Podcast #086 — Longevidade: Os 7 Pilares Para Viver Mais E Melhor, Com Dr. Fabio Rieger

Entre as dez principais causas de morte hoje, pelo menos seis estão relacionadas diretamente com os nossos hábitos de vida, as nossas atitudes — o que a gente come, e o que a gente faz [como estilo de vida].”

Praticamente todas as pessoas desejam viver por mais tempo, e com mais qualidade de vida.

Mas você sabia que as suas atitudes hoje podem influenciar diretamente quantos anos você vai viver?

E mais: quais serão as melhores estratégias para você viver uma vida mais longa e com mais saúde?

É sobre isso que vamos falar hoje, com o nosso convidado Dr. Fabio Rieger.

Então, escute o podcast atentamente até o final,

Porque, assim, você vai saber exatamente:

  • longevidade: o que é isso exatamente,
  • o que diminui sua longevidade? As principais causas da uma vida abreviada,
  • os 7 pilares para viver mais e melhor (vamos falar de cada um deles em detalhes),
  • fazer jejum é positivo para quem deseja viver mais?
  • e jejuns prolongados — são bons ou ruins?
  • por que começar a mudar um único hábito de longevidade pode te ajudar a colocar os outros hábitos longevos em prática,
  • restrição calórica faz você viver mais? É uma estratégia sustentável?
  • metformina: seria essa a nova pílula da longevidade?
  • a verdade sobre restrição de proteínas e aumento da expectativa de vida,
  • como começar a sua jornada rumo à longevidade,
  • como o Dr. Fabio Rieger coloca esses pilares em prática no seu dia a dia,

e muito, muito mais.

iTunes | Google Podcasts | Stitcher | Spotify | YouTube

Siga o Dr. Fabio Rieger em suas mídias sociais. Ele é mais ativo no Instagram: https://www.instagram.com/dr.fabiorieger/ 

A gente também está presente em várias mídias sociais. Somo mais ativos nessas aqui:

Além disso, o Fábio também é criador do curso Pilares Da Longevidade juntamente conosco.

Você confere mais detalhes sobre esse nosso projeto aqui.

Abaixo você encontra nosso agradecimento aos apoiadores que possibilitam este projeto ser um sucesso.

E também a transcrição completa do episódio.

Para ser avisado de novos episódios, lembre-se de nos seguir no email e no canal do Telegram.

Tem episódios novos todas as segundas e sextas-feiras.

Obrigado Aos Apoiadores Do Podcast

Bem-vindo a mais um podcast do Senhor Tanquinho. Somos Guilherme e Roney, e aqui a nossa missão é deixar você no controle do seu corpo. 

Antes de irmos ao episódio em si, queremos agradecer aos apoiadores que tornam este projeto possível.

Apoiador #1 — Loja Online Tudo Low-Carb

Este podcast é um oferecimento da loja online Tudo Low-Carb

E o que é a loja online Tudo Low-Carb? Bom, a tudo Low-Carb é uma loja que vende —  como o próprio nome já diz — somente produtos que se encaixam numa dieta low-carb e cetogênica

Lá você vai comprar de tudo, desde farinhas low-carb (farinha de amêndoa, farinha de amendoim, farinha de coco, farinha de linhaça), adoçantes (xilitol, eritritol, estévia), dentre muitos outros temperos e produtos naturais, feitos com comida de verdade. 

O mais legal é que a gente conhece a dona da loja, Eliana, a gente já até a entrevistou aqui no podcast, e a Eliana nos garantiu que ela tá sempre procurando na Internet para garantir que a Tudo Low-Carb tenha os melhores preços dos adoçantes xilitol, eritritol e da farinha de amêndoa, que segundo a gente, são os ingredientes mais importantes se você quer fazer receitas low-carb.

Então, se esse é seu caso, se você quer comprar xilitol, eritritol e farinha de amêndoas com o melhor preço da Internet, é só você acessar a Tudo Low-Carb — porque lá é garantido que você vai encontrar. 

E você pode aproveitar para comprar diversos outros produtos low-carb com qualidade. 

Apoiador #2 — Medidor de cetonas Uaiketo

Esse podcast também é um oferecimento do Uaiketo — e o que é o Uaiketo? 

O Uaiketo é um aparelhinho que serve para medir o seu nível de cetose através do hálito. 

A gente achou muito interessante esse aparelho porque você pode saber o seu nível de cetose sem ter que furar o seu dedo ou fazer um exame de sangue para isso. 

É um aparelho realmente revolucionário no mercado — e o mais legal é que o Uaiketo é uma tecnologia 100% brasileira. 

O Iago, criador deste aparelho, entrou em contato com a gente, e a gente achou super legal divulgar essa iniciativa —  é por isso que hoje o Uaiketo é um dos patrocinadores aqui do podcast. 

