Síndrome do Intestino Irritável: O que É, Sintomas, Diagnóstico, E Dieta Para Aliviar Os Sintomas da SII

O que é Síndrome do Intestino Irritável — e o que posso fazer para melhorar?”

Se você sofre com sintomas gastrointestinais, mas não sabe muito bem a origem deles…

Ou então se já teve o diagnóstico de síndrome do intestino irritável…

Saiba que este artigo foi feito para você.

Lendo até o final, você vai descobrir tudo sobre a síndrome do intestino irritável ou SII.

Você vai aprender:

  • o que é, 
  • quais os sintomas, e 
  • como é feito o diagnóstico 

da Síndrome do Intestino Irritável.

E, além disso, também saberá qual o tipo de alimentação que pode ajudar pessoas que sofrem com a SII a ter uma melhor digestão e absorção de nutrientes.

Além de decretar o fim de sintomas como dores, gases, inchaço, e desconforto abdominal.

Lembrando que este conhecimento é parte do nosso curso completo Sistema do Intestino Inteligente — um passo a passo para curar seu intestino e dar adeus aos sintomas gastrointestinais.

Mas resolvemos liberá-lo gratuitamente neste artigo — para poder ajudar mais pessoas.

Sendo que você pode receber grátis mais informações sobre o intestino ao se inscrever na nossa lista VIP. 

Toque aqui para receber grátis agora.

Dito isso, vamos começar explicando: o que é a Síndrome do intestino irritável, e por que ela acontece?

Síndrome Do Intestino Irritável: O Que É

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é uma condição que recebe diversos nomes.

Porque ela também é conhecida como:

  • síndrome do cólon irritável (SCI),
  • colite nervosa, 
  • colite espástica, 
  • cólon irritável, ou 
  • doença funcional do intestino.

Ou seja: são diversos nomes para falar sobre uma mesma condição, que envolve um mau funcionamento do intestino. [1]

Esse “mau funcionamento” é diferente para cada pessoa.

Para algumas, ele se manifesta com o intestino funcionando pouco (elas podem ter intestino preso, por exemplo). 

Para outras, ele funciona em excesso (por exemplo, diarreia).

Outras ainda formam gases, outras sentem desconforto, e uma sensação de “bola de ferro na barriga”.

Mas note que é algo funcional — as pessoas com SII não têm uma anormalidade anatômica nem nada assim.

Por isso, também é importante destacar o que a SII não é.

Ela não é uma “doença” em si, porque não há uma patologia orgânica envolvida.

Nesse aspecto, é diferente da Doença Inflamatória Intestinal (DII), que envolve uma alteração no sistema imunológico.

Alguns dos sintomas podem ser parecidos (como diarreia e inchaço), mas a causa é distinta.

A doença inflamatória intestinal abrange um diverso grupo de condições, dentre as quais se incluem:

  • Colite ulcerativa, e
  • Doença de Crohn. 

Estamos falando da DII porque, geralmente, o diagnóstico da SII envolve primeiro a exclusão de outras condições.

Mais detalhadamente, o diagnóstico da SII é feito com base numa lista de critérios e sintomas, que vamos ver a seguir.

Resumindo: A síndrome do intestino irritável não é uma “doença” em si, causada por alguma anomalia funcional ou patógeno. 

Em vez disso, ela abrange um conjunto de sintomas e características relativas ao funcionamento do intestino.

Síndrome Do Intestino Irritável: Sintomas

Conforme dissemos, a síndrome do intestino irritável apresenta alguns sintomas característicos — vamos ver agora quais são eles:

  • cólicas intestinais,
  • dores abdominais,
  • sensação de uma “bola na barriga”,
  • inchaço,
  • gases,
  • fezes com aparência “estranha”,
  • constipação (intestino preso), e
  • diarreia (intestino solto).

Para quem não sofre com SII, “constipação” e “diarreia” podem parecer sintomas contraditórios — e são mesmo.

No entanto, quem sofre com essa condição sabe que períodos de constipação podem ser alternados com períodos de intestino solto — e ambos tendem a ser desconfortáveis.

Alguns sintomas como gases e inchaço muitas vezes se resolvem após evacuações e idas ao banheiro.

Nesse aspecto, note que os sintomas (geralmente) não são contínuos.

