7 Alimentos Low-Carb Que Você Pode Comer Na Dieta Cetogênica

Pode cenoura na dieta low-carb? E na cetogênica? Mas abóbora pode? E beterraba? E kiwi? E limão?”

Você já teve alguma dessas dúvidas?

Provavelmente sim.

Eu sei disso porque, diariamente, recebemos dezenas de mensagens deste tipo no nosso email ou no nosso perfil do Instagram @senhortanquinho.

Sendo que muitas delas questionam a respeito dos mais diversos alimentos.

Pois as pessoas querem saber se eles são ou não são alimentos low-carb.

E é natural ter essas dúvidas.

Afinal de contas, uma alimentação low-carb ou cetogênica envolve mudar muitos hábitos antigos.

O que passa por evitar o consumo de boa parte dos alimentos que compõem a dieta ocidental padrão.

Ou seja: reduzimos bastante o consumo de trigo, tapioca, arroz, feijão, bolachas…  

Enquanto aumentamos significativamente a ingestão de comida de verdade, pouco processada.

Agora, mesmo dentre os alimentos que são comida de verdade, pouco processada, alguns têm mais carboidratos do que outros.

Sendo que, na estratégia low-carb (e principalmente na dieta cetogênica), vamos buscar diminuir a ingestão de carboidratos.

Para que possamos treinar o nosso corpo a usar a gordura como combustível preferencial.

Então, por um lado, conhecemos diversos alimentos que não vão entrar na dieta cetogênica — incluindo aqueles que são à base de carboidratos refinados (bolos, pães, massas, biscoitos, etc). Estes não vão entrar na dieta.

Por outro lado, conhecemos alguns alimentos que quase não têm carboidratos— como as carnes, ovos, peixes, aves… e alguns vegetais baixos em amido. Estes são realmente “liberados”.

Agora, alguns outros alimentos estão numa “zona cinzenta”.

Porque muitas pessoas pensam que eles não entram de jeito nenhum numa dieta low-carb, high fat.

Mas, com inteligência, estes alimentos podem entrar sim.

Por isso, gravamos este conteúdo, disponível na forma do vídeo abaixo.

Se você gosta de vídeos, recomendo que assista até o final para entender todos os detalhes. 

(Também recomendo que se inscreva no nosso canal do YouTube e ative as notificações, para ser avisado(a) dos novos vídeos que publicamos semanalmente.)

No entanto, se você prefere informação por escrito, continue lendo.

Pois todos os detalhes do vídeo estão escritos abaixo.

E, lendo até o final, você vai descobrir 7 alimentos surpreendentes que — apesar de não parecer — podem sim ser consumidos na dieta cetogênica.

Importante: coloque seu email aqui para receber grátis uma tabela com a quantidade de carboidratos dos principais alimentos.

E nos siga no Telegram para receber novidades, dicas e receitas 100% grátis diretamente no seu celular.

Alimento Que Pode Na Low-Carb #1 — Beterraba

A beterraba é um alimento que boa parte das pessoas (completamente desinformadas) vai te dizer que “não pode”.

Especialmente porque ela se trata de uma raiz — isto é, um alimento que cresce debaixo da terra.

Sendo que algumas raízes são vegetais que realmente têm um pouco mais de amido — como a batata, a mandioca, e a batata baroa (ou mandioquinha).

E muita gente diz que tubérculos até são saudáveis, e entram numa dieta paleo… mas não numa estratégia cetogênica.

No entanto, a beterraba tem bem menos carboidratos do que as outras raízes — apresentando cerca de 7g de carboidratos líquidos a cada 100g de beterraba.

(Lembrando que os carboidratos líquidos equivalem ao total de carboidratos menos as fibras alimentares.)

Sendo assim, é super tranquilo colocar um pouco de beterraba na sua salada low-carb.

Apenas para comparação, a batata tem cerca de 20g de carboidratos a cada 100g — o que dá cerca de 3 vezes mais que a beterraba.

Desta forma, a beterraba é um ótimo exemplo da importância de estudar para montar o seu cardápio low-carb.

Porque é importante conhecer os alimentos para poder fazer melhores escolhas — em vez de simplesmente pensar que “nasce debaixo da terra, então não pode”.

Aliás, este princípio tem tudo a ver com o nosso segundo alimento.

Alimento Que Pode Na Cetogênica #2 — Cenoura

Com relação à cenoura, podemos dizer que ela “sofre do mesmo mal” que a beterraba.