A gente recomenda que você conheça esse aparelho, se a sua intenção é saber o seu nível de corpos cetônicos. É só acessar uaiketo.com.br.

Apoiador #3 — Nossos alunos do Guia Dieta Cetogênica

Este podcast só existe graças aos alunos do nosso programa VIP Guia Dieta Cetogênica

O Guia Dieta Cetogênica é um curso em vídeo com todas as informações, passo a passo, para você seguir uma dieta cetogênica de sucesso. 

E como bônus para você que escuta os nossos podcasts, a gente colocou dentro do programa, na área de membros especiais, todos os nossos livros e manuais digitais já publicados até hoje. 

Então, são centenas de receitas. Tem também o nosso livro de apoio, com 120 dúvidas sobre alimentação saudável respondidas, com prefácio do Dr. José Neto, um livro super elogiado por profissionais como Dr. Souto, Dr. Rodrigo Bomeny, Danilo Balu e por vários e vários convidados que já passaram pelo nosso podcast.

E ainda tem tabelas, infográficos, textos explicativos, resumos em pdf, um grupo secreto no Facebook e muito, muito mais. 

Então, convido você a conhecer o nosso programa Guia Dieta Cetogênica.

Transcrição Completa Do Episódio Com Dr. Fabio Rieger

Guilherme: Olá, Tanquinho. Olá, Tanquinha. Sejam bem vindos e bem vindas a mais um episódio do nosso podcast. E, aqui, Guilherme falando, o Roney também está presente, e quem também está presente hoje é o Fabio Rieger, que já veio em outro podcast com a gente, já compareceu aqui para falar sobre colesterol.

Mas hoje a gente vai falar sobre longevidade, como viver mais e melhor. Tudo bem com você, Fábio?

Dr. Fabio Rieger: Tudo joia, Guilherme, tudo joia, Roney. 

Obrigado mais uma vez pelo convite, é sempre um prazer estar conversando com vocês, e vamos abordar outro tema muito importante, muito atual que é a questão da longevidade, acho que todo mundo vai se interessar. 

Roney: Perfeito, Fábio. Um prazer tá com você aqui novamente. E, então, vamos começar esse podcast definindo o conceito de longevidade, até para deixar todo mundo que está nos ouvindo na mesma página. 

Relacionado: conheça nosso treinamento Pilares da Longevidade Para Viver Mais E Melhor (Começando Hoje)

Longevidade: O Que É

Dr. Fabio Rieger: Perfeito. Bem, longevidade seria viver mais — mas eu acho que a gente tem que levar em conta não apenas o viver mais, a gente tem que viver mais e com saúde, então isso é o mais importante.

Não adianta a gente viver por mais tempo e acamado, em péssimas condições de saúde, então a gente tem que tentar hoje, com todo conhecimento, tudo que se sabe da parte médica, enfim, a gente pode viver mais e, realmente, com saúde, com disposição e ter uma vida com qualidade. 

Acho que essa é a melhor definição de longevidade. 

Guilherme: Certamente é uma boa definição, e acho que um ponto de partida interessante para a longevidade, é justamente ver o que tem interrompido essa longevidade das pessoas.

Quais são as principais causas de morte que levam as pessoas a falecerem hoje em dia. 

Até para a gente poder atuar nelas pontualmente e, possivelmente, mitigando essas causas, aumentar a nossa expectativa de vida com qualidade. 

Quais são essas principais causas então?

O Que Diminui Sua Longevidade? As Principais Causas De Morte

Dr. Fabio Rieger: Perfeito, bem, entre as dez principais causas de morte hoje, pelo menos seis estão relacionadas diretamente com os nossos hábitos de vida, as nossas atitudes com o que a gente come, o que a gente faz. 

Vamos lá, infartos, os AVCs, os famosos derrames, DPOC — que é a doença pulmonar obstrutiva crônica, são os enfisemas pulmonares, Alzheimer e outras demências, câncer de pulmão, traqueia, brônquios e o diabetes mellitus

Então, essas seis doenças, vamos dizer assim, elas estão entre as principais dez causas de morte hoje no mundo, e elas podem ser, não digo totalmente evitadas —  porque entra a questão genética em algumas doenças….

Mas elas podem, dependendo da pessoa, normalmente a gente pode adiar e quem sabe até mesmo evitar. 

A gente tenta atitudes corretas, então com certeza a gente vai estar ampliando aí a nossa longevidade, aumentando a nossa expectativa de vida.

Relacionado: Como aumentar sua longevidade para viver mais anos com mais saúde, e passar mais tempo fazendo as coisas que você gosta junto das pessoas que você ama.

