada 100 gramas, há apenas 6 gramas de carboidratos que serão absorvidos.

E ainda podemos destacar que esse adoçante praticamente não causa nenhum impacto na sua glicemia, já que seu índice glicêmico é muito baixo.

Resumindo, as vantagens do eritritol são:

  • sua semelhança com o açúcar;
  • seu baixo índice glicêmico;
  • sua baixa quantidade de carboidratos absorvíveis.

Pontos positivos do adoçante Xilitol

Por fim, vamos falar das vantagens do xilitol.

Para começar, esse é um adoçante com muitas semelhanças com o açúcar.

Na verdade o xilitol tem essa vantagem de ser sólido e ainda ter o mesmo dulçor que o açúcar (quando comparamos quantidades iguais de ambos, obviamente).

Ou seja, uma xícara de xilitol adoça igual a uma xícara de açúcar.

Só que a grande vantagem desse álcool de açúcar é que ele apresenta apenas 60% dos carboidratos do açúcar.

Sendo que 100 gramas de xilitol têm somente 60g de carboidratos líquidos, e com um índice glicêmico bem menor também.

Além disso, o xilitol é muito bom para a saúde dentária também — atuando como uma substância protetora dos dentes.

Resumindo, as vantagens do xilitol são:

  • ter mesmo dulçor do açúcar branco comum;
  • mas com uma menor quantidade de carboidratos líquidos por porção que o açúcar,
  • e com um menor índice glicêmico;
  • além de ser melhor para a saúde dentária do que o açúcar de mesa.

Se você está lendo este texto atentamente, então provavelmente já percebeu que:

  • o adoçante stevia apresenta praticamente zero carboidrato;
  • o eritritol também tem quase zero carboidratos (2 ou 3g a cada 100g);
  • o xilitol tem cerca de 60% da sua composição de carboidratos absorvíveis.

Então por que alguém escolheria utilizar o xilitol dentre esses 3 adoçantes se ele não é o mais barato?

É para responder a essa questão que nós agora vamos ver as desvantagens de cada um deles.

Desvantagens Dos Adoçantes Low-Carb Naturais

Conforme falamos anteriormente, nem só de benefícios e pontos positivos são feitos os adoçantes low-carb naturais.

Na verdade, o primeiro ponto lógico é que o ser humano não evoluiu comendo adoçantes de nenhum tipo.

Sendo que certamente não é a melhor prática basear grande parte da sua alimentação neles.

Mas fora essa desvantagem inerente a qualquer tipo de substância adoçante, cada um dos substitutos low-carb do açúcar que apresentamos até aqui tem também suas desvantagens particulares.

Como na seção das vantagens, vamos começar falando dos contras do stevia.

Pontos negativos do adoçante stevia (ou estévia)

Resolvemos começar falando das desvantagens da stevia porque pode ter ficado parecendo, pelo que foi dito até aqui, que esse é o melhor adoçante do mundo:

  • barato,
  • pouco calórico,
  • poucos carboidratos,
  • baixo índice glicêmico,
  • alto poder adoçante,
  • fácil de encontrar…

Mas então por que não usamos sempre o stevia e ao invés disso estamos escrevendo esse texto todo?

O que acontece com o stevia é que ele apresenta duas grandes desvantagens.

A primeira é que o poder adoçante da stevia é muito alto.

Ou seja, basta uma pequena quantidade desse adoçante para substituir uma grande quantidade de açúcar.

E isso pode atrapalhar algumas receitas na questão do volume e da consistência — isso quer dizer que algumas receitas podem não ficarem tão gostosas quanto poderiam.

Por outro lado, se você quiser apenas adoçar o seu cafezinho, então não deve haver muita diferença.

A bem da verdade, pode haver uma diferença, sim — trata-se da segunda desvantagem do stevia.

Esse adoçante apresenta um retrogosto amargo, ao qual muita gente é sensível e se incomoda.

E esse retrogosto amargo da stevia pode atrapalhar tanto o seu cafezinho quanto suas receitas, por isso preferimos evitá-lo.