Em vez disso, eles tendem a acontecer em “fases”: uma fase com muitos gases, outra com intestino preso, e por aí vai.

E, quando você pensa que chegaram ao fim… eles retornam. E o ciclo continua.

Por isso, a síndrome do intestino irritável pode ser muito frustrante para quem a tem: porque é cansativo acreditar que seus problemas acabaram — apenas para eles recomeçarem depois.

Felizmente, se você está lendo este artigo, está com sorte.

Porque existem medidas que podem sim aliviar os sintomas ligados à síndrome do intestino irritável.

Antes de ver quais são elas, vamos falar brevemente sobre como saber se o que você tem realmente é síndrome do intestino irritável — ou se é outra condição.

Síndrome Do Intestino Irritável: Diagnóstico

Conforme falamos, o diagnóstico da SII se dá de acordo com a presença de alguns sintomas específicos — que devem obedecer a alguns critérios.

O nome desse conjunto de critérios para diagnóstico da Síndrome do Intestino Irritável é Critérios ROMA.

Os critérios Roma são diretrizes que os médicos podem usar para diagnosticar a SII.

Um grupo de cientistas e médicos de todo o mundo, especialistas em intestino, chegou a esses critérios, e os revisam a cada poucos anos.

A Rome Foundation é a responsável pela publicação dos critérios ROMA, que foram publicados pela primeira vez em 1994 — e cuja atualização mais recente é de 2016. [2]

Veja os anos de publicação de cada conjunto de critérios Roma.

  • Rome I: 1994
  • Rome II: 1999–2000
  • Rome III: 2006
  • Rome IV: 2016 

Hoje em dia, estamos na 4ª versão dos critérios — chamados de ROME IV — e eles são os seguintes. [3]

Dor abdominal recorrente, em média pelo menos um dia por semana nos últimos 3 meses, associada a 2 ou mais dos seguintes critérios:

1) Ligada à evacuação,
2) Associada a uma mudança na frequência das vezes,
3) Associada a uma mudança na forma (aparência) das fezes.

Esses critérios devem ser verdadeiros pelos últimos 3 meses, com o início deles pelo menos 6 meses antes ao diagnóstico.

Para crianças, o diagnóstico é um pouco diferente. [3]

  • Dor abdominal pelo menos 4 dias por mês, por pelo menos 2 meses, associados a um ou mais dos seguintes itens:
    1. Relacionada à evacuação, ou
    2. Mudança na frequência da evacuação, ou
    3. Mudança na forma (aparência) das fezes.
  • Note que, em crianças com dor abdominal e constipação, a dor não se resolve com a constipação (as crianças que têm dor abdominal que passa com a evacuação têm outra condição, não SII),
  • Após a avaliação apropriada, os sintomas não podem ser explicados por outra condição médica.

Como você pode ver, o diagnóstico pode levar meses — muitas vezes, anos — até que seja feito.

Existem Vários Tipos de SII?

Escala de Bristol para classificação de fezes. Do tipo 1: fezes duras e separadas como nozes; ao tipo 7: diarreia.

De acordo com os critérios de Roma, nós temos 4 diferentes subtipos de SII. 

A classificação entre os 4 subtipos de SII é baseada na escala de Bristol.

A escala de Bristol, ou escala de Meyers, é uma forma descritiva de classificar as fezes em sete tipos diferentes, de acordo com sua forma e textura.

A escala Bristol varia do tipo 1 (que envolve caroços de fezes duros e separados, difíceis de passar pelo reto), ao tipo 7 (que se refere à diarreia aquosa).

Os critérios do Roma IV descrevem os subtipos de SII de acordo com os dias em que uma pessoa apresenta movimentos intestinais (ou fezes) atípicos. 

Sendo que os subtipos de IBS que Roma IV define são os seguintes:

  • SII com Constipação predominante (SII-C): Mais de um quarto dos movimentos intestinais atípicos são fezes do tipo Bristol 1 ou 2 (ou seja, duras ou irregulares), e menos de um quarto tem fezes do tipo 6 ou 7 (ou seja, soltas ou aquosas). A pessoa também pode relatar que a maioria de seus movimentos intestinais anormais são do tipo constipados.
  • SII com Diarreia predominante (SII-D): Mais de um quarto dos movimentos intestinais atípicos são fezes do tipo Bristol 6 ou 7, e menos de um quarto tem fezes do tipo 1 ou 2. A pessoa relata que a maior parte de seus movimentos intestinais anormais são diarréia.
  • SII com hábitos intestinais Mistos (SII-M): Mais de um quarto dos movimentos intestinais atípicos são fezes do tipo Bristol 1 ou 2, e mais de um quarto tem fezes do tipo 6 ou 7. A pessoa relata que a maioria de suas fezes anormais alterna entre constipação e diarréia.
  • IBS não classificado (IBS-U): Quando a pessoa não pode categorizar com precisão seus hábitos intestinais em nenhum dos três grupos acima.

Como você pode ver, mesmo a classificação em subtipos é dependente dos sintomas.

E, enquanto o diagnóstico não acontece, é comum as pessoas sofrerem com esses sintomas, silenciosamente.

Mas será que muitas pessoas sofrem com essa condição? É isso que vamos ver agora.

Quão Comum É A Síndrome Do Intestino Irritável?

síndrome do intestino irritável mapa prevalência sii ao redor do mundo

Diversos estudos e pesquisas foram feitos para estipular a prevalência da SII.

Alguns estudos estimam que algo entre 7% e 21% da população nos Estados Unidos sofram com a SII — o número varia, dependendo dos critérios utilizados.

Uma cifra comum é de 12% das pessoas. [4]

Já no Brasil, estima-se que cerca de 10 a 15% dos brasileiros sofram com a síndrome do intestino irritável.

Isso é bastante coisa: 10% de prevalência significa que 1 a cada 10 pessoas têm essa condição.

E fica pior: algumas estimativas chegam a quase 25% da população, conforme imagem acima. [5]

Alguns dados deste mesmo levantamento concluem que:

  • A SII ocorre principalmente entre os 15 e 65 anos de idade.
  • Os pacientes costumam visitar o médico pela primeira vez entre os 30 e 50 anos.
  • Em alguns casos, os sintomas podem ser de longa data, tendo aparecido na infância. A prevalência é maior nas mulheres (embora este resultado não seja reproduzido em todos os países, como na Índia, por exemplo).
  • A prevalência estimada de SII em crianças é similar à dos adultos.

Numa escala global, uma meta-análise (um levantamento de vários estudos) estipulou uma presença de cerca de 11.2% da SII na população (cerca de 1 a cada 9 pessoas tendo essa síndrome).

E observou uma maior prevalência da SII em mulheres do que em homens — e também mais comum entre pessoas com mais de 50 anos. [6]

Ou seja: além de essa síndrome trazer sintomas desagradáveis, ela acaba sendo bastante comum na população em geral — inclusive naquelas pessoas que nunca recebem o diagnóstico.

Vamos entender o que acontece com quem tem SII: quais as consequências em termos de risco de câncer, e de perda de qualidade de vida.

Síndrome do Intestino Irritável Aumenta Risco De Câncer?

Existe um medo por parte de algumas pessoas de que, por terem Síndrome do Intestino Irritável, elas teriam maiores chances de contrair algum tipo de câncer — especificamente, câncer gastrointestinal.

No entanto, um estudo de 2022 investigou esta questão com base em um banco de dados do Reino Unido, com quase 450.000 participantes. [7]

O estudo os seguiu por uma média de 12 anos, e não identificou maiores chances de câncer entre quem sofria com SII.

Eles buscaram padrões inclusive por idade, por sexo, e estudaram tanto o câncer no geral quanto os cânceres gastrointestinais especificamente.

Após todos os levantamentos e processamentos de dados, os cientistas concluíram o seguinte.

Em comparação com a população em geral, pessoas com SII não têm maior risco de câncer. Por outro lado, ter SII está associado com um menor risco de câncer colorretal.”

Ou seja: ter SII não aumenta seu risco de câncer. No entanto, impacta a sua qualidade de vida.

Síndrome do Intestino Irritável: Consequências

Com o que vimos até agora, é fácil perceber o seguinte.

O principal problema de ter Síndrome do Intestino Irritável não é aumentar o risco de câncer nem nada assim.

E sim ter a sua qualidade de vida piorada.

Afinal de contas, ninguém quer ficar sofrendo e sentindo dores frequentemente, não é mesmo?

Além disso, um estudo de 2018 mostrou que 24% das pessoas com SII faltaram ao trabalho pelo menos uma vez por causa dos sintomas — e 87% delas tiveram menor produtividade devido aos problemas intestinais. [8] 

Os autores afirmam:

O comprometimento do trabalho é um grande problema em pacientes com SII. 

A própria SII e a gravidade dos sintomas, da fadiga e dos fatores psicológicos afetam a capacidade do paciente de estar presente, ativo e produtivo no trabalho.”

Um outro estudo observou a influência da SII nos transtornos de humor.

O estudo notou que ter Síndrome do Intestino Irritável pode aumentar seu risco de condições como:

  • Depressão,
  • Ansiedade,
  • Distúrbios do sono, ou
  • Transtorno bipolar.

Sendo que ter depressão e ansiedade podem piorar os sintomas da SII. [9]

Os pesquisadores concluem:

A SII pode aumentar o risco de transtorno depressivo, transtorno de ansiedade, transtorno do sono e transtorno bipolar. 

O risco de ter esses distúrbios é mais alto no primeiro ano após o diagnóstico da SII, mas permanece estatisticamente significativo por mais de 5 anos.”

Resumindo: Ter SII piora significativamente sua qualidade de vida. 

Além de os sintomas como gases, inchaço, dores abdominais, dificuldade de ir ao banheiro, dentre outros, não serem nada agradáveis…

Ter SII ainda afeta sua produtividade e pode predispor a transtornos de humor.

Agora, imagine que essa síndrome tivesse cura: você estaria interessado(a) nisso?

Síndrome do Intestino Irritável Tem Cura?

Infelizmente, a ciência atual não tem uma cura para a SII.

Portanto, todos os tipos de tratamentos existentes focam no alívio dos sintomas.

Talvez você saiba, talvez não, mas boa parte da medicina atual foca muito em remédios — e pouco em alterações de estilo de vida.

Por isso, boa parte das pessoas que recebem o diagnóstico da SII acaba recebendo uma extensa lista de medicações.

Síndrome do Intestino Irritável: Remédios comuns

Nesta lista de remédios, é comum encontrar:

  • Antidepressivos: para lidar com ansiedade, stress e depressão, que podem agravar os sintomas da SII.
  • Antidiarreicos: afetam os músculos no seu trato gastrointestinal, e têm por objetivo evitar diarréias.
  • Antiespasmódicos: têm como objetivo diminuir as cólicas típicas da SII.
  • Sequestrantes de ácidos biliares: podem ser usados quando os antidiarreicos não parecem surtir efeitos. Podem causar sintomas opostos aos que tentam evitar (cólicas, inchaço, flatulências, e constipação)
  • Suplementos de fibra: têm como objetivo aumentar o volume das fezes, e ajudar a tratar a constipação. Nem sempre eles funcionam (a nutricionista Andrea Bisi explicou que seria o equivalente a “tentar resolver um engarrafamento de trânsito colocando mais carros na via”).
  • Laxativos: A ideia é tratar a constipação, mesmo que às custas da sua microbiota intestinal. 
  • Probióticos: Alguns tipos de probióticos parecem ajudar em alguns casos, enquanto outros probióticos podem até mesmo fazer mal e piorar os sintomas. Expliquei no vídeo acima.

Talvez você já saiba disso, mas é importante notar que todos estes medicamentos têm efeitos colaterais, e seu uso a longo prazo traz consequências negativas para a saúde.

Além disso, perceba que nenhum desses remédios trata a Síndrome do Intestino Irritável em si. 

Desta forma, você começa a tomar os remédios, mas não tem um horizonte de tempo para parar de ingeri-los: muitas pessoas os consomem quase diariamente, até o fim da vida.

(O que é bastante bom para as indústrias que produzem os remédios, e não tão bom assim para as pessoas que os tomam.)

No entanto, também existem algumas alterações de estilo de vida que podem ajudar quem sofre com os sintomas da SII.

Síndrome do Intestino Irritável: Alterações de estilo de vida

Dentre as alterações de estilo de vida que ajudam a aliviar os sintomas da Síndrome do Intestino Irritável, temos:

  • praticar exercícios físicos,
  • ajustar e/ou moderar a ingestão de cafeína,
  • gerir o stress corretamente,
  • evitar óleos vegetais refinados,
  • cuidar do sono (tanto em qualidade quanto em quantidade),
  • moderar a ingestão de bebidas alcoólicas, e mesmo
  • parar de fumar,

dentre outras.

A verdade é que algumas dessas medidas são ideais para a saúde do ser humano como um todo.

Afinal de contas, praticar exercício, dormir bem, gerir o stress e não fumar são medidas necessárias para praticamente qualquer pessoa que deseja viver uma vida saudável.

(E elas afetam grandemente o intestino.)

Ao mesmo tempo, existe uma medida complementar que pode ser o maior divisor de águas em termos do fim dos sintomas intestinais.

Com elas, nós já vimos pessoas que tomavam mais de uma dezena de medicações todas as semanas, reduzindo os remédios para praticamente zero.

(Com a permissão e surpresa de seus médicos, claro.)

E o melhor: enquanto pararam de sofrer com os sintomas da SII.

Estou falando do poder da alimentação.

Mais especificamente: de uma dieta amiga do intestino.

Síndrome Do Intestino Irritável: Dieta Pode Aliviar Os Sintomas Da SII

Se, por um lado, a síndrome do intestino irritável até hoje não tem cura…

Por outro, existe uma estratégia alimentar que se provou a mais eficiente de todas no tratamento dos sintomas.

Estamos falando da dieta baixa em FODMAPs.

(Os FODMAPs são, resumidamente, alguns tipos de carboidratos que fermentam no seu intestino.)

Esta abordagem não é muito conhecida pelo público leigo — e mesmo muitos médicos, em plena década de 2020, ainda não estão familiarizados com essa estratégia.

No entanto, a dieta baixa em FODMAPs é considerada por muitos como a melhor dieta para tratar a SII.

Por exemplo, uma revisão de estudos avaliou toda a evidência disponível a respeito da abordagem baixa em FODMAPs para tratar questões de funcionamento intestinal. [10]

E os cientistas concluíram de maneira clara e inequívoca:

A dieta baixa em FODMAP é uma abordagem efetiva para a gestão de pacientes com problemas funcionais intestinais. A base de evidências é suficientemente forte para recomendar sua ampla aplicação.”

E note: esta revisão de estudos é de 2010: mais de uma década se passou desde que isso foi publicado.

Há quanto tempo você vem sofrendo com sintomas intestinais?

Outra meta-análise de 2017, que avaliou o impacto da dieta baixa em FODMAPs especificamente no contexto da SII, observou que as pessoas na dieta baixa em FODMAP tinham menos dor abdominal, menos gases, e menos inchaço do que aquelas numa dieta regular. [12]

Estes são apenas alguns estudos falando sobre o assunto — mas a literatura científica é ampla em exemplos.

E cada vez mais pessoas mundo afora têm conseguido dar fim aos sintomas desagradáveis da SII, e aumentar sua qualidade de vida, com uma estratégia 100% comprovada pela ciência.

A dura verdade é que o conhecimento científico já existe.

No entanto, ele não é bem distribuído para as pessoas.

E por quê?

Por alguns motivos, como:

  • a linguagem é difícil, 
  • as formas como os estudos são desenhados são muitas, 
  • as evidências científicas seguem uma hierarquia própria, e
  • ainda é preciso saber interpretar os resultados.

Nós simplificamos este processo para você: criando uma estrutura de 3 fases que vai te ajudar a colocar fim aos sintomas da SII em pouco tempo.

Toque aqui para conhecer o Sistema do Intestino Inteligente.

Talvez sua reação seja de frustração ao descobrir que a solução dos seus sintomas intestinais já existe há anos.

Mas eu penso que este é um motivo de alegria: agora você tem conhecimento dela, e pode liberar seu acesso a um programa completo em questão de poucos minutos.

Saiba como fazer isso nesta página aqui.

E tenho mais uma boa notícia para você: os resultados deste programa são tão fortes que você verá melhoras em pouco tempo.

Dieta Para A Síndrome do Intestino Irritável: Quanto Tempo Até Ver Resultados

Muita gente começa uma mudança de estilo de vida esperando mudanças “do dia para a noite”.

Obviamente, regenerar o intestino e recuperar o bom funcionamento intestinal por completo não acontece em um ou dois dias.

No entanto, o alívio dos sintomas pode vir rapidamente sim.

Porque os estudos mostram que, após seguir uma dieta baixa em FODMAP, os resultados vêm com consistência e rapidez. 

Por exemplo, um levantamento brasileiro observou o seguinte. [11]

A melhora sintomática pode ser observada entre uma a oito semanas após a introdução da dieta com reduzida quantidade de FODMEPs.”

Ou seja: entre 1 e 8 semanas os sintomas já estavam bem melhores.

Mas as primeiras mudanças têm efeito em questão de um ou dois dias.

O mesmo estudo nota:

Após 24 a 48 horas do início da dieta, tanto portadores da SII como pessoas saudáveis experimentam diminuição na produção de gases colônicos.”

Ou seja: se você está sofrendo com gases, distensão, refluxo, ou outros problemas gastrointestinais…

Então remover os FODMAPs da sua alimentação pode ser uma medida poderosa para trazer alívio quase que imediato.

Resumindo: Não podemos prometer a você que você terá melhora completa em um único dia.

Até porque, dependendo do estado do seu intestino, é normal precisar de algumas semanas para sua recuperação.

Mas é possível ver melhoras quase que imediatas, dia após dia, enquanto você segue um Sistema comprovado para regenerar seu intestino.

Síndrome Do Intestino Irritável: Conclusão E Palavras Finais

Neste artigo, você teve uma visão geral sobre o que a ciência sabe sobre a Síndrome do Intestino Irritável.

Se leu o artigo completo, você aprendeu:

  • O que é a Síndrome do Intestino Irritável,
  • Quais os sintomas dessa condição,
  • Como é feito o diagnóstico da SII (critérios ROMA),
  • Os 4 subtipos de SII,
  • Quão comum é a Síndrome do Intestino Irritável (isto é, sua prevalência),
  • A estranha relação entre a SII e o câncer gastrointestinal,
  • Se a SII tem cura,
  • Quais os remédios comumente usados no tratamento dos sintomas da SII,
  • Algumas medidas de estilo de vida que podem ajudar a aliviar os sintomas e,
  • Qual a poderosa dieta que põe fim ao desconforto e aos sintomas desagradáveis da SII, e
  • Em quanto tempo você verá resultados ao seguir essa estratégia.

Se aprender tudo isso fez sentido para você, eu tenho um convite para te fazer.

Acontece que começamos a estudar sobre este assunto faz alguns anos — motivados pelo terrível prognóstico de a mãe do Guilherme ter de passar por uma cirurgia.

E, quanto mais estudamos sobre o intestino e a saúde intestinal, mais descobrimos que havia bastante literatura científica sobre o assunto.

Mas nunca encontramos um programa passo a passo — muito menos em português. 

Então, aprofundamos nossos estudos — e criamos o Sistema do Intestino Inteligente.

A ideia é simples: ser um Guia Definitivo Para Curar Seu Intestino.

E, de bônus, ressignificar a sigla SII: de Síndrome do Intestino Irritável (algo desagradável) para Sistema do Intestino Inteligente (seu novo modo de se alimentar).

Este é um exclusivo sistema de 3 fases para regenerar seu intestino, reintroduzir alimentos, e refinar seu estilo de vida.

Você vai curar seu intestino e se livrar dos sintomas desagradáveis com este método passo a passo, comprovado pela ciência.

Atualmente, já temos mais de 1100 alunos satisfeitos, e quero convidar você a saber mais sobre esse projeto.

Saiba mais aqui.

Assista ao vídeo de apresentação, veja se faz sentido para você — e, se decidir colocar fim aos sintomas gastrointestinais da SII, faça sua inscrição.

(Estamos nas últimas semanas de valor promocional.)

Toque aqui e saiba mais.

Na página, você também vai ver os bônus que preparamos para você — bem como os relatos de quem já participou do programa.

Toque aqui para ver agora.

Em prol da sua saúde!

Forte abraço,
— Guilherme e Roney

Referências E Estudos Científicos

Alguns dos estudos e evidências científicas usadas para a elaboração do artigo estão elencadas abaixo. 

Ao longo do artigo, usamos os [colchetes] para referenciar a cada uma delas.

O nosso programa completo Sistema do Intestino Inteligente também é baseado em evidências científicas, e vai te ajudar a recuperar a saúde intestinal em poucas semanas.

  1. Weaver, K. R., Melkus, G. D., & Henderson, W. A. (2017). Irritable Bowel Syndrome. The American journal of nursing, 117(6), 48–55. https://doi.org/10.1097/01.NAJ.0000520253.57459.01 
  2. Drossman D. A. (2016). Functional Gastrointestinal Disorders: History, Pathophysiology, Clinical Features and Rome IV. Gastroenterology, S0016-5085(16)00223-7. Advance online publication. https://doi.org/10.1053/j.gastro.2016.02.032 
  3. Rome IV Criteria (2016). The Rome Foundation, https://theromefoundation.org/rome-iv/rome-iv-criteria/ 
  4. Chey, W. D., Kurlander, J., & Eswaran, S. (2015). Irritable Bowel Syndrome: A Clinical Review. JAMA: the Journal of the American Medical Association, 313(9), 949–958. http://doi.org/10.1001/jama.2015.0954 
  5. World Gastroenterology Organisation Global. Síndrome do intestino irritável: uma perspectiva mundial; 2014. http://www.worldgastroenterology.org/assets/downloads/pt/pdf/guidelines/20_irritable_bowel_syndrome_pt.pdf 
  6. Lovell, R. M., & Ford, A. C. (2012). Global prevalence of and risk factors for irritable bowel syndrome: a meta-analysis. Clinical gastroenterology and hepatology : the official clinical practice journal of the American Gastroenterological Association, 10(7), 712–721.e4. https://doi.org/10.1016/j.cgh.2012.02.029 
  7. Wu, S., Yuan, C., Liu, S., Zhang, Q., Yang, Z., Sun, F., Zhan, S., Zhu, S., & Zhang, S. (2022). Irritable Bowel Syndrome and Long-Term Risk of Cancer: A Prospective Cohort Study Among 0.5 Million Adults in UK Biobank. The American journal of gastroenterology, 117(5), 785–793. https://doi.org/10.14309/ajg.0000000000001674 
  8. Frändemark, Å., Törnblom, H., Jakobsson, S., & Simrén, M. (2018). Work Productivity and Activity Impairment in Irritable Bowel Syndrome (IBS): A Multifaceted Problem. The American journal of gastroenterology, 113(10), 1540–1549. https://doi.org/10.1038/s41395-018-0262-x 
  9. Lee, Y. T., Hu, L. Y., Shen, C. C., Huang, M. W., Tsai, S. J., Yang, A. C., Hu, C. K., Perng, C. L., Huang, Y. S., & Hung, J. H. (2015). Risk of Psychiatric Disorders following Irritable Bowel Syndrome: A Nationwide Population-Based Cohort Study. PloS one, 10(7), e0133283. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0133283 
  10. Gibson, P. R., & Shepherd, S. J. (2010). Evidence-based dietary management of functional gastrointestinal symptoms: The FODMAP approach. Journal of gastroenterology and hepatology, 25(2), 252–258. https://doi.org/10.1111/j.1440-1746.2009.06149.x 
  11. Dieta restrita de FODMEPs como opção terapêutica na síndrome do intestino irritável: revisão sistemática. 2015. http://sbhepatologia.org.br/pdf/2015_edicao1_artigo6.pdf 
  12. Altobelli, E., Del Negro, V., Angeletti, P. M., & Latella, G. (2017). Low-FODMAP Diet Improves Irritable Bowel Syndrome Symptoms: A Meta-Analysis. Nutrients, 9(9), 940. https://doi.org/10.3390/nu9090940 

2 comentários em “Síndrome do Intestino Irritável: O que É, Sintomas, Diagnóstico, E Dieta Para Aliviar Os Sintomas da SII”

  1. Melhor vídeo auto explicativo que já vi até hoje, de todos os sintomas q foram ditos eu sinto todos e realmente vi dicas e curiosidades que nenhum médico tinha me dito até hoje. Gostaria de ver mais vídeos desses dando dicas de alimentação o q pode ou o q não pode e medicação para aliviar essa triste doença 😔

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.