Longevidade: Os 7 Pilares Para Viver Mais E Melhor

Roney: Perfeito, Fábio. E, nesse caso, quais seriam algumas medidas que a gente poderia tomar nesse sentido, no sentido de conseguir aumentar a nossa expectativa de vida — e não só isso, mas aumentar a nossa expectativa de vida com qualidade?

Dr. Fabio Rieger: Eu acredito em sete pontos cruciais para a gente poder viver mais e com qualidade. 

Eu vou discutir um pouquinho ponto a ponto. 

Pilar #1 da Longevidade — Hidratação (Beber Água)

O primeiro ponto parece ser uma coisa muito simples, mas esquecida por muitos, que é beber água, se manter hidratado. 

A gente tem que lembrar que o nosso corpo ele é 70% composto de água, e as pessoas, a gente vê muito isso em consultório, é rotineiro as pessoas esquecem, por incrível que pareça, as pessoas esquecem de se hidratar ao longo do dia, e a melhor coisa para essa hidratação é a água, tá? 

Então uma atitude simples é tomar água, a gente vai manter o corpo hidratado e o corpo funcionando de uma forma correta. 

Guilherme: Certo, então a hidratação é um dos pilares. 

O que mais que a gente pode colocar nessa lista de bons hábitos aí, de boas atitudes para aumentar a longevidade?

Pilar #2 da Longevidade — Alimentação (Comida De Verdade)

Dr. Fabio Rieger: Bem, já que a gente falou em tomar água, vamos falar em comer. 

A comida tem papel fundamental na manutenção da saúde. 

Das doenças que eu citei, praticamente todas elas estão relacionadas com os nossos hábitos alimentares. 

Hoje a gente vive uma onda, uma epidemia de sobrepeso e obesidade, e esse sobrepeso e obesidade ele impacta diretamente nessas principais causas de morte.

Os infartos, os AVCs, o diabetes, tá tudo relacionado com o sobrepeso, a obesidade, com a hiperinsulinemia, o aumento da glicemia.

E lembrando também, dependendo do que a gente come, os processados, eles levam a gente a desenvolver um processo inflamatório crônico no nosso corpo, aumentando as famosas citocinas inflamatórias, interleucina-6 e interleucina-8…  

O próprio glúten, lactose, são todos alimentos assim que têm um potencial inflamatório e que desencadeiam uma série de doenças. 

Alimentos ricos em ômega-6, os óleos vegetais, as frituras, então é importantíssimo. 

A gente trabalha com low-carb, vocês aí são dois mestres da low-carb…

E a low-carb ela se baseia em quê? Em comida de verdade

E com comida de verdade a gente consegue combater o sobrepeso, a gente consegue combater obesidade, reverter um diabetes, impedir um diabetes.

Ela leva a menos obesidade, menos sobrepeso, menos hipertensão, menos derrames, menos AVCs. 

Olha como é importante comer bem, baseado em comida de verdade. Acho que é um dos pilares principais.

Roney: É a aquela coisa que a gente sempre gosta de bater na tecla, de que muitas vezes, mesmo você sendo uma pessoa com aparência magra, e os exames estando ok no momento… 

Pode ser que, se você continuar abusando de certas comidas como as que você exemplificou — ricas em glúten, altamente inflamatórias, muito processadas — pode ser que no futuro isso venha a cobrar seu preço.

Que nem aquela pessoa que talvez tenha fumado por 50 anos e nunca teve nada. 

Não quer dizer que isso vai colaborar para ela ter uma boa longevidade e uma longevidade com saúde. 

Por isso que é tão importante a gente tomar conta da nossa alimentação e comer comida de verdade em pelo menos 90% do tempo, porque com certeza isso vai se refletir lá na frente na nossa vida. 

Dr. Fabio Rieger: Isso, exatamente, e você tocou num ponto que é muito interessante. 

O fato de muitas vezes a gente estar magro não significa necessariamente que seja uma pessoa saudável. 

Uma pessoa magra, mas que se alimenta mal, que come aí muitos produtos processados, ricos em açúcar e ômega 6, ela é uma pessoa inflamada. 

E essa inflamação crônica, no futuro, de um jeito ou de outro ela vai cobrar o seu preço, com certeza. 

Vai afetar a parte circulatória, e isso vai ser cobrado lá na frente. 

Então, realmente magreza é um ponto muito bom que você tocou, não é sinônimo de ter saúde. 

Roney: Então a gente já viu que beber água é importante, se alimentar bem é importante, como a gente sempre fala. A partir disso, quais seriam os outros cinco pilares da longevidade que você levantou, Fábio?

Pilar #3 da Longevidade — Atividade Física (Exercícios)

Dr. Fabio Rieger: Perfeito. Atividade física é fundamental, principalmente pela seguinte questão.

A gente se movimentando, praticando exercício físico, a gente mantém uma boa função cardiovascular, ou seja, o nosso coração e pulmão, eles mantém um bom funcionamento. 

E uma coisa muito importante que é negligenciada por muitas pessoas, que a gente esquece, é o processo de envelhecimento após a quarta ou quinta década de vida, a gente tende a perder em torno de 1% a 2% de massa magra, de músculo por ano. 

Para ter uma ideia, existe o que a gente chama de sarcopenia, que é perda de músculo, cerca de 40% da população acima de 60 anos têm sarcopenia, uma perda importante de massa muscular, e mais de 60% após os 80 anos. 

E por que que isso é importante, atividade física, falando de músculo

Se a gente pensar num idoso, o que que leva os idosos a sofrerem na velhice?

Justamente a perda de massa muscular, eles começam a se tornar acamados, e isso interfere no equilíbrio, tem risco de quedas. 

Diminui muito a sua movimentação, e isso vai comprometendo todo o sistema cardiovascular, vai dando problemas de coração, problemas de pulmão, retenção de líquido, e sobrecarregando todo o sistema. 

Então, a atividade física com exercícios de resistência (exercícios resistivos), como a musculação, são fundamentais para a gente manter essa massa magra, e manter o nosso coração e o nosso pulmão funcionando.

Roney: Então, nesse ponto, é interessante notar que não vale ter aquele pensamento do tipo: “ah eu já tô com 50 ou 60 anos, já tô perdendo massa magra então nem adianta eu me esforçar fazendo treino com força, porque não vai adiantar nada para mim, eu não vou ter resultado”. 

Pelo contrário: justamente nessa hora é ainda mais importante fazer os treinos com força para tentar prolongar o máximo a quantidade e a qualidade da sua massa magra. 

Dr. Fabio Rieger: É, exatamente. E não só a questão muscular, né. 

As mulheres, principalmente, sofrem também de osteoporose, perda de massa óssea. 

Os homens também, claro, mas as mulheres principalmente quando é chegada a menopausa, após 50 anos de idade. 

E, além de manter músculos, a atividade física ela acaba sendo fundamental para a manutenção da massa óssea também. 

Então você diminui os riscos de fratura por osteoporose, e é fundamental que após os 50 anos, pratica atividade física, faça musculação, porque dessa forma você consegue prevenir e amenizar muito essa perda de músculo. 

Claro que é associado ali ao ponto que a gente comentou anteriormente, a uma boa alimentação rica em proteínas, aminoácidos, que são fundamentais para a construção muscular.

Guilherme: Então, recapitulando até agora, o pessoal pode estar até um pouco “desapontado”, porque não teve nada do outro mundo. 

A gente falou de 

  • beber água, 
  • comer direito, 
  • movimentação, como exercícios físicos. 

O que mais que a gente tem nessa lista? Tem alguma coisa do outro mundo ou a gente continua com práticas que meio que todo mundo já sabe que faz bem?

Revelados: Os 7 Pilares De Saúde Para Viver Mais E Melhor (Começando Hoje)

Pilar #4 da Longevidade: Bons Hábitos (Evitar Álcool E Cigarro)

Dr. Fabio Rieger: É incrível, né, é uma coisa tão simples e que a gente tem tanta dificuldade, que as pessoas têm tanta dificuldade em aceitar. 

Vocês vão ver que não tem nada do outro mundo. 

Outra atitude simples é desenvolver bons hábitos, o que que eu quero dizer com bons hábitos? 

Felizmente, no Brasil principalmente a gente vê muito que estamos reduzindo o consumo do cigarro, mais o cigarro ele ainda é uma das principais causas de câncer, principalmente de pulmão e brônquios, e que acaba afetando muito a população e gerando muito óbito. 

E também eu classificaria o quarto ponto de bons hábitos, e seria não fumar, o ideal em um mundo perfeito, não consumir bebida alcoólica

A gente sempre tem que lembrar que o álcool ele é tóxico, não existem limites ou meio termo seguro do consumo de álcool. 

Então o álcool ele tem que ser bebido com muita moderação, mas principalmente esses dois hábitos, o cigarro e o consumo das bebidas alcoólicas muito bem controlados, como exceção a gente pode, com certeza, evitar câncer, evitar o aumento do risco de infarto, porque o cigarro, por exemplo, ele acaba interferindo diretamente no processo da aterosclerose, sem contar, uma das principais causas de óbito que eu comentei foi o DPOC, o famoso enfisema pulmonar, quem tem relação com o tabagismo. Então, coisas simples e que têm muito resultado.

Roney: É incrível que por mais que sejam coisas simples, elas são a base para muitos pilares da nossa saúde, não só a longevidade como a própria imunidade que tá tão em alta agora, esse tema imunidade por causa da pandemia, e todos eles podem se resumir nesses pilares, nesses hábitos que a gente tá abordando agora, alimentação, água, não fumar, não beber exageradamente… e por que que a gente sempre tem que falar isso? 

Porque, como você falou, o cigarro ainda é uma das maiores causas de morte, e as pessoas sabem o que é saudável, mas elas simplesmente não fazem. Então, por isso que é importante a gente tá sempre ressaltando a importância desses hábitos. 

Porque se todo mundo soubesse tudo e fizesse tudo direitinho, a gente teria muito menos espaço aqui para o nosso trabalho, não é mesmo, Fábio.

Dr. Fabio Rieger: É, exatamente. E uma curiosidade, Roney, por incrível que pareça, nesse campo, o Brasil, assim, ele tá muito à frente de outros países, que países europeus e o próprio Estados Unidos. 

A gente tem uma legislação muito mais dura de combate ao tabagismo, com propagandas obrigatórias no próprio maço de cigarro, ali tem aquelas campanhas de saúde, com toda essa obrigação hoje você não pode mais fumar em lugares fechados, não pode mais fumar em restaurantes, então esse ponto é muito positivo, o Brasil tá de parabéns em comparação com Estados Unidos e Europa, onde o hábito de fumar ainda se mantém muito mais alto do que aqui. 

Aqui se reduziu drasticamente os fumantes, felizmente, as campanhas realmente funcionaram muito bem.

Roney: Olha só, então apesar de tudo, o Brasil tem pontos positivos como a gente tá vendo, tá a frente dos outros países mais desenvolvidos em algumas questões, como nesse caso do fumo, do tabagismo. 

É verdade que tem alguns países que ainda é até permitido fumar dentro de estabelecimentos como bares e baladas, e no Brasil já faz tempo que isso foi proibido. E, Fábio, indo para o nosso quinto ponto, qual seria ele? 

Pilar #5 da Longevidade: Combater o Stress

Dr. Fabio Rieger: O quinto ponto é talvez um dos mais difíceis, combater o estresse. Hoje nesse mundo moderno que a gente vive, realmente é muito complicado, existe uma cobrança. 

A própria Internet, os aparelhos de celulares, então a gente não se desliga nunca. 

O celular hoje é uma maneira, a gente acaba conectado ao trabalho praticamente 24 horas por dia, 7 dias na semana. 

A gente não se desliga. 

Então, o estresse ele é uma fonte, realmente, de muitas doenças. 

Como que a gente pode combater o estresse? Através da atividade física, tentar cultivar bons pensamentos, convivência… ter convivência pessoal, familiar, amigos, diversão, sair, ir a um parque, praticar Ioga. 

Então, são atitudes que a gente pode, que a gente deve ter justamente para tentar amenizar o estresse. 

Mas eu meio que eu considero uns dos pontos, assim, mais difíceis de serem amenizados nesse mundo moderno, louco que a gente vive hoje. 

Guilherme: Beleza, Fábio, eu acho que esse, pelo menos, de tudo que a gente falou até agora, é o mais difícil para mim, a questão do estresse e mesmo de se desligar, de conseguir inserir outras práticas, mas a gente reconhece a importância disso. 

No ponto do cigarro, é bem o que você falou, eu tô morando em Portugal, e aqui uma coisa que me desagrada muito é ir para os lugares fechados e às vezes sair com a roupa, com o cheiro de cigarro, porque simplesmente é tolerado, é permitido fumar em ambientes fechados, e acaba aí impregnando o ambiente.

E é um hábito que eu não tenho, eu não gosto do cheiro, enfim, tenho um pouco de rinite também, então foi um grande choque, assim, foi um dos pontos mais negativos que eu observei nessa mudança. E o que mais que a gente tem aí? A gente falou já de 5 pilares, faltam mais dois, não é isso? 

Dr. Fabio Rieger: Isso, faltam mais dois. É interessante, né, só para fazer um adendo, justamente porque você comentou dessa questão aí, que sai aí em Portugal, e tal, e o pior: tu não é fumante e tu acaba sendo prejudicado pelo ato dos outros, porque tu vai consumir, tu vai aspirar essa fumaça e vai te fazer mal também, indiretamente. Então, olha aí que coisa.

Guilherme: É bem por aí mesmo. E que mais tem aí para a nossa lista, então?

Pilar #6 da Longevidade: Dormir Bem

Dr. Fabio Rieger: Vamos lá, o próximo passo é dormir bem. 

O sono é fundamental para o nosso corpo, o sono é o momento de reparo, quando a gente dorme, a gente dorme bem, o nosso corpo ele repara as células, ele produz uma série de hormônios, normaliza várias questões hormonais, e o nosso cérebro, todas as informações, tudo aquilo que a gente aprendeu durante o dia, a gente consegue captar e firmar aquilo, justamente durante o período de sono. 

