Descubra Qual O Melhor Creme De Leite Para Usar No Dia A Dia E Nas Receitas

Creme de leite pode na low-carb? Qual a melhor opção?”

Sempre que falamos em estilo de vida low-carb, alimentação baixa em carboidratos, e receitas saborosas, recebemos perguntas sobre o creme de leite.

E, realmente: com tantas opções de creme de leite disponíveis — creme de leite de caixinha, de latinha, fresco, leve, levíssimo, zero carboidrato, zero lactose, entre outros…

Fica difícil mesmo saber qual creme de leite escolher.

Felizmente, neste artigo você terá a resposta.

Inclusive, vai ver uma comparação entre os rótulos de 6 produtos reais — isto é, 6 diferentes variedades de creme de leite.

Também vai entender o que são aqueles aditivos presentes no creme de leite — conservantes, estabilizantes, e quais são seguros (e quais não tanto).

E ainda: vai ver as melhores receitas low-carb com creme de leite.

Então dê play no vídeo abaixo para ver o Guilherme (um dos fundadores aqui do Senhor Tanquinho) falando essa explicação.

Ou apenas continue lendo para ter acesso gratuito a este mesmo conhecimento — só que por escrito.

Relacionado: Falando em informação gratuita, aqui você baixa gratuitamente nosso ebook com 19 receitas low-carb saudáveis e muito fáceis.

O Que É O Creme De Leite

De maneira resumida, o creme de leite nada mais é do que a gordura presente no leite.

Embora todo creme de leite consista na gordura do leite, a verdade é que existem muitas variedades e apresentações deste popular ingrediente.

Nós vamos ver 6 exemplos reais de cremes de leite, e vamos entender juntos quais as semelhanças e diferenças entre eles.

Mas já adianto: a principal diferença entre todas essas variedades de creme de leite é a quantidade de gordura presente em cada um.

(Ao mesmo tempo, você vai notar que, para manter a consistência e textura do creme de leite, algumas diferenças também dizem respeito aos aditivos alimentares usados nos cremes de leite.)

Desta forma, vamos ver os cremes de leite que são comercializados normalmente, e analisar sua lista de ingredientes e tabela nutricional.

IMPORTANTE: vamos pegar produtos específicos, de marcas comerciais. 

Mas é relevante deixar claro que não temos qualquer tipo de parceria nem conflito de interesse com nenhuma das marcas citadas.

Pois, justamente para podermos manter nossa independência e imparcialidade, não fazemos este tipo de parceria.

E, em vez disso, auferimos renda por meio dos nossos livros, cursos e treinamentos — como este livro com mais de 150 receitas baixas em carboidratos, e o nosso treinamento de leitura de rótulos.

Dito isso, vamos começar nossa análise pelo creme de leite fresco.

Creme De Leite Fresco 

embalagem de creme de leite fresco apresentando seus ingredientes e informações nutricionais

O creme de leite fresco apresenta um percentual de gordura geralmente acima de 40% (podendo chegar a mais de 45%).

Este será o primeiro exemplar de creme de leite a ser analisado.

E, como sempre devemos fazer ao analisar um alimento que contém embalagem, primeiro olhamos os seus ingredientes, e depois suas informações nutricionais.

(Geralmente podemos ignorar as informações da parte da frente dos rótulos — pois, na maioria das vezes, elas visam apenas promover o produto.)

Ingredientes do creme de leite fresco: creme de leite.”

Dessa forma, percebemos que ele é composto apenas por, justamente, “creme de leite”.

E não contém nenhuma forma de conservante, espessante, ou mesmo de aromatizante.

Desta forma, ele é a forma mais pura de creme de leite que você vai encontrar.

Inclusive é por isso que o creme de leite fresco deve ser mantido em geladeira, e seu prazo de validade acaba sendo pequeno.

E essa pureza de ingredientes também se reflete nas informações nutricionais do creme de leite fresco.

Informações nutricionais do creme de leite fresco (15 ml):

  • Calorias: 46 kcal
  • Carboidratos: 0g
  • Proteínas: 0g
  • Gorduras: 5,1g

Observando as informações nutricionais, observamos que ele apresenta apenas gorduras dentre seus macronutrientes.

O que faz total sentido: uma vez que — conforme vimos na lista de ingredientes —  ele é composto apenas pela gordura naturalmente presente no leite.

Aqui podemos tirar outra lição importante a respeito da leitura de rótulos: é importante que as informações nutricionais e os ingredientes estejam em acordo.

Caso você perceba disparidades, provavelmente um dos dois está errado.

Neste caso, como regra geral costumamos evitar produtos nos quais você não pode confiar no rótulo.