Por fim, podemos citar ainda uma terceira pequena desvantagem da stevia.

Esse problema não é da stevia em si, mas sim do modo como o adoçante é fabricado.

Muitas vezes, a versão sólida do adoçante de stevia é feito utilizando-se ingredientes como lactose ou maltodextrina.

Sendo que a lactose e a maltodextrina são tipos de açúcares que são utilizadas para darem a consistência granulada ao stevia em sua forma sólida.

Por isso, sempre recomendamos o stevia em sua versão líquida.

Claro que, ainda assim, a quantidade de carboidratos que você efetivamente estaria ingerindo seria mínima, uma vez que um sachê pequeno de stevia (que adoça o equivalente a uma colher de chá de açúcar) tem menos do que 1g de carboidratos.

Inclusive, vale relembrar que a ideia é que você consuma quantidade tão pequena e tão eventual de adoçantes…

A ponto de não importar muito se eles apresentam um pouco de carboidratos ou não.

(Isto é: a ideia é fazer um uso infrequente e em pequena quantidade, a ponto de você não ter que se preocupar com o impacto na sua saúde e nos seus resultados.)

O problema é que essa mesma artimanha de utilizar carboidratos para dar uma boa consistência é utilizada em outros adoçantes.

Um breve parênteses sobre os adoçantes do tipo forno e fogão (e tal e qual)

No caso queremos destacar os adoçantes tipo “forno e fogão” que geralmente são utilizados em grandes quantidades em receitas de bolos, por exemplo.

É comum que esses adoçantes trazem em seus rótulos coisas como “livre de açúcar”.

E realmente, segundo a legislação brasileira, eles não levam açúcar em sua composição.

Mas levam maltodextrina, ou dextrose, ou lactose, ou outros tipos de carboidratos muito semelhantes ao açúcar.

Que não são considerados “açúcar” para o governo, mas se comportam da mesma forma quando adentram nossos organismos.

Nesses casos, geralmente é utilizada uma substância de alto poder adoçante para conferir o sabor doce — como o stevia, a sucralose, ou o ciclamato.

Já a consistência e o comportamento próximos ao do açúcar acontecem graças justamente a esses carboidratos.

Ou seja, no final das contas você está trocando o açúcar, que é um carboidrato doce, por um carboidrato (que não é doce) mais um adoçante que lhe confere o sabor doce.

(Efetivamente trocando carboidrato doce por carboidrato + adoçante.)

Então, na nossa opinião essa não é uma troca muito inteligente a se fazer.

Você vai estar pagando mais caro do que comprando um açúcar refinado normal —  que faz tão mal para você, mas que pelo menos não te engana.

Tendo dito tudo isso, vamos voltar aos nossos adoçantes low-carb, resumindo as desvantagens do stevia que são:

  • seu alto poder adoçante, o que pode prejudicar o resultado de algumas receitas;
  • seu retrogosto amargo;
  • sua mistura com carboidratos na sua versão sólida.

Pontos negativos do adoçante eritritol

Após termos falado dos contras do stevia, você pode ter ficado com a sensação de que o eritritol seria a melhor das três opções.

(E inclusive falaremos a seguir sobre qual a nossa favorita dentre as 3 opções.)

Mas, infelizmente, até mesmo o eritritol apresenta algumas desvantagens.

A primeira delas é que ainda é um pouco difícil de encontrá-lo a venda nos mercados — por ainda não ser muito popular aqui no Brasil.

E isso causa a nossa segunda desvantagem: o seu preço.

Sendo que quando você encontrar eritritol a venda, pode procurar em lojas online, seu custo vai ser na faixa dos R$50 a R$100 por quilo.

Para piorar, ainda há o terceiro ponto negativo, o que ele só tem 70% do poder adoçante do açúcar (e do xilitol).

Ou seja, onde você usaria 100 gramas de açúcar (ou de xilitol), você teria de usar 140 gramas de eritritol.

E isso acaba por encarecer ainda mais as receitas que utilizam o eritritol no lugar do açúcar — e ainda pode nos levar a mais um problema.