Para você ter uma ideia, tem vários estudos mostrando que pessoas que dormem mal, ou menos de cinco horas por noite, isso altera muito o sistema imunológico, causa uma supressão do sistema imunológico, então fica muito mais fácil de desenvolver doenças, resfriados, pneumonias, o coronavírus. 

Além do que, com as alterações pela falta de sono, diminui a produção de HGH, alteração a produção de melatonina, isso tudo contribui para doenças como obesidade, vão contribuir para o surgimento de doenças do coração. 

O nosso cérebro ele não se recupera, então há um aumento de incidência de Alzheimer, de outros tipos de demência. 

Então, o sono ele é um pilar fundamental, e muito atrapalhado pela modernidade hoje. 

O celular é muito bom — e não sei se vocês concordam comigo, mas talvez — uma coisa que ele prejudicou a gente de tal maneira, se for pensar, em questão de saúde, é a questão do estresse aí, do trabalho, mas a gente vai deitar com o celular, a gente não se desliga, então a gente acaba dormindo mais tarde também por causa dele. 

Então, o sono ele é fundamental para a gente viver mais. 

Roney: Com certeza, Fábio, é aquela coisa, a tecnologia tem o lado bom e tem o lado ruim, e você tem que aprender a lidar com isso, para fazer o melhor uso possível. 

Por exemplo, é ótimo que a gente possa, por meio dessa tecnologia gravar nossos podcasts com pessoas em três lugares distintos do mundo, e que as pessoas possam nos escutar da casa delas; e é ruim que tenha esse lado de que muitas vezes, as pessoas vão dormir mais tarde do que deveriam, por causa que ficam vendo série na Netflix, porque ficam navegando na Internet, em Instagram, Facebook, e aí acabam perdendo minutos preciosos de sono, fazendo coisas que não acrescentam muito em termos de conhecimento para a vida delas. 

Não que sejam coisas que a pessoa não possa fazer, pode fazer, claro, só que talvez fosse melhor dar preferência para o sono, antes de dar preferência para esse outro tipo de coisa que não agrega tanto assim.

Dr. Fabio Rieger: É, exatamente, a gente tem que tentar fazer um preparo para dormir. 

Uma hora antes começar a se desligar, deixar o celular de lado, esquecer um pouco as redes sociais. 

A gente tem o dia inteiro para ver as redes sociais, então, estabelecer um horário, uma rotina, poxa, eu vou tentar realmente, eu tenho que acordar seis horas para trabalhar, então eu quero tentar pelo menos ter entre seis a oito horas de sono. 

Então eu faço um cálculo, uma hora antes eu começo a largar as redes sociais, deixo o celular de lado, começo a diminuir a luz dentro de casa. 

Quando eu for dormir no quarto, tudo escuro, apago as luzes, num ambiente menos ruidoso possível, para realmente conseguir relaxar e ter um sono tranquilo. Então, fazer esse preparo para dormir, pode ajudar muito a gente, e vai garantir alguns anos de vida.

Roney: Perfeito, Fábio, e só para pontuar, que vários e vários dos convidados que vieram aqui no nosso podcast até hoje, já colocaram o sono dentre um dos seus hábitos saudáveis mais importantes. 

Vários deles falam, tocam nesse ponto de que o sono é fundamental para a saúde, porque claro, todo mundo que é consciente com a sua saúde sabe ou deveria saber que o sono é importante. Inclusive, quem quiser saber um pouco mais sobre esse assunto, a gente tem o podcast, com o Dr. João Gallinaro, que é especialista em sono, lá a gente discute bastante sobre isso e a gente vai deixar linkado aqui. E, Fábio, indo para o nosso sétimo pilar da saúde e longevidade, qual seria ele?

Relacionado: Como aumentar sua longevidade para viver mais anos com mais saúde, e passar mais tempo fazendo as coisas que você gosta junto das pessoas que você ama.

Pilar #7 da Longevidade: Jejum Intermitente

Dr. Fabio Rieger: Perfeito. 

O sétimo pilar ele é, na minha concepção, é a prática do jejum intermitente.

Pode parecer estranho, poxa, mas o jejum intermitente e longevidade? 

Sim, tem vários estudos hoje que mostram os benefícios do jejum

Para vocês terem uma ideia, muita gente não sabe, mas inclusive existe um prêmio Nobel de medicina, em 2016, um japonês, Yoshinori Ohsumi, ele ganhou um prêmio Nobel de medicina com descoberta de mecanismo de autofagia, melhor função de mitocôndria, renovação celular associados ao jejum. 

Então, o jejum é uma ótima ferramenta, muito importante para a nossa longevidade. 

Existem ainda outros estudos que mostram que pessoas que vivem um déficit calórico, então a gente pode associar isso ao jejum, que tem uma longevidade maior, entre os benefícios do jejum aí. 

Quem pratica jejum tem uma tendência a ajudar a perder peso, porque tá em jejum, o que que vai acontecer, as nossas células velhas elas vão ser consumidas, então vai provocar uma renovação celular. 

E uma coisa muito curiosa que eu vou perguntar para vocês dois agora, eu não sei se vocês já pararam para pensar, o jejum intermitente ele é muito parecido com o exercício físico, vocês já pensaram nisso alguma vez? Então eu explico para vocês.

Guilherme: Eu já pensei que ele tem alguns benefícios que podem ser bastantes similares, ambos acabam por diminuir os níveis de insulina circulando no corpo, ajudam no controle glicêmico, ajudam na oxidação de gorduras, então eles têm alguma similaridade sim, nesse sentido metabólico. Era mais ou menos por aí o seu raciocínio? 

Dr. Fabio Rieger: Isso, perfeito, Guilherme.

Roney: Só para complementar, tem um fator de estresse também que é um estresse que pode ser benéfico para o corpo, assim como o exercício, principalmente o exercício resistido pode ser também, dá a resposta do corpo uma hormese para compensar esse tipo de estresse e dar um tipo de benefício pra gente, então acho que tanto isso quanto o que o Guilherme falou, também são duas das similaridades entre o jejum e o exercício.

Dr. Fabio Rieger: Isso, perfeito, o que vocês dois falaram tá perfeito. Então, realmente, o jejum é poderoso.

Isso não significa que ele se equivale ao exercício físico e a gente tá incentivando a pessoa a não praticar atividade física, absolutamente. 

Mas o jejum leva a alterações no nosso corpo muito semelhantes à prática da atividade física

Tem essa questão da melhora da resistência à insulina, diminui os níveis de insulina, diminui os níveis de glicemia. 

Ele realmente faz oxidação de gorduras, queima gorduras, ele aumenta os níveis de HGH, então o jejum são todas essas questões hormonais que ele trabalha, questões corporais, realmente, ele vai trazer muitos benefícios para a nossa saúde, e tem realmente uma semelhança muito grande com a atividade física. 

Então, eu acho que é um pilar importantíssimo aí, para as pessoas se habituarem à prática do jejum como uma maneira de viverem mais. 

Roney: Perfeito, Fábio. E nesse ponto do jejum, como que você costuma aderir a essa prática? Quer dizer, você pratica o jejum? Se sim, como que você faz?

Dr. Fabio Rieger: Perfeito, eu faço jejum, eu tenho o hábito de fazer jejum e eu alterno um pouco, eu gosto de mudar os estímulos, então pelo menos todos os dias eu faço um jejum de 18 horas, eu me alimento apenas duas vezes ao dia. 

Eu só tenho o hábito de almoçar e jantar, e duas, às vezes, dependendo, até três vezes na semana, eu faço apenas uma refeição ao dia. 

Então eu acabo praticando um jejum aí de 24 horas. 

Claro, não precisa, quem não tá acostumado, ou quer entrar, começar a praticar o jejum, não precisa fazer jejuns prolongados, que nem eu tô falando, de 24 horas ou 18 horas. 

A gente já vê, os estudos mostram que o benefício do jejum ele já começa a partir de doze horas, a partir de doze horas de jejum a gente já começa a ter queima de gordura, a ter esses benefícios que a gente já citou. 

O ideal é fazer um jejum um pouquinho mais longo do que essas doze horas, então vamos lá, começar com 14 ou 16 horas. 

Mas a minha prática habitual é essa, eu faço 18 horas todos os dias e duas ou três vezes na semana, eu faço 24 horas de jejum. 

Jejum Prolongado E Longevidade — Qual A Relação?

Guilherme: Certo, Fábio, então acho que agora a gente já tem uma boa noção dos sete pilares principais que a gente tem como alavancas para melhorar a nossa longevidade. 

E você mencionou jejuns prolongados aí. 

A gente falou de 18, 24 horas que pode ser bastante para quem tá iniciando. 

Mas tem algumas pessoas que falam de jejuns mais longos mesmo, de três dias, cinco dias ou até sete dias só ingerindo água, para melhorar, maximizar a autofagia e aumentar a longevidade. A gente tem evidência para isso, qual que é a sua visão sobre o assunto?

Dr. Fabio Rieger: Tem, tem evidências sim, mas um ponto muito importante, para quem tá escutando a gente: não é porque existem pessoas que têm essa capacidade, que conseguem fazer jejuns prolongados, de três, cinco, sete dias, que a gente precisa fazer. 

Óbvio que em termos, assim, de oxidação de gordura, quanto mais prolongado o jejum melhor, você vai ter um resultado mais rápido, vamos dizer assim. 

Mas tem que existir todo um preparo.

Se fizer um jejum prolongado, sem um acompanhamento, tu pode ter déficit aí de minerais, de eletrólitos, dor de cabeça, então, tem que tomar muito cuidado nesse sentido. 