Ou seja, acaba sendo taxada como um alimento rico em carboidratos — por nascer debaixo da terra, assim como suas “primas” (distantes) mandioca e batata doce.

Mas, assim como a beterraba, a cenoura não tem tantos carboidratos quanto alguns “carbofóbicos” gostam de pensar.

Na verdade, nem era para ter tanta discussão nesse ponto: basta olhar as informações nutricionais do alimento.

E, no caso da cenoura, vamos que ela tem cerca de 7g de carboidratos líquidos por porção de 100g.

Sendo que 100g de cenoura representam uma boa quantidade do alimento — o que pode proporcionar uma grande saciedade.

(Como você pode ver, não basta olharmos quanto carboidrato um alimento tem por porção, mas também quanta nutrição e saciedade essa porção pode gerar.)

Ainda há um outro ponto controverso com relação à cenoura: o de que ela teoricamente seria pior quando cozida porque o cozimento aumentaria seu índice glicêmico.

E realmente: pode ser que seu pequeno índice glicêmico aumente alguns pontos com o cozimento.

Mas, sinceramente, com tanta coisa para se preocupar, esse aumento de índice glicêmico é totalmente desprezível.

Por tudo isso, nós sinceramente não achamos que faça sentido retirar a cenoura da sua alimentação por conta dos seus carboidratos.

(Isto é, se você gosta desse alimento.)

Inclusive você pode ver acima uma foto de quando nós fizemos macarrão de cenoura.

E a comemos sem culpa nenhuma — inclusive porque não ultrapassamos nossa cota de carboidratos por dia.

Dica bônus: Se você sente falta de comer macarrão, saiba que existem outras opções além da cenoura para substituí-lo. 

Pois você também pode consumir macarrão de abobrinha, e mesmo macarrão konjac. Basta escolher um molho low-carb para acompanhar e se deliciar.

Alimento Que Pode Na Low-Carb #3 — Morango

Muita gente — quando pensa em alimentação saudável e emagrecimento — já pensa logo nas frutas.

Pois sempre ouvimos que frutas seriam “essenciais” para se ter uma boa saúde.

A verdade é que este é mais um mito da nutrição — assim como o mito de que aveia é saudável, ou de que você teria de comer de 3 em 3 horas para emagrecer.

No entanto, isso não significa que você tenha de abolir todo e qualquer consumo de frutas na dieta cetogênica.

Pois algumas frutas são sim mais ricas em açúcar — e por isso pode ser mais recomendado moderar seu consumo.

No entanto, a verdade é que nem todas as frutas precisam ser evitadas por quem quer perder peso.

Pois existem algumas frutas que são totalmente compatíveis com uma dieta baixa em carboidratos.

Este é o caso do morango.

Com apenas cerca de 5g de carboidratos líquidos a cada 100g (cerca de 5 a 8 morangos) — os morangos podem fornecer grande saciedade por porção.

Sendo que o morango pode ser uma excelente alternativa de sobremesa low-carb — principalmente quando em substituição a um doce convencional cheio de açúcar e farinha.

Além de poder figurar como boa opção para complementar seu café da manhã low-carb.

(Eu pessoalmente adoro a combinação de café preto, pão low-carb de frigideira, e um punhado de morangos.)

Mas eles não são a única fruta cetogênica desta lista — pois o nosso próximo alimento também é uma fruta baixa em carboidratos.

Alimento Que Pode Na Cetogênica #4 — Kiwi

Geralmente quando falamos em frutas low-carb, acabamos sempre citando morango, abacate, coco, frutas vermelhas… 

Mas nem sempre nos lembramos que o kiwi também pode se encaixar nessa categoria.

O delicioso kiwi tem cerca de 9 gramas de carboidratos líquidos a cada 100g — e uma unidade de kiwi tem cerca de 80g a 100g.

Ou seja: algo entre 7 e 9g de carboidratos digeríveis por fruta

Então, se por um lado não podemos comer “caixas e caixas” de kiwi…

Por outro lado fica claro que uma unidade dessa fruta se encaixa com facilidade na maioria das dietas low-carb.

Então, assim como os demais alimentos de que estamos falando hoje, tudo vai depender do contexto e da porção em questão.

Sendo que, no caso do kiwi, a “porção padrão” normalmente se resume a um exemplar da fruta — o que é totalmente aceitável em uma estratégia low-carb.

