Glicose Alta Pela Manhã — Por Que Acontece? Entenda O Fenômeno E Saiba O Que Fazer

Por que minha glicose fica mais alta pela manhã?”

Esta é uma pergunta relativamente comum.

Sendo que esta elevação da glicemia pela manhã acontece de maneira mais frequente em pessoas diabéticas.

Porém não apenas nelas — porque também pode acontecer em pessoas saudáveis.

E inclusive em pessoas que seguem uma dieta low-carb ou cetogênica.

Afinal de contas, são muitas as causas que podem levar à glicose alta pela manhã.

Por isso, recomendamos que leia o artigo até o final para saber exatamente:

  • O que realmente queremos dizer com “glicose alta”,
  • Quais são alguns sintomas e sinais de que sua glicose está muito alta,
  • Qual é a causa mais comum da glicose alta pela manhã,
  • Qual é outra possível causa de glicose alta (que acontece com diabéticos),
  • Os 3 fatores que podem influenciar seus níveis de glicose (mesmo se você estiver saudável), e
  • Poderosas mudanças de estilo de vida para você conversar com seu médico (que diminuem a necessidade de remédios).

Este é mais um artigo completo que trazemos para você de forma 100% gratuita aqui no Senhor Tanquinho.

Já são mais de 400 artigos aqui no site — e mais de 300 vídeos em nosso canal do YouTube.

Pode ser muita coisas para digerir.

Então, se quiser um resumo dos pontos mais importantes sobre sua saúde, convido você a receber em casa nosso livro físico Saúde Sem Mitos.

Nele, condensamos o conhecimento de 

Confira o conteúdo do livro + os bônus digitais que preparamos para você.

Além disso, se quiser mais um gostinho do nosso conteúdo gratuito antes de garantir seu exemplar do livro, saiba que você também pode nos acompanhar na nossa lista VIP de emails, e no nosso canal do Telegram.

Antes de mergulharmos nas explicações da glicose alta pela manhã, vamos entender o que é considerado glicose alta.

Glicose Alta — O Que É

Glicose alta — também chamada de hiperglicemia — é uma condição que afeta principalmente pessoas com diabetes.

Ela acontece por dois motivos principais, dependendo do tipo de diabetes que você tem.

  • Diabéticos tipo 1: neste caso, a hiperglicemia ocorre porque seu corpo não produz insulina (e a sua dosagem de insulina foi insuficiente).
  • Diabéticos tipo 2: neste caso, a hiperglicemia ocorre porque seu corpo está resistente à insulina.

Mas a hiperglicemia também pode afetar pessoas que não têm o diagnóstico de diabetes.

Isso pode acontecer em diversas situações, como:

  • você está doente,
  • você está sob um período de alto stress,
  • você está sob constante privação do sono,
  • você está com resistência à insulina (talvez ainda não diagnosticada).

Geralmente, o diagnóstico de “níveis normais de glicemia” é comparado com os seguintes valores de referência. 

  • níveis normais de glicemia: menores do que 100mg/dl,
  • níveis alterados (pré-diabetes): entre 100 e 125 mg/dl,
  • níveis elevados de glicemia (diabetes): maiores do que 126 mg/dl.

Estes valores se referem à glicose em jejum (no caso, “jejum” sendo definido como 8 ou mais horas sem se alimentar).

Note que o termo “pré-diabetes” indica um risco relativamente alto de desenvolver diabetes no futuro.

Mas a glicose em jejum não é o único critério diagnóstico para o diabetes.

Outros critérios incluem [1]:

  • Glicose maior ou igual a 200 mg/gl (medida 2h após a ingestão de glicose num teste de tolerância oral à glicose — a carga deve ser de 75g de glicose anidra dissolvida em água); ou
  • Num paciente com sintomas clássicos de hiperglicemia, uma medição aleatória de glicose no sangue maior ou igual a 200 mg/dl.

E quais são esses “sintomas clássicos de hiperglicemia”? É o que vamos ver a seguir.

Glicose Alta — Sintomas Comuns Da Hiperglicemia

Você provavelmente não vai apresentar sintomas de glicose alta no sangue a não ser que sua glicemia esteja bem elevada.

Esses sintomas podem ir se desenvolvendo ao longo do tempo — então, muitas vezes, demoramos a perceber que algo de errado está acontecendo.