A partir daqui, vamos usar essas mesmas regrinhas sobre leitura de rótulos que aprendemos para analisar os próximos tipos de creme de leite.

Mas antes vamos fazer uma breve distinção entre o creme de leite fresco e a nata.

O Que É Nata — Significados Diferentes No Brasil E Em Portugal

embalagem de nata apresentando seus ingredientes e informações nutricionais

De maneira resumida, a nata é feita a partir da gordura do leite bovino. 

E, como acabamos de ver, o creme de leite também.

Sendo assim, o que difere a nata do creme de leite?

A verdade é que isso depende do país no qual você se encontra.

Isso porque, no Brasil (onde habita a maior parte de nossos leitores), o termo “nata” refere-se a nada mais do que creme de leite com algum tipo de emulsificante.

No caso, estamos falando de algo com cerca de 50% a 65% de teor de gordura — algo muito próximo ao creme de leite fresco.

Ou seja, a nata acaba sendo o creme de leite fresco com uma consistência muito maior.

Sendo que o emulsificante (estabilizante ou espessante) vai variar conforme a marca que você encontrar na geladeira de seu mercado — e comentaremos mais sobre eles ao longo deste post.

Por isso, continue lendo.

Já em Portugal, o termo “nata” significa o que conhecemos por “creme de leite” no Brasil.

Ou seja, em terras portuguesas você não vai encontrar um produto chamado de “creme de leite”.

Se estiver precisando de creme de leite, então busque simplesmente por “natas”.

Porém, tenha em mente o seguinte.

Em Portugal a palavra “natas” não necessariamente corresponde ao “creme de leite fresco”.

Em vez disso, ela é usada como uma espécie de sinônimo para “creme de leite” — tanto que você vai encontrar “natas” com diferentes teores de gordura nos supermercados.

Natas frescas, nata cremosa, nata leve — estes são alguns dos possíveis nomes que você vai ver, e que se referem a diferentes concentrações de gordura no produto final.

Assim como, no Brasil, temos classificações diversas para os cremes de leite — como é o caso do creme de leite extra cremoso, que vamos ver agora.

Creme De Leite Extra Cremoso 

embalagem de creme de leite extra cremoso apresentando seus ingredientes e informações nutricionais

O creme de leite extra cremoso ficou como segundo colocado no quesito “teor de gordura” — nosso critério utilizado na hora de ordenar este texto.

Ele apresenta cerca de 30% de teor lipídico.

Normalmente, encontramos esse creme de leite em latinhas de metal.

No caso da marca pesquisada, estão listados como ingredientes apenas creme de leite e estabilizante citrato de sódio.

Ingredientes do creme de leite extra cremoso: creme de leite e estabilizante citrato de sódio.”

Obviamente, o creme de leite já era um ingrediente esperado.

No caso, o citrato de sódio é uma espécie de sal, que é muito semelhante ao ácido cítrico.

Sendo que o ácido cítrico é uma substância inofensiva para nossa saúde, presente por exemplo em frutas como limão e laranja.

A função do citrato de sódio é ajudar a manter as características do creme de leite quando embalado e armazenado. 

Desta forma, seu uso ajuda a conservar o creme de leite por mais tempo, mesmo fora da geladeira.

Então, do ponto de vista dos ingredientes, até aqui está tudo seguro e dentro do esperado.

Vamos agora analisar suas informações nutricionais.

Informações nutricionais do creme de leite extra cremoso (15 ml):

  • Calorias: 44 kcal
  • Carboidratos: 0g
  • Proteínas: 0g
  • Gorduras: 4,5g

Aqui você pode notar, mais uma vez, que temos 100% de gordura dentre seus nutrientes.

O que também era esperado, conforme vimos pela lista de ingredientes.

Portanto, este também é um creme de leite considerado seguro para ser consumido.

Ele inclusive pode ser armazenado fora da geladeira — e ainda apresentar um prazo de validade maior que o creme de leite fresco, graças ao citrato de sódio.

 Outras alegações nas embalagens de creme de leite

Você pode observar que as embalagens podem fazer quaisquer tipo de alegações em sua parte frontal — porém elas nem sempre querem dizer alguma coisa.

No caso do rótulo deste creme de leite, podemos ler algumas delas como:

  • Desde 1935; 
  • Novo — bate chantilly; 
  • Cremosidade que surpreende;
  • Extra cremoso;
  • Nível de cremosidade;

dentre outras.

Essas são frases que não querem dizer muita coisa: porque elas não revelam se o produto é realmente bom ou ruim para você — e você pode ignorá-las completamente.

Na verdade, não existe uma regulamentação com relação a essas informações dos rótulos.

A legislação faz uma melhor regulação da parte traseira deles — nela, devemos ter informações precisas a respeito de sua composição em termos de ingredientes e macronutrientes.

E isso vale não só para o creme de leite, mas para qualquer produto que tenha uma embalagem e um rótulo.

Seguindo com isso em mente, vamos analisar nossa terceira amostra de creme de leite.

Creme De Leite De Latinha 

embalagem de creme de leite de latinha apresentando seus ingredientes e informações nutricionais

Apesar do “extra cremoso” também vir embalado em uma lata, este aqui é o creme de leite popularmente chamado de “creme de leite de latinha”.

Apresentando cerca de 22% de gordura — contra cerca de 50% do fresco e 30% do extra cremoso.

Dentre seus ingredientes encontramos o seguinte.

Ingredientes do creme de leite de latinha: creme de leite e estabilizante fosfato dissódico.”

O fosfato dissódico é um sal utilizado como estabilizante que pode ser considerado abaixo do ideal, quando comparado ao ácido cítrico, do ponto de vista de qualidade alimentar.

Vamos fazer uma breve observação sobre aditivos antes de prosseguir.

Breve observação sobre aditivos alimentares

Mencionamos acima que o fosfato dissódico é um aditivo alimentar abaixo do ideal.

Inclusive, uma publicação de 2012 menciona que o consumo excessivo de fosfatos por meio de alimentos processados — como é o caso do fosfato dissódico — pode ser um fator de risco para doenças cardiovasculares. [1]

Note que o mesmo estudo afirma que os fosfatos presentes naturalmente na comida de verdade (alimentos não-processados) são seguros para consumo.

Sendo que algumas populações talvez se beneficiem de evitar o fosfato dissódico.

Isso inclui pessoas com:

  • doença renal,
  • lacerações intestinais,
  • colite ulcerativa,
  • intestino preso,
  • falência cardíaca, e 
  • alergia ao fosfato dissódico (obviamente).

É por isso que é importante aprender a ler rótulos e entender sobre os diferentes conservantes, estabilizantes, e aditivos usados nos alimentos.

Porque eles podem ser radicalmente distintos uns dos outros.

Por exemplo, vimos acima que o citrato de sódio é bem seguro, e não deve ser uma fonte de preocupação.

Também vimos que o fosfato dissódico pode ser mais preocupante, nessa escala de comparação.

E ainda há outros aditivos ainda piores, como o ácido fosfórico — que é utilizado em refrigerantes e está ligado a vários malefícios de saúde, de erosão dentária a formação de pedras nos rins. [2]

Tanto é que estudos feitos com refrigerantes diet (isto é: refrigerantes sem açúcar, porém com ácido fosfórico e outros aditivos) causam a mesma erosão dental do que os refrigerantes normais. [3]

Ou seja: não é apenas o açúcar que faz mal nos refrigerantes — os aditivos como o ácido fosfórico também causam danos.

(Se você pensou que refrigerante diet era uma boa opção para a sua dieta low-carb, recomendo ler este artigo sobre as melhores e piores bebidas para a low-carb e cetogênica.)

Os malefícios do ácido fosfórico são tão evidentes que observamos menor densidade mineral óssea e mais fraturas em pessoas que tomam refrigerantes do tipo cola — exemplo: Pepsi e Coca-Cola — do que em pessoas que tomam outros tipos de refrigerantes. [4]

Isso reforça que possivelmente é algo sobre o ácido fosfórico que está acontecendo — pois esta é uma das principais diferenças entre refrigerantes cola e outros.

É justamente por isso que é importante aprender a ler os rótulos dos alimentos: porque os aditivos alimentares não são todos iguais.

E apenas com o conhecimento certo você vai poder fazer melhores escolhas.

Aprenda a ler rótulos de maneira simples e descomplicada com nosso treinamento avançado Manual da Leitura De Rótulos.

Feitas estas observações, vamos voltar às informações nutricionais do creme de leite de latinha. 

De volta ao creme de leite de latinha

Agora que analisamos seus ingredientes, vamos passar para as informações nutricionais.

Informações nutricionais do creme de leite de latinha (15 ml):

  • Calorias: 30 kcal
  • Carboidratos: 0g
  • Proteínas: 0g
  • Gorduras: 3,1g

Mais uma vez, temos o esperado: apenas gorduras — porém em menor quantidade por porção.

Então, perceba que neste caso temos um menor teor de gordura por porção com relação aos exemplares anteriores.

Sendo que o creme de leite extra cremoso, dessa mesma marca, apresentava 4,5g de gordura a cada 15 ml.

Portanto, aqui temos praticamente um terço a menos de gorduras por colher de sopa.