Alimento Que Pode Na Low-Carb #5 — Laranja

A laranja é o alimento com mais carboidratos dentre os que vimos até agora, com cerca de 12 a 14g de carboidratos digeríveis a cada 100g.

Sendo que uma unidade de laranja tende a ter algo entre 100g e 150g.

Mas mas nós a incluímos aqui por um motivo muito especial.

Acontece que ela é uma fruta bastante presente no dia a dia das pessoas (diferente de outras frutas low-carb que são menos usuais, de cajus a mirtilos).

E também sempre foi presente no meu cotidiano: pois tenho o hábito de almoçar todos os domingos na casa dos meus avós — sendo que a família toda divide e compartilha algumas laranjas após esta refeição.

No entanto, quando comecei a dieta cetogênica, acabei reduzindo drasticamente o consumo de frutas — inclusive esse compartilhamento de laranjas, que foi algo tradicional durante praticamente toda minha vida.

Felizmente, estudei mais sobre os alimentos (até para desenvolvermos esta tabela grátis com as quantidades de carboidratos), e percebi que dividir uma laranja com meu querido avô não iria atrapalhar em nada a minha estratégia cetogênica.

Ainda mais depois do almoço — pois as frutas funcionam muito melhor como sobremesas do que como opções de lanche low-carb.

Por isso, se quiser consumir frutas, fica a dica de sempre optar por elas após a refeição — e também preferir consumi-las ao natural (in natura), evitando sucos de fruta.

Alimento Que Pode Na Cetogênica #6 — Abóbora

A abóbora é outro alimento que costuma ser injustamente excluído de dietas cetogênicas.

Mas não precisa ser assim: pois as várias variações de abóboras (menina, cabotiá, moranga, pescoço, entre outras) têm menos de 10g de carboidratos digeríveis a cada 100g de abóbora.

E como consumir essa abóbora na sua dieta low-carb?

Duas opções incríveis são o escondidinho de abóbora low-carb e o doce de abóbora low-carb.

Mas você também pode usar de diversas outras formas — desde acrescentar consistência a uma sopa ou caldo low-carb, até deixar bem cremosa para complementar, por exemplo, sua carne moída.

(Mostramos a culinária da abóbora com carne moída num vídeo completo sobre como cozinhar para a semana toda em apenas 3 horas.)

Em todos estes cenários, você estará acrescentando sabor e nutrientes na sua dieta, sem necessariamente ingerir uma grande quantidade de carboidratos.

Alimento Que Pode Na Low-Carb #7 — Iogurte

Apesar de o leite não ser bem aceito em uma dieta low-carb, alguns tipos de iogurte são muito bem-vindos nesta estratégia alimentar.

Isso porque sua quantidade de carboidratos pode ser bem baixa — dependendo da qualidade do iogurte escolhido.

(E você ainda pode fazer o seu próprio iogurte, conforme ensino no vídeo acima.)

Sendo que escolher iogurtes alinhados com sua dieta cetogênica não é tarefa das mais difíceis.

Pois, dentre todos os alimentos deste post, este é o único que é vendido em uma embalagem que lista seus ingredientes e sua informação nutricional.

(Lembrando que aprender a ler rótulos e informações nutricionais é bem importante para ter resultados de longo prazo com sua alimentação.)

No caso dos iogurtes, apenas olhar para a lista de ingredientes do alimento já possibilita realizar ótimas escolhas.

Porque vamos buscar por aqueles iogurtes que contenham apenas leite e fermento (culturas lácteas) como ingredientes.

Evitando ingredientes como corantes, conservantes, sucos concentrados de fruta, açúcares, e outras adições esquisitas.

Isso vale tanto para iogurtes integrais, quanto desnatados… ou mesmo variações mais exóticas (mas que tendem a se popularizar cada vez mais) como iogurte grego, skyr e kefir.

Curiosamente, notamos que geralmente são os iogurtes com embalagens esteticamente mais simples (e com menos “marketing” e promessas em seus rótulos) que tendem a se encaixar nesta categoria.

E que diversas marcas populares têm alguma versão com poucos ingredientes.

E vale lembrar que a quantidade de carboidratos apresentada nas informações nutricionais do iogurte geralmente não corresponde ao que realmente temos dentro daquele iogurte.

Isso porque parte desses carboidratos é consumida durante o processo de fermentação do alimento.