Isso porque nem sempre dá certo utilizar 40% a mais do volume de açúcar em algumas receitas.

(Você vai estar adicionando 40% a mais em volume de um ingrediente sólido e isso pode desandar algumas receitas.)

Por fim, o último problema é que algumas pessoas, quando consomem grandes quantidades de eritritol ao longo de um mesmo dia, podem apresentar um certo desconforto gastrointestinal.

Desconforto esse que também aparece de forma mais acentuada no caso do nosso terceiro candidato – o xilitol.

Antes de irmos para ele, vamos resumir as desvantagens do eritritol, que são as seguintes:

  • dificuldade em ser encontrado;
  • custo elevado;
  • menor poder adoçante que o açúcar;
  • maior volume em receitas;
  • desconforto gastrointestinal em algumas pessoas.

Pontos negativos do adoçante xilitol

Conforme acabamos de falar, uma primeira desvantagem que podemos citar com relação ao xilitol é que ele pode certo desconforto gastrointestinal em algumas pessoas.

Especialmente em pessoas que têm algum problema com a flora intestinal — como, por exemplo, sensibilidade a FODMAPs.

Fora esse, o xilitol ainda apresenta outros dois problemas similares ao eritritol.

Isso porque ele não é tão fácil de ser encontrado e, quando encontrado, seu preço não é dos mais acessíveis, ficando na faixa entre R$50 e R$100 por quilo.

A quarta desvantagem é que sua quantidade de carboidratos digeríveis não é desprezível como no caso da stevia e do eritritol.

Sendo que 60% do peso do xilitol é na forma de carboidratos líquidos.

Colocando em perspectiva: se você for usar apenas 10 gramas de xilitol, então estará ingerindo somente seis gramas de carboidratos absorvíveis.

Certamente não é o fim da sua dieta — e nem mesmo o fim da sua cetose.

Por outro lado, se você for consumir 100 gramas de xilitol, aí já são 60 gramas de carboidratos, o que representa uma quantidade bem significativa em uma dieta low-carb.

Por fim, o último ponto negativo do xilitol é ele ser tóxico para cachorros — podendo ser inclusive mortal.

Portanto, se você tem cachorro em casa, tome bastante cuidado para que ele não encoste no seu xilitol e nem em nenhuma receitinha que tenha levado xilitol.

Resumindo as desvantagens do xilitol:

  • possibilidade de desconforto gastrointestinal,
  • custo elevado,
  • baixa disponibilidade,
  • quantidade de carboidratos não desprezível,
  • toxicidade para cachorros.

Agora que nós já abordamos as vantagens e as desvantagens de cada um dos três principais adoçantes low-carb naturais, nós iremos sobre a nossa preferência particular.

Eritritol — O Melhor Adoçante Low-Carb Na Nossa Opinião

Bom, levando tudo em consideração, na nossa opinião o campeão ainda é o eritritol.

E usamos os seguintes critérios principais:

  • tem poucas calorias,
  • tem poucos carboidratos absorvíveis,
  • é adequado para receitas,
  • tem textura parecida com a do açúcar.

Sendo que a principal desvantagem do eritritol, ao nosso ver, é a necessidade de usar uma quantidade maior dele do que utilizaríamos de açúcar ou de xilitol.

Sendo assim, ele não não funciona tão bem para todas as receitas.

Pois em algumas ele funciona e fica maravilhoso (como neste bolo de cenoura low-carb), porém em outras ele não é ideal.

Nesses casos, se você quiser uma receita mais próxima do original, o xilitol ganha.

A textura dele é um pouco mais parecida e a quantidade a ser usada também.

Sendo que, atualmente, é mais fácil de encontrar o xilitol no Brasil.

Por isso, ele ganha o nosso segundo lugar.

E em terceiro lugar tem o stevia, que nós achamos que funciona para algumas ocasiões — basicamente, para adoçar bebidas e drinks low-carb.

Sendo que um bom ponto positivo a seu favor é facilidade de encontrar e o custo baixo.

(Afinal, se não fosse por isso, provavelmente usaríamos o eritritol em bebidas também.)

Porém, como o stevia é bem mais barato, nós achamos que para adoçar cafés, chás, água com limão, água saborizada

Ou mesmo drinks low-carb — como alguns que já ensinamos a fazer em nosso canal do YouTube.

Para esses casos, o Stevia é sim uma boa opção.

Porque ele é bem em conta, é líquido, dissolve bem…

E seu retrogosto não costuma atrapalhar tanto no caso de bebidas que já têm um sabor forte.

Sendo assim, o nosso ranking pessoal de qual adoçante usar e em quais ocasiões é o seguinte.

  1. Eritritol (para quase tudo),
  2. Xilitol (para receitas),
  3. Stevia (para bebidas e drinks).

(Compartilhe conosco o seu ranking pessoal nos comentários ao fim do texto.)

No entanto, talvez você esteja se fazendo a seguinte pergunta neste momento:

Mas onde eu compro esses adoçantes exóticos e low-carb?”

Onde Comprar Adoçantes Low-Carb

E vamos responder a sua dúvida agora.

O stevia é bem fácil de achar: ele pode ser encontrado em praticamente qualquer supermercado, tanto os sachês quanto a forma líquida (que preferimos).

Já o xilitol e o eritritol é mais difícil de ver nas grandes redes de mercados Brasil afora.

No entanto, eles podem ser encontrados em empórios, lojas de produtos naturais, e talvez mesmo no mercado municipal da sua cidade.

Além disso, algumas lojas de suplementos alimentares já contam com esse tipo de adoçante em seus estoques — vale a pena perguntar.

Como comprar eritritol e xilitol com desconto

Sendo que nós pesquisamos muito para fazer compras online (afinal fazemos receitas todas as semanas), e o melhor negócio que encontramos foi a loja Tudo Low-Carb.

Por isso, ela se tornou a fornecedora oficial dos ingredientes das nossas receitas — porque o atendimento é bom, com a qualidade dos produtos sempre elevada (e o preço lá embaixo).

(Nós até conversamos com a Eliana, idealizadora desse projeto, para entender mais sobre a Tudo Low-Carb — clique para conferir.)

Sendo que nós conseguimos um desconto para você que está inscrito na nossa lista de emails VIP (se não está, clique aqui para assinar grátis e ainda ganhar um presente).

No caso, basta você usar o cupom SRTANQUINHO na hora de fechar o carrinho da sua compra para ganhar 10% de desconto automaticamente.

E, para fins de comparação: o eritritol e o xilitol costumam ser encontrados com  preços entre R$50 e R$100 por quilo.

Na loja da Tudo Low-Carb nós encontramos hoje (em agosto de 2018) os seguintes preços:

  • eritritol: R$ 59,90
  • xilitol: R$ 59,90

Ou seja: são preços bem competitivos (e você ainda paga 10% a menos que isso na sua primeira compra se usar o cupom SRTANQUINHO).

(É claro que esse preço pode variar dependendo de quando você estiver lendo este texto.)

Lá tem adoçantes, farinhas low-carb, queijos, oleaginosas, e muito mais.

Pronto, já falamos onde comprar.

E a ideia do texto de hoje era justamente fazer essa comparação entre eritritol, xilitol, e estevia.

No entanto, sempre que falamos desses 3 adoçantes, alguém nos pergunta:

Mas e a sucralose?”

Por isso, vamos nos antecipar — e falar brevemente sobre a sucralose agora.

Sucralose — Adoçante Low-Carb Artificial

Se você tinha dúvidas sobre a sucralose ser um adoçante low-carb ou não, então pode ficar tranquilo.

A sucralose é sim low-carb, e não vai prejudicar sua dieta low-carb / cetogênica se utilizada com bom senso.

E ela tem um grande poder adoçante — ao mesmo tempo em que não apresenta carboidratos.

Sendo que, até por conta desse alto poder adoçante, a tendência é que você utilize bem pouca sucralose quando for adoçar alguma coisa.

(O que acontece também no caso do stevia.)

Por um lado, a sucralose tem todas essas vantagens:

  • baixo custo,
  • fácil de encontrar,
  • grande poder adoçante,
  • zero carboidratos.

Por outro lado, ela não é um adoçante natural — ou seja, a sucralose não existe de nenhuma forma na natureza.

E é aí é que pode morar o problema.

Isso porque nós simplesmente não sabemos como o nosso organismo irá reagir no longo prazo a essas substâncias que não existem na natureza.

Isto é: não estamos dizendo: “tudo o que é artificial é mau, e tudo o que é encontrado na natureza é bom”.

Até porque substâncias como a cicuta e mesmo os venenos de cobra são naturais — mas isso não quer dizer que elas façam bem para nós (Sócrates que o diga).

No entanto, defendemos sim que nossa alimentação seja, na maior parte do tempo, o mais próximo possível daquela que nós evoluímos comendo.

E inclusive já ressaltamos que  mesmo os adoçantes considerados naturais (eritritol, xilitol e stevia) não deveriam ser consumidos com muita frequência.

(Afinal, nós não evoluímos comendo isso o tempo todo.)

Sendo que, no caso da sucralose, isso acaba sendo ainda mais acentuado: porque nós nunca antes na história da evolução humana consumimos esse adoçante.

E atualmente a ciência ainda é inconclusiva e não diz categoricamente “sucralose faz mal”.

Ao mesmo tempo em que  existem algumas teorias de que a sucralose (e outros adoçantes artificiais) poderiam afetar a nossa microbiota intestinal.

O que poderia prejudicar nossa saúde a longo prazo.

Pois nossa microbiota  intestinal é muito importante e está ligada a diversas funções vitais, como:

Então você não vai querer arriscar prejudicar esse importante mecanismo consumindo sucralose frequentemente, não é mesmo?

E é claro que você não vai morrer e nem prejudicar gravemente sua saúde consumindo sucralose uma vez ou outra.

Mas é por conta dessa questão que nós não colocamos a sucralose dentre nossos adoçantes low-carb favoritos.

Conclusão E Palavras Finais Sobre Os Principais Adoçantes Low-Carb

Apesar de o consumo responsável dos adoçantes low-carb não parecer ser prejudicial a saúde, não acreditamos que você deva sair por aí comendo quilos e quilos deles diariamente.

Na verdade, conforme mencionamos acima, a nossa concepção para o uso de adoçantes é a seguinte.

Você utilizar tão raramente adoçantes no seu dia-a-dia que, no final das contas, não faça muita diferença (do ponto de vista da sua saúde) qual deles você escolher.

Isto é: se você só consumir adoçantes uma vez por ano (por exemplo), não faz muita diferença se é xilitol, eritritol, stevia, sucralose…

Porque a frequência de exposição é muito baixa.

(Assim como nosso amigo o Doutor José Neto argumenta — sobre fumar 3 charutos por ano.)

Por isso, a nossa intenção principal com este texto é rankear no google  te ajudar a entender e a fazer as melhores decisões na hora de escolher e comprar adoçantes low-carb para fazer suas receitinhas low-carb doces.

E, por isso, mostramos o nosso ranking top 3 pessoal.

No entanto, esses não são os únicos adoçantes que existem — e preparamos um presente para você.

É um infográfico que compara os principais adoçantes low-carb, e classifica todos de acordo com nossos critérios — isto é, fornece um ranking completo.

Nesse infográfico, você vai saber tudo sobre:

  • luo han guo (fruta dos monges),
  • sucralose,
  • acessulfame de potássio,
  • tagatose,
  • mel,
  • xarope de agave,
  • açúcar de coco,
  • taumatina,
  • e muito mais.

Por isso, nossa dica é que baixe esse infográfico gratuitamente agora.

E comente aqui embaixo qual adoçante você pessoalmente gosta de usar — se é que usa algum.

Que você tenha uma doce semana!

Forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.