Alguns sintomas clássicos podem incluir:

  • maior sede, o que pode levar a
  • maior frequência urinária,
  • visão borrada,
  • dores de cabeça,
  • fadiga,

dentre outros.

Quanto mais tempo você tiver glicose alta — sem tratá-la com medicamentos ou alterações alimentares — mais graves os sintomas tendem a se tornar.

Alguns sintomas mais sérios, que podem aparecer com o tempo, incluem:

  • vômito,
  • náusea,
  • boca seca,
  • falta de fôlego,
  • dores abdominais,

dentre outros.

E os níveis elevados de glicose no sangue, a longo prazo, podem levar a várias complicações.

Essas complicações incluem problemas na visão, no sistema nervoso, e no sistema cardiovascular.

Resumindo: A glicose alta geralmente é diagnosticada com o exame de glicemia em jejum. Níveis cronicamente elevados de glicose no sangue podem trazer muitas complicações a longo prazo.

Agora, vamos tratar especificamente da elevação da glicose na manhã.

Começando por uma das causas mais comuns — o “dawn phenomenon” ou fenômeno do amanhecer.

Glicose Alta Pela Manhã — O Fenômeno Do Amanhecer (Fenômeno Dawn Ou Fenômeno Do Alvorecer)

O fenômeno do amanhecer é uma elevação natural da glicose no sangue que acontece nas horas iniciais da manhã.

É por isso que ele recebe o nome de “fenômeno dawn” — que seria algo como “fenômeno do nascer do sol” ou “fenômeno do alvorecer”.

Esta mudança nos níveis de glicemia no sangue acontece como um efeito natural de alterações hormonais no corpo.

Na verdade, praticamente todas as pessoas passam pelo fenômeno do amanhecer de alguma forma.

No entanto, a maior parte das pessoas nunca nota isso — porque sua insulina ajusta esses níveis de glicemia naturalmente.

Fenômeno do amanhecer — Por que acontece?

Essa elevação de glicose matinal acontece porque o fígado libera mais glicose na corrente sanguínea.

Isso faz parte de uma resposta natural do nosso corpo, que está se preparando para acordar e viver mais um dia.

A verdade é que não costumamos pensar muito nesses termos, mas nosso corpo tem um relógio natural (o ciclo circadiano) que regula nossos hormônios.

Então, nos sentimos mais sonolentos ao anoitecer (uma maior pressão do sono) — o que envolve hormônios como melatonina, que nos ajuda a dormir melhor.

Tudo isso faz parte da regulação hormonal normal do nosso corpo.

Já pela manhã (geralmente entre as 5h e as 8h da manhã), nossos hormônios começam a nos preparar para despertar.

E parte desse processo envolve a liberação de glicose — pense nisso como uma reação natural do nosso corpo.

Pois não tem nada de particularmente “errado” nessa produção de glicose pelo fígado.

Só que existe uma diferença metabólica importante entre pessoas diabéticas e não-diabéticas.

Numa pessoa não-diabética, o corpo consegue manter os níveis de glicose estáveis, ao liberar insulina para regular a glicemia. [2]

Já numa pessoa com diabetes, o corpo não consegue produzir insulina para lidar com isso — ou não consegue utilizar essa insulina de maneira adequada.

(Sendo que o fenômeno dawn acontece tanto em diabéticos que usam insulina quanto naqueles que não a usam. [4])

Como resultado, essa pessoa diabética vai sentir os efeitos dos elevados níveis de açúcar no sangue pela manhã.

Na verdade, esse é o “fenômeno do amanhecer” — mas ele pode atrapalhar a regulação de glicose ao longo do dia todo.

Pois ele pode contribuir diretamente para os níveis máximos de glicose sanguínea no dia — e, em alguns casos, até mesmo para a hipoglicemia noturna. [5]

Resumindo: O fenômeno do amanhecer se refere a uma liberação de glicose pelo corpo nas primeiras horas da manhã. Ele acontece tanto com diabéticos quanto com não-diabéticos. Porém diabéticos são pessoas que não lidam bem com a glicose — e é isso que pode causar problemas.

No entanto, o fenômeno do amanhecer não é a única causa para glicose alta pela manhã. Vamos ver agora o fenômeno Somogyi.

Glicose Alta Pela Manhã — O Fenômeno Somogyi

O fenômeno Somogyi (comumente chamado efeito Somogyi) é outra causa possível de alto nível de açúcar no sangue pela manhã. 

Apesar de não ser consenso na comunidade científica, o fenômeno Somogyi acontece quando os níveis de glicose no sangue atingem valores muito baixos.

Ou seja: o efeito Somogyi pode ser encarado como uma reação a uma hipoglicemia.

Isso pode acontecer, por exemplo, quando uma pessoa toma uma dose muita grande de insulina antes de dormir.

Ou quando toma insulina (ou outro medicamento para baixar os níveis de açúcar no sangue) logo antes de dormir, mas sem ter comida nada antes. 

Nesses casos, o corpo responde liberando hormônio do crescimento, o que provocam o aumento dos níveis de açúcar. 

Isso faz com que a glicose sanguìnea seja mais elevado do que o normal pela manhã.

Geralmente, o efeito Somogyi é um sinal de mau controle do diabetes.

Qual a diferença entre os fenômenos do amanhecer e o Somogyi

A principal diferença entre eles é que o efeito Somogyi “começa” com uma diminuição nos níveis de glicose — hipoglicemia — seguida por uma hiperglicemia rebote.

Enquanto, no caso do fenômeno Dawn, esta hipoglicemia não ocorre.

Sendo assim, podemos dizer que o efeito Dawn geralmente acontece quando há “insulina de menos” — seja porque foi administrada em pouca quantidade, seja porque desaparece muito rapidamente.

Já o efeito Somogyi acontece quando o paciente usa “insulina de mais” — o que causa a hipoglicemia que dá início ao processo.

De acordo com algumas pesquisas, o fenômeno Dawn é mais comum entre crianças com diabetes tipo 1, embora também esteja presente em adultos diabéticos tipo 1 e tipo 2.

Já a existência do efeito Somogyi não está completamente provada, e é difícil avaliar sua prevalência.

Provavelmente, o efeito Somogyi era mais comum antigamente, quando os tratamentos com insulina não eram tão avançados — e se tendia a exagerar na dose da medicação.

Atualmente, a terapia com insulina está mais sofisticada, o que torna o efeito Somogyi mais infrequente. [6]

Estima-se que a maneira mais fácil de descartar o efeito Somogyi é fazendo verificações (por vários dias) nos níveis de açúcar no sangue:

  • na hora de dormir, 
  • por volta das 2 às 3 da manhã e 
  • logo após de acordar. 

Uma alternativa é optar por um monitor contínuo de glicose, que pode registrar os níveis de açúcar durante o dia e a noite.

Isso permite com que o usuário acompanhe as variações de glicemia no sangue, sem ter que ficar acordando para picar o dedo.

Ao fazer essas medições, existem dois resultados possíveis, que eles podem significar o seguinte:

  • Se o nível de açúcar no sangue estiver baixo entre 2 e 3 da manhã, é provável que o efeito Somogyi seja a causa.
  • Se o nível de açúcar no sangue estiver normal ou alto entre 2 e 3 da manhã, é mais provável que a causa seja o fenômeno do amanhecer.

Resumindo: Ambos os fenômenos são associados à glicose alta pela manhã, mas os mecanismos pelos quais isso acontece são distintos. O fenômeno Dawn é mais comum que o efeito Somogyi.

A melhor maneira de prevenir ambos os fenômenos é controlar adequadamente o seu diabetes, com o uso apropriado da insulina.

Glicose Alta Pela Manhã — Outras Possíveis Causas

Além do fenômeno do amanhecer e do efeito Somogyi, ainda existem outros fatores que podem levar a uma taxa de glicose sanguínea mais alta ao acordar.

E é sobre esses possíveis outros fatores que vamos falar agora.

O primeiro deles diz respeito a sua alimentação.

Glicose alta pela manhã — O efeito da dieta

É importante notar que os alimentos ingeridos em seu jantar pode afetar seus níveis matinais de glicose.

Por exemplo, uma refeição alta em carboidratos, ou comer doces antes de dormir, podem levar a níveis mais elevados de glicose sanguínea ao amanhecer.

Para manter os níveis de açúcar em seu sangue estáveis ao longo da noite toda, prefira basear seu jantar em proteínas, gorduras e fibras de qualidade.

E evite carboidratos que causem picos na glicemia sanguínea, como pães, doces e massas em geral.

Se quiser fazer algum lanche antes de dormir, opte por comida de verdade, pouco processada, e com baixo teor de carboidratos — como estes lanches baixos em carboidratos aqui.

Para algumas pessoas, comer um café da manhã baixo em carboidratos também ajuda na gestão da insulina — especialmente porque a sua glicose no sangue já está elevada, e você possivelmente tem maior resistência à insulina pela manhã.

Glicose alta pela manhã — O efeito dos medicamentos

Se o seu médico receitou algum tipo de medicamento para o açúcar no sangue, então, por favor, siga as recomendações de dosagem e tempo.

Tomar a dose errada — ou mesmo a dose certa, porém na hora errada — pode causar flutuações nos níveis de  açúcar no sangue.

E isso também pode ser uma causa da glicemia elevada pela manhã.

Glicose alta pela manhã — O efeito do estilo de vida

Praticar exercícios e perder peso (quando necessário) são duas das principais formas de melhorar o controle da glicemia em pessoas com pré-diabetes.

Mesmo uma simples caminhada após as refeições pode reduzir significativamente os níveis de açúcar no sangue.

E isso pode contribuir para uma melhor gestão da glicemia. 

Algumas pesquisas sugerem que caminhar 15 a 20 minutos após as refeições pode reduzir significativamente os níveis de glicose no sangue durante um período de 24 horas em pessoas com pré-diabetes e diabetes.

Estes achados são especialmente significativos para pessoas mais velhas (por exemplo, acima dos 60 anos de idade). [8] [9]

Além disso, uma boa noite de sono vai fazer maravilhas pela sua saúde. Dormir entre 6 a 8 horas por noite pode ajudar a diminuir os níveis de cortisol, e aumentar sua sensibilidade à insulina. [10]

Resumindo: Você pode melhorar significativamente o seu controle da glicose no sangue ao adotar medidas simples de estilo de vida, como

  • cuidar da alimentação,
  • emagrecer de maneira saudável,
  • praticar exercícios (simples caminhadas podem ajudar), e mesmo
  • usar as medicações da maneira conforme foram prescritas.

Tudo isso pode diminuir suas chances de acordar com uma alta glicose pela manhã.

Se você já tem diagnóstico de diabetes — e especialmente se usa medicamentos para fazer este controle — é fundamental conversar com seu médico antes de fazer alterações na sua rotina.

Porque ele vai poder te ajudar a entender quais alterações fazem mais sentido no seu caso específico.

Glicose Alta Pela Manhã — Conclusão E Palavras Finais

Existem várias possíveis causas para a glicose alta pela manhã — sendo que este fenômeno tende a acontecer mais frequentemente em pessoas com algum tipo de questão com a insulina — o que inclui diabéticos tipo 1, diabéticos tipo 2, e mesmo pessoas com pré-diabetes.

Além disso, um período complicado na vida de uma pessoa sem diabetes — como um período de privação do sono, ou de muito stress — pode levar a uma leitura alta da glicose matinal.

Porém, ao fim deste período, o esperado é que os níveis de glicose medidos de manhã voltem ao normal.

O fato é que — tanto para diabéticos quanto para adultos saudáveis — existem alterações de estilo de vida que podem ajudar a lidar com a glicose alta.

A prática de exercícios é uma dessas ferramentas — e cada vez mais profissionais usam estratégias como jejum intermitente e dietas low-carb ou mesmo cetogênicas para ajudar seus pacientes.

(Veja, por exemplo, o relato da Dra. Maíra Soliani sobre jejum intermitente para diabéticos.)

Caso você use medicamentos, é imperativo ter o acompanhamento médico em cada passo deste caminho — porque essas estratégias são tão poderosas que podem requerer um ajuste das medicações (diminuindo suas quantidades) logo nas primeiras semanas.

Caso contrário, hipoglicemia (quedas bruscas de açúcar no sangue) e hipotensão (níveis muitos baixos de pressão arterial) podem acontecer e colocar sua saúde em risco.

O fato é que, independentemente do caminho escolhido — medicações, alterações do estilo de vida, ou uma combinação de ambos — conhecer mais o seu corpo e se interessar pela própria saúde são ferramentas fundamentais para ter sucesso.

Você já teve experiências com glicose alta pela manhã? 

Sua glicemia continua elevada — ou você conseguiu reverter isso?

Deixe um comentário abaixo nos contando — seu relato pode inspirar outras pessoas, e aqui nos comentários fomentamos um debate saudável, em que um ajuda o outro.

Forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.

Referências

Para tornar a leitura mais fluida, agrupamos nesta seção algumas das referências consultadas para a elaboração deste artigo.

Note que você pode ter acesso a um livro físico que reúne em linguagem simples (e com mais de 300 referências bibliográficas) tudo o que a ciência reúne de melhor sobre alimentação e saúde: conheça o livro Saúde Sem Mitos.

  1. American Diabetes Association (2010). Diagnosis and classification of diabetes mellitus. Diabetes care, 33 Suppl 1(Suppl 1), S62–S69. https://doi.org/10.2337/dc10-S062 
  2. Schmidt, M. I., Lin, Q. X., Gwynne, J. T., & Jacobs, S. (1984). Fasting early morning rise in peripheral insulin: evidence of the dawn phenomenon in nondiabetes. Diabetes care, 7(1), 32–35. https://doi.org/10.2337/diacare.7.1.32 
  3. Bolli, G. B., De Feo, P., De Cosmo, S., Perriello, G., Ventura, M. M., Calcinaro, F., Lolli, C., Campbell, P., Brunetti, P., & Gerich, J. E. (1984). Demonstration of a dawn phenomenon in normal human volunteers. Diabetes, 33(12), 1150–1153. https://doi.org/10.2337/diab.33.12.1150 
  4. Bolli, G. B., & Gerich, J. E. (1984). The “dawn phenomenon”–a common occurrence in both non-insulin-dependent and insulin-dependent diabetes mellitus. The New England journal of medicine, 310(12), 746–750. https://doi.org/10.1056/NEJM198403223101203 
  5. Schmidt, M. I., Hadji-Georgopoulos, A., Rendell, M., Margolis, S., & Kowarski, A. (1981). The dawn phenomenon, an early morning glucose rise: implications for diabetic intraday blood glucose variation. Diabetes care, 4(6), 579–585. https://doi.org/10.2337/diacare.4.6.579 
  6. Rybicka, M., Krysiak, R., & Okopień, B. (2011). The dawn phenomenon and the Somogyi effect – two phenomena of morning hyperglycaemia. Endokrynologia Polska, 62(3), 276–284. https://journals.viamedica.pl/endokrynologia_polska/article/viewFile/25278/20107 
  7. O'Neal TB, Luther EE. Dawn Phenomenon. [Updated 2020 May 29]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK430893/ 
  8. DiPietro, L., Gribok, A., Stevens, M. S., Hamm, L. F., & Rumpler, W. (2013). Three 15-min bouts of moderate postmeal walking significantly improves 24-h glycemic control in older people at risk for impaired glucose tolerance. Diabetes care, 36(10), 3262–3268. https://doi.org/10.2337/dc13-0084 
  9. Colberg, S. R., Zarrabi, L., Bennington, L., Nakave, A., Thomas Somma, C., Swain, D. P., & Sechrist, S. R. (2009). Postprandial walking is better for lowering the glycemic effect of dinner than pre-dinner exercise in type 2 diabetic individuals. Journal of the American Medical Directors Association, 10(6), 394–397. https://doi.org/10.1016/j.jamda.2009.03.015 
  10. Spiegel, K., Leproult, R., & Van Cauter, E. (1999). Impact of sleep debt on metabolic and endocrine function. Lancet (London, England), 354(9188), 1435–1439. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(99)01376-8 
Receba atualizações dos comentários
Notifique-me de
guest
2 Comentários
mais votados
mais novos mais antigos
Inline Feedbacks
View all comments
Maria Zilda da Silva
Maria Zilda da Silva
6 de agosto de 2020 16:52

Parabéns pelo post, muito esclarecedor e cheio de informações, como sempre vocês sempre trazendo o mais alto grau de informação pra gente, obrigada. No meu último exame de sangue minha glicemia estava em 96, fiquei preocupada por que estou fazendo low carb, tinha jantado bem cedo no dia anterior e sinceramente não pensei que iria estar com esse um nível tão alto, próximo ao pré diabetes.