Isto é: quando o leite é fermentado para virar iogurte, uma parte significativa de sua lactose (seu açúcar) vai ser convertida em ácido lático.

(É o ácido lático é o que dá aquele gosto azedo ao iogurte — e o ácido lático não é um carboidrato.)

Desta forma, é impossível dizermos com precisão quantos gramas de carboidratos realmente há em 100g de iogurte.

Mas é seguro dizer que a resposta seria “menos do que está indicado no rótulo”.

Alimento (Bônus) Que Pode Na Cetogênica #8 — Tomate

Para finalizar nosso texto, trazemos o caso do tomate — um alimento que, botanicamente, é considerado uma fruta.

(Embora muitas pessoas o considerem mais como um “legume” do que como uma “fruta” propriamente dita.)

Conhecimento é saber que o tomate é uma fruta. Sabedoria é não colocar tomate na salada de fruta.”

E costumamos considerá-lo um legume porque, apesar de ser uma fruta, o tomate não é docinho.

E nem teria como ter muito dulçor: afinal de contas, ele tem uma quantidade super pequena de carboidratos, de cerca de 2g a cada 100g do alimento.

Sendo que o tamanho médio de uma unidade pode variar muito: desde os tomates cereja, até aqueles grandões (conhecidos como tomate carmem).

Ou seja: todas as variações de tomate podem ser consumidas na sua alimentação low-carb.

No entanto, vale um alerta.

O de que, quando usamos vários tomates para fazer um molho de tomates, ele já não será tão baixo em carboidratos assim.

Afinal, para preparar o molho, temos de retirar grande parte da água que compõe o tomate — o que torna a sua concentração de carboidratos muito maior.

Este detalhe é ainda mais agravado quando pensamos nos molhos de tomate prontos — uma vez que muitos deles ainda apresentam açúcar adicionado.

Então, se a sua intenção é entrar em cetose, vale a pena não exagerar na porção de molho de tomate que coloca no seu prato.

Alimentos Que Podem Sim Na Low-Carb E Cetogênica — Conclusão E Palavras Finais

Hoje vimos 7 alimentos que muita gente diz que são “proibidos” na dieta low-carb.

Mas que você consegue sim encaixar em sua dieta.

Desde que, é claro, você goste deles: pois você não é obrigado a comer nenhuma destas comidas para emagrecer na low-carb ou cetogênica.

Afinal de contas, simplesmente não faz sentido basear a sua estratégia em alimentos que você não gosta.

Uma vez que existem diversas opções de cardápios e refeições que vão te ensinar a emagrecer, melhorar a saúde, e viver uma vida mais longa e feliz.

Ao mesmo tempo em que tem prazer a cada refeição.

Se você gostaria de aprender como montar uma estratégia alimentar low-carb ou cetogênica que se adapta ao seu estilo de vida, eu te convido a conhecer o nosso Treinamento Tanquinho De Refeições Low-Carb.

Com este treinamento exclusivo, você vai aprender tudo o que precisa saber para montar um menu low-carb ou cetogênico que você consegue seguir para emagrecer e ter resultados.

Inclusive, você vai saber exatamente:

  • Como eliminar as principais dificuldades ao começar dieta baixa em carboidratos;
  • Como montar um cardápio que você siga com gosto, sem jamais enjoar das refeições;
  • Menu-exemplo: 81 variações de menu mostradas ao vivo com opções de café da manhã, almoço, lanche, e jantar;
  • O que é (e como sair de um) platô de perda de peso;
  • Como adequar o cardápio low-carb a sua rotina e dia a dia;

E muito, muito mais.

Clique aqui para conhecer o treinamento e ver como ele pode te ajudar a emagrecer e ter sucesso com a low-carb e cetogênica.

Sendo que este treinamento é especial justamente porque o contexto geral da sua alimentação é importante.

Porque seus gostos, preferências, necessidades, restrições, e muito mais têm de ser levados em conta para elaborar um cardápio que você segue com prazer.

É por isso que a sua dieta low-carb (desde a escolha de alimentos até os horários das refeições) nunca vai ser exatamente igual à da sua amiga.

E tá tudo bem: o importante é encontrar o que funciona para você.

É isso que vamos te ajudar a fazer no treinamento de refeições.

>>> Sim, quero aprender a montar uma dieta low-carb que funciona para mim!

Será um prazer te acompanhar nesta jornada.

Forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.

Receba atualizações dos comentários
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments