Stevia – O Que É, Benefícios, E Onde Comprar O Adoçante Estévia

Este artigo sobre o adoçante estévia (ou stevia) foi traduzido, adaptado e finalizado por Guilherme Torres e Roney Fernandes.

O texto original é da nutricionista Rachel Link, e está aqui.

Você talvez já tenha ouvido falar no Stevia (ou estévia ou mesmo stevita).

Este adoçante low-carb ganhou fama por ser um substituto do açúcar que é ao mesmo tempo seguro e saudável.

E que pode trazer a você toda a delícia do sabor doce — sem os malefícios à saúde associados ao açúcar refinado.

Isto é: ao consumir stevia em vez de açúcar você terá:

  • menor ingestão calórica,
  • menores picos de glicemia no sangue, e
  • menor risco de cáries.

No entanto, algumas pessoas ficam em dúvida sobre se o adoçante stevia é realmente seguro.

Ou se o stevia faz mal.

Por isso, leia este artigo até o final.

Pois assim você vai saber exatamente:

  • o que é e como é feito o adoçante stevia,
  • se o stevia é seguro (e vamos ver para quais pessoas ele pode ser),
  • os benefícios do stevia para a saúde,
  • os malefícios (ou efeitos colaterais) do stevia, e até mesmo
  • como usar e onde comprar o adoçante stevia.

Vamos começar do começo: examinando o que é o stevia.

O Que É Stevia

Stevia é um adoçante natural, derivado das folhas de uma planta que também se chama stevia.

(O nome científico da planta é Stevia rebaudiana.)

Ele começou a ser explorado porque tem zero calorias.

E, ao mesmo tempo, é cerca de 200 vezes mais doce que o açúcar.

Por isso, seu uso como adoçante se popularizou bastante — especialmente para pessoas que desejam emagrecer e consumir menos açúcar.

O stevia também parece ter diversos benefícios para a saúde.

Dentre eles, parece diminuir os níveis de açúcar no sangue, e mesmo abaixar o colesterol.

No entanto, nem todos os produtos de stevia que você vê à venda por aí são iguais.

Isso acontece tanto porque a qualidade da matéria-prima varia.

Quanto porque existem várias formulações que misturam stevia a outras substâncias.

Alguns aditivos comuns são:

Dentre outros.

E é claro: dependendo do que se misturar à stevia, seus efeitos na saúde vão ser diferentes.

Resumindo: O stevia é um adoçante natural, extraído de uma planta. Ele é muito mais doce que o açúcar, e não tem calorias.

Stevia — Diferentes Versões Deste Adoçante

O stevia pode ser encontradas em diferentes versões, sendo que no Brasil as mais comuns são:

  • líquido,
  • em pó, e
  • folha de stevia desidratada em pó.

Vamos ver mais detalhadamente cada uma dessas formas do stevia (que também pode ser comercializada com o nome “stevita”).

Stevia líquida — versão em gotas

Essa é sem dúvidas uma das versões mais comumente encontrada.

Sendo que ela pode ser adquirida até mesmo em mercados e farmácias, com um custo não muito elevado.

Geralmente, essa apresentação do stevia conta apenas com glicosídeos de steviol (uma forma de stevia) dissolvida em água.

Isto é: ela não tem em sua composição espessantes ou outros tipos de adoçantes.

Stevia em pó — versão em sachê

A versão em sachês do stevia também pode ser encontrada facilmente em diversos mercados e farmácias pelo Brasil.

Porém, essa forma de stevia requer mais atenção no momento da compra.

Isso porque muitas vezes os sachês podem ser compostos também por outros adoçantes — com os quais algumas pessoas podem não lidar bem.

Isso pode incluir adoçantes artificiais como a sucralose, ou açúcares de álcool como o maltitol.

Ou ainda: pode haver adição de lactose (e outros ingredientes) para deixar o adoçante granulado.

Por isso, se for optar por comprar stevia em sachês, verifique sua composição e certifique-se de não ter intolerância a nenhum de seus ingredientes.

Stevia in natura — folha desidratada em pó

Mais recentemente, começou a ser comercializada no Brasil uma versão ainda mais natural do stevia — mais “pura”, digamos assim.

Trata-se da sua folha desidratada e em pó.

Essa certamente é a versão mais próxima da natureza que você vai encontrar para comprar stevia.

Particularmente, até hoje só a encontramos para ser vendida pela internet (continue lendo para ver nossas dicas de onde comprar stevia).

Resumindo: Como a ideia não é consumir um monte de adoçante o tempo todo (e sim usar um pouco ocasionalmente), não deve fazer tanta diferença assim a versão que você comprar.

Fazendo esse uso consciente, você pode se sentir livre para optar pela forma que você gostar mais — e que caiba no seu bolso.

A versão desidratada parece ser a menos processada de todas.

E a versão líquida (que geralmente conta com a forma de glicosídeos de steviol) é a mais estudada cientificamente — sendo comprovadamente segura.

Além de não ter aditivos (como lactose ou outros carboidratos) — que seria o caso da versão em pó.

E, falando em aditivos, existem versões de adoçantes com stevia que simplesmente exageram neles.

Vamos ver agora um cuidado importante que você tem de ter ao comprar adoçante stevia.

Cuidado Especial — Adoçante Forno & Fogão Com Stevia

Os adoçantes do tipo “forno e fogão” em geral não são bons alimentos para quem está querendo emagrecer ou combater doenças como o diabetes tipo 2.

(Na verdade, não são boas opções para qualquer pessoa que queira seguir uma dieta baixa em carboidratos.)

Isso porque eles tende a ser compostos em grande parte por maltodextrina.

A maltodextrina é um tipo de carboidrato de rápida absorção que não tem sabor doce, mas que é tão calórico quanto o açúcar comum.

Além de também elevar os níveis de glicemia e insulina no sangue.

Então, esse adoçante geralmente conta com a stevia (por vezes acrescida de outros edulcorantes) para conferir o dulçor.

E a maltodextrina tem a função de dar a textura necessária a esse produto.

Desse modo, trocar o açúcar de mesa por adoçante forno e fogão com stevia acaba sendo uma troca ruim.

Porque você continua tendo os malefícios do açúcar (efeito da maltodextrina).

Enquanto usa o stevia como adoçante sem ter outros benefícios.

Isso se nem mesmo considerarmos que talvez esse produto leve outros aditivos em sua formulação.

Sendo assim, o adoçante tipo forno & fogão não é uma opção adequada para uma dieta baixa em carboidratos.

Sendo mais inteligente optar por adoçantes como o xilitol e o eritritol na confecção de receitas low-carb.

Resumindo: não torne o stevia a base a da sua dieta e você não terá que se preocupar muito na hora de escolher qual versão adquirir — fique com aquela que você mais gostar.

No entanto, os adoçantes adoçantes do tipo “forno e fogão” não são boas opções para dietas restritas em carboidratos.

Sendo que o eritritol e o xilitol são opções bem superiores para receitas low-carb — inclusive por não deixarem o retrogosto amargo que é característico do stevia.

(Continue lendo o artigo para entender melhor essa questão do retrogosto do stevia e sua relação com as receitas.)

Mas será que trocar o açúcar por stevia realmente é algo seguro para a saúde?

Adoçante Stevia É Seguro?

A maior parte das pesquisas científicas foi feita com os extratos refinados de stevia — versões como aquelas presentes no adoçante stevia em gotas.

E essas pesquisas mostram que o stevia é seguro para consumo humano.

Curiosamente, as versões mais “puras” de stevia (como a folha da planta stevia em si) não são tão estudadas nem classificadas como seguras por órgãos como a FDA americana (organização que faz as leis sobre produtos alimentares nos Estados Unidos).

Justamente por isso, pode ser mais difícil encontrá-las.

As agências regulatórias internacionais tendem a definir a ingestão diária máxima de stevia na ordem de 4 mg por kg de peso.

Isso é bastante stevia: o que significa que você dificilmente vai ingerir tanto stevia assim — não importa quantos cafezinhos, chás e sobremesas low-carb resolva consumir no seu dia.

Resumindo: O stevia disponível comercialmente foi amplamente estudado, e é considerado seguro.

No entanto, vamos ver agora alguns grupos especiais que talvez desejem prestar mais atenção em sua ingestão de stevia.

Stevia E Sua Adequação Para Populações Específicas

Como vimos, o stevia é seguro para a população em geral.

No entanto, talvez esse adoçante sem calorias cause efeitos diferentes em alguns tipos de pessoas.

Vamos ver algumas condições comuns que merecem atenção especial quando falamos sobre o consumo de stevia.

Stevia e diabetes

A stevia é possivelmente muito útil para quem tem diabetes.

No entanto, você tem de tomar cuidado com qual tipo de stevia vai escolher.

Isso acontece porque a stevia pode ser uma maneira fácil e segura de melhorar o controle da glicemia sanguínea em pessoas com diabetes tipo 2.

Inclusive, um estudo com diabéticos mostrou que consumir stevia junto a uma refeição levou a menores níveis de glicose no sangue quando comparados ao grupo controle (que ingeriu amido de milho).

(O que nos leva à conclusão de que trocar adoçantes cheios de carboidratos por stevia pode ser algo positivo para pessoas diabéticas.)

Além disso, um estudo de 8 semanas em ratos com diabetes mostrou que o extrato de stevia diminuiu os níveis de açúcar no sangue, e também de hemoglobina glicada (HbA1C, um importante marcador para diabéticos) em mais de 5% —  quando comparado aos ratos que ingeriram uma dieta controle.

No entanto, lembre-se de que não existe “pílula mágica” — e que a adição de nenhum tipo de adoçante vai ser mais importante do que retirar alimentos que possam estar atrapalhando e agravando sua condição.

(Como os carboidratos refinados, por exemplo.)

Além disso, conforme falamos anteriormente, alguns adoçantes populares podem conter outros tipos de substâncias juntamente com a stevia — como dextrose e maltodextrina.

E essas substâncias podem elevar os níveis de glicemia no sangue.

Por isso, se você optar por usar stevia, vale a pena ficar atento aos produtos que está consumindo.

E, é claro: você deve pensar todas essas decisões junto ao seu médico de confiança.

Resumindo: O stevia em si parece ser seguro para diabéticos.

No entanto, cuidado com algumas formulações à venda — pois elas podem conter outras substâncias que não são positivas para pessoas com diabetes.

Stevia e gravidez

Não existem muitas evidências que falem do consumo de stevia durante a gravidez.

No entanto, estudos feitos em animais mostram que esse adoçante não impacta negativamente a fertilidade nem os resultados de gravidez quando usado com moderação.

(Os estudos usaram a forma de glicosídeos de steviol, a mais comum.)

Além disso, várias agências reguladoras consideram que os glicosídeos de steviol são seguros para pessoas adultas, inclusive durante a gestação.

Sendo que existe pouca pesquisa sobre o uso da folha de stevia em si, assim como sobre o extrato de stevia.

Por isso, parece ser mais seguro consumir a forma de stevia que já foi pesquisada e ratificada pelas agências competentes.

Resumindo: Se quiser consumir stevia durante a gravidez, opte pelos produtos com glicosídeos de steviol, em vez de usar a folha em si.

E claro: somente com o aval do seu médico.

Relacionado: a Dra. Teresinha Souto falou sobre alguns cuidados alimentares durante a gravidez.

Stevia e crianças

O uso de stevia pode ajudar na redução do consumo de açúcar — o que pode ser especialmente benéfico no caso das crianças.

De acordo com a Associação Americana Do Coração (American Heart Association — AHA), um maior consumo de açúcar aumenta o risco de doença cardíaca em crianças.

O que acontece tanto porque o consumo exagerado de açúcar altera os níveis de triglicerídios no sangue, quanto porque contribui para o ganho de peso.

Sendo que trocar o açúcar por stevia na alimentação dessas crianças pode diminuir bastante esses riscos.

De toda forma, é sempre importante monitorar a quantidade de stevia ingerida por elas — evitando exageros.

Isso porque é muito mais fácil para as crianças atingir o limite diário de ingestão de stevia, (de cerca de 4 mg por kg de massa corporal), do que para os adultos — que são bem mais pesados.

Portanto, limitar o consumo de alimentos adoçados com stevia ou outros adoçantes, como o próprio açúcar, pode ajudar a prevenir seus efeitos indesejados.

E ainda pode ajudar na melhora da sua saúde como um todo.

Resumindo: Crianças devem comer comida de verdade, e não um monte de doces (sejam eles adoçados com açúcar ou com stevia).

Mas o stevia parece ser seguro para elas também.

Olhando para esses grupos, podemos concluir que o consumo de stevia tende a ser menos desfavorável que o consumo do açúcar — para praticamente qualquer tipo de pessoa.

Efeitos Colaterais Do Uso De Stevia

Ainda que seja geralmente como um adoçante seguro, o stevia pode causar alguns efeitos colaterais indesejados em algumas pessoas.

Por exemplo, uma revisão observou que adoçantes sem calorias podem causar alterações na flora intestinal.

Sendo que a flora intestinal exerce papel importante na prevenção de doenças, função digestiva, e imunidade.

(A Dra. Ana Martha Moreira, especialista em intestino, já alertou sobre isso.)

Sendo que outro estudo, feito com 893 pessoas, mostrou que variações nas populações de bactérias intestinais poderia ser algo perigoso.

Por impactar negativamente alguns fatores de risco para doenças cardíacas, como peso, triglicerídeos e níveis de HDL (“colesterol bom”).

E ainda: algumas pesquisas sugerem que o consumo de “adoçantes sem calorias” (como o estévia) poderiam levar a uma elevação no consumo de calorias ao longo do dia.

Nesse ponto, um estudo realizado com 30 homens chegou à conclusão de que bebidas adoçadas com stevia levou os participantes a comerem mais no restante do dia — quando em comparação com aqueles que beberam bebidas adoçadas com açúcar.

E uma revisão de sete estudos descobriu que a consumir adoçantes sem calorias rotineiramente contribuiu para um aumento no peso e na circunferência abdominal ao longo do tempo.

Adicionalmente, alguns produtos com stevia levam também açúcares de álcool, como o sorbitol e o eritritol, que podem causar problemas digestivos em indivíduos sensíveis.

Por fim, o stevia ainda pode levar a uma redução da pressão arterial, o que pode interferir no uso de medicações para tratar essas condições.

(Ou seja: se você toma remédios para a pressão, fale com seu médico.)

Para melhores resultados, modere sua ingestão e considere reduzir o consumo de stevia se você sentir qualquer tipo de efeito adverso.

Resumindo: Existem evidências de que adoçantes sem calorias podem alterar sua flora intestinal — o stevia talvez tenha esse efeito.

Além disso, alguns estudos sugerem que o consumo desse tipo de adoçante pode levar a uma maior ingestão de calorias, o que levaria ao ganho de peso ao longo do tempo.

Quando Usar Stevia

Se você leu atentamente até agora, entendeu que o stevia é seguro, e bastante doce.

Isso faz do stevia um adoçante ideal para ocasiões em que você não quer adicionar volume ao que estiver ingerindo — como no caso de bebidas como drinks, chás e cafés.

(Embora você realmente vá se beneficiar ao aprender a tomar café sem adoçar.)

No entanto — justamente por ser bastante doce — ele nem sempre funciona bem para receitas.

Pois, no caso de receitas tradicionais que você busque adaptar (como pudim, brigadeiro, quindim, e outras), muitas vezes o açúcar pode ser utilizado para dar textura também — e não apenas dulçor.

(Nesses casos, o campeão acaba sendo o xilitol — que pode ser usado na mesma quantidade que usaria o açúcar, mas sem os picos de glicemia e insulina.)

Por fim, vale ressaltar que muitas pessoas não gostam do stevia — pois elas identificam um retrogosto amargo que fica presente sempre que ele é usado.

Enquanto outras pessoas simplesmente não se incomodam com esse sabor.

O único jeito de saber qual desses dois tipos de pessoa é você é testando.

Resumindo: O stevia vai muito bem para adoçar bebidas, como chás e café, mas nem tão bem assim para receitas.

Para a maioria das receitas low-carb, preferimos utilizar os adoçantes xilitol e eritritol.

Além disso, algumas pessoas podem ser mais sensíveis, e acabam por não gostar do retrogosto amargo que o stevia tende a deixar (o famoso “gosto de adoçante”).

Onde Comprar Adoçante Stevia

O adoçante stevia está cada vez mais popularizado.

Por isso, é possível encontrá-lo em lojas de produtos naturais, mercados, armazéns, e até mesmo farmácias.

Sendo que a versão líquida e a versão em sachê (que geralmente conta com aditivos) são as mais comuns de se encontrar.

Pessoalmente, nós obtemos todos os nossos adoçantes (na verdade, todos os ingredientes, como farinhas low-carb) da loja Tudo Low-Carb.

Pois os preços são bons e os produtos são todos de alto nível — inclusive contando com laudo técnico para atestar pela qualidade dos mesmos.

No momento em que escrevemos este artigo, eles têm todas as versões do adoçante stevia em estoque:

Enfim, recomendamos a loja Tudo Low-Carb porque conhecemos e confiamos em sua qualidade.

Mas, sinceramente: os adoçantes de stevia em gotas podem ser facilmente encontrados em outros pontos de venda (possivelmente mais próximos da sua casa).

Stevia — Palavras Finais Sobre O Adoçante Estévia

Como você deve ter percebido ao longo do texto, o stevia é um adoçante natural ligado a inúmeros benefícios (incluindo uma diminuição na pressão arterial).

Sendo que o consumo de seu extrato refinado é considerado seguro para o seres humanos.

Ainda que faltem mais pesquisas certificando a segurança do consumo das folhas de stevia in natura.

Quando usado em moderação, o stevia está associado a pouquíssimos efeitos colaterais indesejados, e pode ser um ótimo substituto para o açúcar.

Mas, de toda forma, tenha em mente a seguinte ideia.

Nenhum tipo de adoçante deve ser a base sua dieta.”

Pois sua lista de compras saudável deve ser baseada em carnes, ovos, legumes, frutas e boas gorduras.

E a inclusão de adoçantes saudáveis serve, principalmente, para uso inteligente e ocasional.

Pessoalmente, é assim que encaramos o uso dos adoçantes.

E agora queremos saber de você: você usa stevia?

Como utiliza? Usa para adoçar bebidas… ou para receitas low-carb?

Comente aqui embaixo nos contando — adoramos conversar com você!

Referências

Para facilitar a leitura, agrupamos aqui as referências científicas citadas ao longo do texto original.

  1. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4890837/
  2. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/14681845/
  3. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23631998
  4. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26400114
  5. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2900484/
  6. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6064095/
  7. https://www.fda.gov/aboutfda/transparency/basics/ucm194320.htm
  8. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5591507/
  9. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29890969
  10. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4940893/
  11. https://pubchem.ncbi.nlm.nih.gov/compound/Dextrose_monohydrate
  12. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4229159/
  13. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5365373/
  14. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4661066/
  15. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6033410/
  16. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4290017/
  17. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26358192
  18. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6073373/
  19. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27956737
  20. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5515645/
  21. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5093271/
  22. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25412840

4
Deixe um comentário

avatar
2 Tópicos da discussão
2 Respostas ao tópicos
0 Seguidores
 
Comentário mais recentes
Comentário mais quentes
3 Comentário dos autores
Guilherme e RoneyNilce LinsElber Sampaio Comentário recente dos autores
  Receba atualizações dos comentários  
mais novos mais antigos mais votados
Notifique-me de
Nilce Lins
Visitante
Nilce Lins

Bom dia. Que bacana, vocês responderam minhas dúvidas sobre a stévia aqui. Obrigada.

Guilherme e Roney
Visitante

Oi Nilce!

Estamos sempre a disposição por aqui. Forte abraço!

Elber Sampaio
Visitante
Elber Sampaio

Pessoal, bom dia!

Já tinha lido o post falando do xilitol e eritritol e esse acabou com o restante das dúvidas sobre adoçantes.

Eu comecei na Paleo/low carb ha quase 1 mês e sempre que faço alguma receitinha coloco mel de abelhas pra adoçar (geralmente bolinhos de caneca ou pães de frigideira) devido a um gosto pessoal pelo mel e aos inúmeros benefícios encontrados nele.

A dúvida é: ele é realmente permitido pela dieta Paleo/low carb? Tem algum post aqui sobre o mel?

Obrigado e parabéns pela riqueza e qualidade dos conteúdos!

Guilherme e Roney
Visitante

Fala Elber, tudo bom? Obrigado pelo seu comentário. Na verdade o mel é formado mais de 95% por açúcar. E infelizmente, não possui inúmeros benefícios. As vitaminas e minerais são encontrados em quantidades muito pequenas no mel, e certamente não trarão mais saúde a ninguém que já possui uma alimentação de qualidade. Para completar, o mel não é indicado em uma alimentação que visa a redução de carboidratos… afinal, ele é 95% carboidrato. Vemos algum sentido no consumo moderado dele apenas em pessoas saudáveis que não buscam a perda de peso. Nesse caso, na nossa opinião até é válido que… Read more »