Você pode até pensar que isso é bom, pois resulta em menor quantidade de calorias.

O problema é que essa gordura a menos é substituída por água — e você acaba tendo um produto mais diluído.

Ou seja, você compra um produto (creme de leite) que é composto apenas por gordura do leite.

Porém leva para casa uma maior quantidade de água e menor de gordura — quando comparado ao creme de leite fresco ou mesmo o extra cremoso.

Por isso, é importante aprendermos a ler e interpretar os rótulos corretamente — para evitar sermos enganados pelo marketing da indústria.

No caso, se você quisesse um creme de leite com menor teor de gordura, bastava comprar o mais concentrado e adicionar um pouco mais de água na hora de fazer a receita.

E falando em diluição em água, vamos ao próximo creme derivado do leite de vaca.

Creme De Leite De Caixinha 

embalagem de creme de leite de caixinha apresentando seus ingredientes e informações nutricionais

Uma das variedades mais comuns de creme de leite é o creme de leite “de caixinha”.

Com um teor de gordura na casa dos 17%, este sem dúvidas é um dos mais consumidos.

E também é o que mais acaba gerando dúvidas — e mesmo comparações com o “de latinha” e o “fresco”.

Então vamos analisá-lo a fundo para acabar com todas estas dúvidas.

Na parte da frente, notamos novamente várias informações que são, em termos nutricionais, irrelevantes.

Inclusive, vemos que este tem apenas ‘duas gotinhas’ de cremosidade, enquanto o exemplar anterior apresentava ‘três gotinhas’ — o que nos leva a concluir que ele é menos cremoso que o “de latinha”.

O que faz total sentido uma vez que esta versão apresenta menor quantidade de gordura — ou seja, é uma versão ainda mais diluída em água. 

E vamos notar isso com mais clareza ao analisarmos os ingredientes e as informações nutricionais.

Lendo seus componentes, temos o seguinte.

Ingredientes do creme de leite de caixinha: creme de leite, soro de leite e estabilizantes goma xantana, goma jataí, goma guar, carragena, fosfato dissódico e citrato de sódio.”

Além do creme de leite, que era esperado, aqui ver algumas coisas que não haviam aparecido nos anteriores.

O soro de leite provavelmente está aí para ajudar a dissolver o creme de leite — pelo menos ele tem origem no leite.

Aí temos a goma xantana que é um estabilizante muito seguro e tranquilo para ser consumido — e se faz presente para ajudar a dar consistência e cremosidade.

O mesmo podemos dizer da goma jataí e da goma guar: dão consistência ao creme de leite e seu consumo não traz riscos à saúde.

Depois aparece a carragena, que também é um estabilizante, porém seu consumo não parece ser tão inofensivo assim.

Isso porque alguns estudos, feitos em ratos, mostraram que seu consumo pode levar a um pior controle da glicose sanguínea. [5]

Além disso, sua ingestão frequente pode estar ligada a episódios recorrentes de colite (reação inflamatória no intestino grosso). [6] 

E pode ser prudente que pessoas com problemas intestinais (seja síndrome do intestino irritável, sensibilidade a FODMAPs, ou outras questões) evitem consumir esse aditivo alimentar. [7] [8]

Por fim, temos ingredientes que já haviam aparecido anteriormente.

O estabilizante fosfato de sódio — que é parecido com o ácido presente nos refrigerantes e que pode levar a problemas dentários e de cálculos renais.

E o citrato de sódio — que está presente no suco de limão e seu consumo é totalmente inofensivo.

Agora, passemos às informações nutricionais.

Informações nutricionais do creme de leite caixinha (15 ml):

  • Calorias: 27 kcal
  • Carboidratos: 0,7g
  • Proteínas: 0g
  • Gorduras: 2,6g

Aqui já notamos a presença de um pouquinho de carboidratos por porção — que aparecem aí justamente por conta de alguns dos estabilizantes que são, em essência, carboidratos.

Conforme havíamos previsto por seu rótulo, a quantidade de gorduras por porção é menor — e até por isso são usados mais estabilizantes, para ajudar na consistência.

Para finalizar, podemos dizer que, resumidamente, tanto por conta do fosfato de sódio quanto da carragena, o ideal é não exagerar no consumo deste tipo de creme de leite.

Até porque, se você exagerar, vai ter outros problemas que se somam a esses ingredientes.

Tais como o excesso de calorias que poderia levar a um platô de perda de peso, por exemplo — algo que poderia acontecer se houvesse exagero na ingestão de qualquer versão do creme de leite.

Portanto, estas são considerações para termos em mente também com relação aos próximos exemplares que analisaremos.

(Sendo que o ponto da quantidade de calorias é válido para todos os itens desta lista.)

Creme De Leite Sem Lactose 

embalagem de creme de leite sem lactose apresentando seus ingredientes e informações nutricionais

Este tipo de creme de leite, que também é embalado em uma “caixinha”, tem uma única diferença com relação ao anterior: a ausência de lactose.

Apesar do creme de leite conter bem pouco do açúcar presente no leite, especialmente no caso dos mais puros (como o fresco e o extra cremoso).

Ainda assim pode haver alguma quantidade de açúcar (lactose) residual — e esse açúcar pode causar desconfortos em pessoas mais sensíveis.

Justamente por isso, existe essa versão totalmente livre de lactose.

Porém, isso não quer dizer que seja melhor ou pior que os exemplares anteriores — apenas representa uma alternativa segura para pessoas que não lidam bem com a lactose.

E isso fica claro quando analisamos seus ingredientes e informações nutricionais.

Ingredientes do creme de leite sem lactose: creme de leite, soro de leite em pó, enzima lactase e estabilizantes goma xantana, goma jataí, goma guar, carragena, fosfato dissódico e citrato de sódio.”

Perceba que seus ingredientes são praticamente iguais ao do “creme de leite de caixinha” que falamos acima.

Com a única diferença sendo a enzima lactase — responsável por quebrar a lactose em galactose e glicose, facilitando a digestão das pessoas intolerantes à lactose.

Vale lembrar que, assim como no caso do leite, o creme de leite sem lactose não vai apresentar uma menor quantidade de carboidratos.

Informações nutricionais do creme de leite sem lactose (15 ml):

  • Calorias: 27 kcal
  • Carboidratos: 0,7g
  • Proteínas: 0g
  • Gorduras: 2,6g

O que acontece é que a lactose é uma molécula composta por duas outras moléculas: a galactose e a glicose.

Isto é: é um açúcar duplo, composto por dois açúcares menores, mais simples.

Tecnicamente, a lactose é um dissacarídeo, composto por dois monossacarídeos (galactose e glicose).

A enzima lactase é a responsável por fazer essa separação da lactose em galactose e glicose.

Sendo que, tanto antes quanto depois da quebra, a quantidade total de carboidratos do creme de leite é a mesma.

Isso fica evidente quando olhamos para suas informações nutricionais (até porque, como falamos antes, boa parte desses carboidratos vêm dos espessantes).

Portanto, tirando para pessoas com alto grau de intolerância à lactose, esse creme de leite não apresenta vantagens com relação ao creme de leite de caixinha comum — também sendo uma opção inferior aos cremes de leite fresco, ou de latinha.

Creme De Leite Levíssimo

embalagem de creme de leite levíssimo apresentando seus ingredientes e informações nutricionais

Eis que chegamos ao nosso último exemplar deste texto: o creme de leite levíssimo — que também é embalado em uma caixinha.

Logo de cara, a alegação de “levíssimo” chama a atenção — o que será que ela quer dizer em termos práticos?

Talvez faça referência a seus míseros 10% de teor de gordura.

Continuando a ler a parte frontal de sua embalagem, podemos perceber outras afirmações curiosas.

Por exemplo: “cremosidade surpreendente” — porém tem apenas “1 gotinha” no quesito cremosidade.

O que nos leva a pensar que o termo “surpreendente” talvez não se refira a uma surpresa tão boa assim. 😉

E ainda: “creme de leite UHT com baixo teor de gordura”…

Porém, como vimos, o creme de leite é justamente a gordura do leite da vaca.

Então… por que eu iria querer que ele tivesse baixo teor de gordura?

Com isso em mente, fica difícil recomendar esse tipo de produto.

Então, vamos para a parte traseira do rótulo, que é onde estão as informações que realmente vão nos ajudar a entender melhor o produto.

Ingredientes do creme de leite levíssimo: creme de leite, leite em pó desnatado, espessantes goma xantana, goma jataí, goma guar e carragena e estabilizante cloreto de cálcio.”

Com esta lista, percebemos que ele tem leite em pó, que é um ingrediente que não havia aparecido nos outros exemplares.

O que é um tanto estranho, mas pelo menos é algo que vem do leite — e que provavelmente está aí para compensar a pequeníssima quantidade de gordura do leite deste alimento.

E também temos o conservante cloreto de cálcio — que também é inofensivo, assim como citrato de sódio. 

Com relação aos outros ingredientes, temos o creme de leite (ainda bem), e alguns estabilizantes para ajudar na consistência, que já apareceram anteriormente e que são bem tranquilos também. 

Vamos passar agora às informações nutricionais.

Informações nutricionais do creme de leite levíssimo (15 ml):

  • Calorias: 19 kcal
  • Carboidratos: 0,7g
  • Proteínas: 0g
  • Gorduras: 1,5g

Conforme esperado, o creme de leite levíssimo tem menor quantidade de gorduras (apenas 10% como dito em sua embalagem) e, consequentemente, de calorias.

Ainda apresenta uma pequena quantidade de carboidratos devido a seus espessantes (semelhante ao caso do creme de leite de caixinha convencional), e também por conta do leite em pó que faz parte de sua composição.

Então perceba que você está pagando por um produto que deveria ser simplesmente a gordura do leite.

Mas acaba levando para casa um monte de água com espessante.

Para finalizar nossa análise, vale dizer o seguinte.

A nosso ver, tanto pelo fator financeiro, quanto de nutricional e de sabor, este é um produto que deveria ser totalmente evitado.

Porém, infelizmente a desinformação leva muitas pessoas a comprarem este tipo de creme de leite, por acreditarem que estão fazendo um bom negócio ao evitar as gorduras do leite.

Receitas Low-Carb E Cetogênicas Com Creme De Leite

Aqui nesta seção do texto, selecionamos algumas de nossas receitas favoritas que levam creme de leite.

Lembrando que você sempre pode se sentir à vontade para substituir o creme de leite por leite de coco em suas receitas — especialmente no caso das receitas doces.

Ou então por requeijão no caso das receitas salgadas.

Em termos de consistência, essa substituição costuma funcionar muito bem.

Porém para algumas pessoas, o sabor do leite de coco pode ser um pouco incômodo — portanto acaba se tornando uma questão de gosto pessoal.

Tendo feito esse adendo, vamos às receitas.

Torta De Frango Salgada De Liquidificador Low-Carb

Tempo de preparo: 15 minutos
Tempo de espera: 60 minutos

Ingredientes (10 pedaços):

  • Massa:
    • 3 ovos
    • 200g (1 xíc) de creme de leite
    • 150g (1,5 xic) de farinha low-carb (recomenda-se amêndoas)
    • 100g (4 cs) de manteiga ou óleo de coco amolecidos
    • 1 colher de sopa de fermento químico
    • Sal a gosto
  • Sugestão de recheio (veja outras abaixo):
    • 300g de frango cozido e desfiado
    • 200g de requeijão
    • 200g de palmito em cubos
    • Azeitona a gosto
    • Cebola picada a gosto
    • Salsinha, cebolinha, cúrcuma, páprica defumada, e sal a gosto
    • Fatias de muçarela (para cobrir a torta e gratinar)
    • Queijo parmesão ralado a gosto (para cobrir)

Preparo:

  • Massa:
    • Em um liquidificador, misturar todos os ingredientes da “massa” até que esteja homogêneo;
    • Despejar metade da massa em uma assadeira untada ou antiaderente;
    • Distribuir o recheio por cima dessa primeira camada de massa;
    • Cobrir o recheio com o restante da massa;
    • Cobrir a torta com fatias de muçarela e queijo parmesão ralado;
    • Levar ao forno pre aquecido a 180ºC por cerca de 40 minutos (sempre verificando para evitar que queime);
    • Retirar, fatiar, e servir.
  • Recheio:
    • Misturar todos os ingredientes em uma panela em fogo baixo;
    • Reservar até a hora de utilizar na torta.

Danette Low-Carb

Tempo de preparo: 5 minutos
Tempo de espera: 3 horas

Quantidade de carboidratos por porção: 4g

Ingredientes (3 porções de danette):

  • 20g de chocolate 70%
  • 10g (1cs) de óleo de coco
  • 100g (1/2 xic) de creme de leite
  • 20g (1cs) de eritritol ou 15g de xilitol ou 10 gotas de stevia
  • 10ml (1cs) de água
  • 7g (1cs) de cacau em pó

Preparo:

  • Colocar o chocolate e o óleo de coco em um recipiente e levá-lo ao microondas por cerca de 30 a 60 segundos;
  • Misturar até obter uma mistura homogênea;
  • Adicionar o restante dos ingredientes e misturar bem;
  • Distribuir a mistura em recipientes e levá-los à geladeira por cerca de 3 horas;
  • Servir.

Cocada Cetogênica

Tempo de preparo: 5 minutos
Tempo de espera: 60 minutos

Quantidade de carboidratos líquidos por cocada: 1g

Ingredientes (20 cocadas):

Preparo:

  • Misturar todos os ingredientes em uma panela em fogo baixo;
  • Mexer até que a mistura reduza e fique firme (consistência de uma massa);
  • Esperar esfriar e distribuir pedaços da massa, no formato desejado, em uma forma ou prato;
  • Levar à geladeira por cerca de 30 minutos;
  • Servir.

Sorvete De Creme Cetogênico

Tempo de preparo: 5 minutos
Tempo de espera: 4 – 6 horas

Quantidade de carboidratos por porção: 0,5g

Ingredientes (20 porções):

  • 200g (1 xic) creme de leite
  • 200g (1 xic) nata
  • 90g (1/2 xic) eritritol
  • 15g (2 cs) óleo de coco
  • 1 cs de essência de baunilha
  • 1/2 cc de goma xantana ou agar agar

Preparo:

  • Bater os ingredientes no liquidificador, ou com um mixer, até obter uma mistura homogênea;
  • Levar a mistura a uma máquina de sorvete, seguindo as instruções do fabricante;
  • Ou levar a mistura ao freezer por 4 horas, mexendo a cada 30 minutos;
  • Depois deixar descansar no freezer por mais 2 a 4 horas.

Pavê Low-Carb De Chocolate Com Um Toque De Café

Tempo de preparo: 30 minutos
Tempo de espera: 3 horas

Quantidade de carboidratos líquidos por pedaço: 4g

Ingredientes (16 pedaços):

  • Massa (biscoito / bolacha):
    • 40g (4 cs) de farinha de coco
    • 60g (5 cs) de farinha de amêndoas
    • 100g (1/2 xic) de adoçante low-carb eritritol ou xilitol
    • 2 ovos
    • 50g (3cs) de manteiga ou óleo de coco
  • Recheio:
    • 2 ovos
    • 120g (1+1/4 xic) de cream cheese
    • 100g (1/2 xic) de eritritol
    • 20g (2 cs) de cacau em pó sem açúcar
    • 1 cc de café solúvel
    • 30 ml de bebida destilada
  • Calda:
    • 50 ml (5cs) de água
    • 20g (2cs) de adoçante eritritol
    • 30 ml (1/2 dose) de bebida destilada
    • 1 cc de café solúvel
  • Cobertura:
    • 100g de chocolate 70% (ou mais) cacau
    • 150g de creme de leite
    • 30ml (1/2 dose) de destilado
    • 40g (4cs) de eritritol

Preparo:

  • Bolacha:
    • Misturar todos os ingredientes da massa com um garfo;
    • Distribuir a massa em uma assadeira antiaderente (de modo que fique com cerca de meio dedo de altura);
    • Levar ao forno preaquecido a 200ºC por cerca de 20 minutos (até as bordas começarem a dourar);
    • Retirar do forno e esperar esfriar;
  • Recheio:
    • Separar as claras das gemas;
    • Bater as claras em neve e reserva-las;
    • Misturar todos os outros ingredientes com o auxílio de uma batedeira por cerca de 3 minutos;
    • Incorporar as claras em neves com delicadeza;
    • Misturar até que esteja homogêneo e reservar;
  • Calda:
    • Misturar todos os ingredientes referentes à calda;
  • Cobertura (ganache):
    • Colocar o chocolate em um recipiente e cobri-lo com o creme de leite;
    • Levar ao micro-ondas por cerca de 60 segundos (ou derreter em uma panela em fogo baixo);
    • Misturar até que fique homogêneo;
    • Adicionar os outros ingredientes e misturar novamente;
    • Reservar para a montagem do pavê;
  • Montagem:
    • Furar a massa com auxílio de um garfo;
    • Despejar a calda por cima da massa;
    • Cobrir a massa com uma fina camada da ganache;
    • Distribuir o recheio uniformemente;
    • Cobrir o recheio com o restante da ganache;
    • Levar a geladeira por cerca de 2 a 3 horas;
    • Servir.

Conclusão E Palavras Finais Sobre Os Tipos De Cremes De Leite

Neste artigo, você entendeu que o creme de leite é a gordura naturalmente presente no leite, e entendeu as diferenças entre os principais tipos de creme de leite.

Aprendeu também que, mais importante do que a embalagem (latinha, caixinha, etc) ou o “nome” com que ele se apresenta (“fresco”, “leve”, “levíssimo”, entre outros), é conseguir identificar as seguintes variáveis:

  • o teor de gordura,
  • a lista de ingredientes, e
  • a tabela nutricional.

Como regra geral, sempre preferimos alimentos com menos conservantes, estabilizantes, e aditivos em geral — de fato, priorizamos alimentos mais próximos ao estado no qual são encontrados na natureza (um conceito chamado de comida de verdade).

Lembrando que, mesmo no caso de o creme de leite ter aditivos alimentares em sua composição, é importante notar que os aditivos não são todos iguais.

Porque alguns são bem inofensivos, enquanto outros estão diretamente ligados a malefícios de saúde — de disbiose a cáries, passando por problemas renais e muito mais.

É por este motivo que é tão importante aprender a ler os rótulos dos alimentos.

E, se quiser nossa ajuda nessa tarefa, basta se inscrever no nosso Treinamento de Leitura de Rótulos.

Afinal de contas, criamos esse treinamento porque não acreditamos que você precisa ter um PhD em Bioquímica para ser saudável e fazer boas compras no mercado.

A verdade é que qualquer pessoa consegue ler os ingredientes, e visualizar os números da tabela nutricional de um alimento.

No entanto, compreender o que essas palavras ou números significam, e saber se aquele alimento é de fato bom para você… é outra história.

Se você compra alimentos no supermercado, e já se sentiu perdido(a) com essas informações, vale a pena participar do programa. Toque aqui para saber mais.

Por fim, agora que você já aprendeu a escolher o creme de leite — e já viu 5 ótimas receitas low-carb e cetogênicas que levam creme de leite em sua composição…

Eu gostaria de te convidar a conhecer ainda mais receitas gostosas e saudáveis.

Você tem duas maneiras de fazer isso.

A primeira maneira é com um presente: você pode receber, de forma totalmente gratuita, um livro com 19 receitas saborosas e emagrecedoras.

Basta tocar neste link, e preencher seu nome e o email para o qual devo enviar o livro.

E a segunda maneira é recebendo, na sua casa, um livro com as 150 melhores receitas low-carb e cetogênicas — que já ajudaram mais de 6.000 pessoas a emagrecer com saúde e sabor.

Toque aqui, escolha seu pacote, e comece a aproveitar as receitas agora mesmo.

Suas receitas ficarão ainda mais gostosas com o creme de leite certo.

Forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.

Referências

Para deixar a leitura mais fluida, elencamos aqui no final algumas das referências  evidências científicas em que nos baseamos para escrever este artigo.

  1. Ritz, E., Hahn, K., Ketteler, M., Kuhlmann, M. K., & Mann, J. (2012). Phosphate additives in food–a health risk. Deutsches Arzteblatt international, 109(4), 49–55. https://doi.org/10.3238/arztebl.2012.0049 
  2. Saldana, T. M., Basso, O., Darden, R., & Sandler, D. P. (2007). Carbonated beverages and chronic kidney disease. Epidemiology (Cambridge, Mass.), 18(4), 501–506. https://doi.org/10.1097/EDE.0b013e3180646338 
  3. Korte, A., Angelopoulou, M. V., & Maroulakos, G. (2019). Assessing the Effect of Low Calorie Soda Beverages on Primary Tooth Enamel: An In Vitro Study. The Journal of clinical pediatric dentistry, 43(3), 190–195. https://doi.org/10.17796/1053-4625-43.3.8 
  4. Tucker, K. L., Morita, K., Qiao, N., Hannan, M. T., Cupples, L. A., & Kiel, D. P. (2006). Colas, but not other carbonated beverages, are associated with low bone mineral density in older women: The Framingham Osteoporosis Study. The American journal of clinical nutrition, 84(4), 936–942. https://doi.org/10.1093/ajcn/84.4.936 
  5. Bhattacharyya, S., Feferman, L., Unterman, T., & Tobacman, J. K. (2015). Exposure to common food additive carrageenan alone leads to fasting hyperglycemia and in combination with high fat diet exacerbates glucose intolerance and hyperlipidemia without effect on weight. Journal of diabetes research, 2015, 513429. https://doi.org/10.1155/2015/513429 
  6. Martino, J. V., Van Limbergen, J., & Cahill, L. E. (2017). The Role of Carrageenan and Carboxymethylcellulose in the Development of Intestinal Inflammation. Frontiers in pediatrics, 5, 96. https://doi.org/10.3389/fped.2017.00096 
  7. Borsani, B., De Santis, R., Perico, V., Penagini, F., Pendezza, E., Dilillo, D., Bosetti, A., Zuccotti, G. V., & D'Auria, E. (2021). The Role of Carrageenan in Inflammatory Bowel Diseases and Allergic Reactions: Where Do We Stand?. Nutrients, 13(10), 3402. https://doi.org/10.3390/nu13103402 
  8. Bhattacharyya, S., Shumard, T., Xie, H., Dodda, A., Varady, K. A., Feferman, L., Halline, A. G., Goldstein, J. L., Hanauer, S. B., & Tobacman, J. K. (2017). A randomized trial of the effects of the no-carrageenan diet on ulcerative colitis disease activity. Nutrition and healthy aging, 4(2), 181–192. https://doi.org/10.3233/NHA-170023 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.