Por isso que eu sempre incentivo as pessoas, depois que tem mais prática, assim: vamos lá, 24 horas de jejum tá excelente, teve resultados ótimos, eu acho que não tem uma necessidade de um jejum mais prolongado do que isto. 

Com 24 horas, no máximo, tu vai ter resultados excelentes, e uma ou duas vezes na semana, e daí vai pegando hábito, a gente se sente muito bem fazendo jejum. 

Como o jejum ele faz com que a gente tenha uma sensação muito boa, uma disposição impressionante para quem pratica. Vocês dois também devem fazer jejum eventualmente, né?

Roney: Sim, sim, com certeza, a gente gosta bastante dessa prática, inclusive a gente fala bastante no site. 

Outro dia fizemos um treinamento com nossos alunos, só sobre jejum, porque a gente acha que isso, além de trazer muitos benefícios para a saúde, como você mesmo já falou, também pode trazer muita praticidade para o nosso dia a dia, então a gente acha que é tudo a ganhar e nada a perder com o jejum. 

Desde que, é claro, você dê tempo para o seu corpo se acostumar, não faça loucuras e ouça o seu corpo.

Revelados: Os 7 Pilares De Saúde Para Viver Mais E Melhor (Começando Hoje)

Os Hábitos De Longevidade Andam Juntos

Guilherme: Inclusive, a gente pratica diariamente alguma forma de jejum. 

Claro que tem dias que a gente acaba comendo, tem que seguimos a fome, mas justamente por essa característica treinável dos nossos hormônios, do nosso apetite, a gente acaba mesmo tendo fome mais ou menos nos horários das refeições que a gente faz, então acaba fazendo um jejum de 16 ou 18 horas diariamente sem nenhum esforço, e isso é uma das vantagens desse estilo alimentar que a gente estava falando. 

Todos esses pilares se amarram, a gente come comida de verdade, move o corpo, dorme bem, toma água, e tudo isso acaba contribuindo para a saciedade, então fica mais fácil fazer jejum, fica mais fácil ter energia para fazer exercícios se você dorme bem.

É mais fácil você, basicamente, amarrar um hábito bom no outro — do que ter uma vida toda errada e resolver começar um regime de exercícios muito intenso, ou fazer jejuns muito longos, só que se nutrindo mal.

Então é importante, justamente, ter esses hábitos num estilo de vida, numa maneira que seja sustentável de ser seguida, e não só tentar inserir eles na marretada antes de consertar os fundamentos.

Dr. Fabio Rieger: Isso, perfeito. Eu acho que o início de tudo, por onde a gente deve concertar, é a alimentação. 

É muito mais fácil, e realmente ela é um caminho incrível. 

Quando a gente começa a se alimentar com um estilo de vida low-carb, com comida de verdade, parece que a gente começa a alimentação e a gente vai sentindo necessidade de fazer outras coisas. 

A gente começa a se sentir melhor, isso gera uma melhora na nossa saúde, automaticamente a nossa auto estima também acaba melhorando, e gera uma vontade de a gente fazer atividade física, e depois da atividade física a gente vai para o jejum, e tudo de uma forma natural. 

E o nosso corpo ele vai sendo preparado, ele vai ser preparado justamente para seguir, para seguir aí com jejum. 

Então, realmente, o início de tudo, é impressionante como a alimentação ela dá um start inicial. 

A partir do momento que a gente começa a se alimentar bem, com comida de verdade. 

A gente gosta muito do estilo de vida low-carb, a alimentação ela parece que ela prepara a gente justamente para esses pilares. 

Existe uma sequência natural, a gente começa a se alimentar bem, a partir do momento que a gente está se alimentando bem, a gente começa a sentir melhora, até mais disposição. 

Essa disposição acaba vindo junto, um emagrecimento, a auto estima fica recuperada. 

A gente se sente estimulado a fazer atividade física, e uma vez que esse ciclo começa, daqui a pouco a gente se interessa pelo jejum, naturalmente. 

Começa a fazer jejum, o corpo tá preparado para fazer o jejum, a gente não sente dificuldade em fazer jejum. 

Entendeu, é tudo um processo muito natural e que, realmente, assim, o início de tudo, eu enxergo como o início de tudo a alimentação, através de uma mudança na alimentação, ela vai gerar reflexos em todos os outros pontos. 

Então, começou se alimentando bem, e dali é um processo natural, que só vai gerar benefícios para a nossa saúde, naturalmente. 

Longevidade Com Fome: Restrição Calórica Faz Você Viver Mais?

Guilherme: Exatamente, e a gente sabe que esse tipo de alimentação, a gente geralmente não fica controlando as calorias, não fica pesando a comida nem nada assim. 

Mas algumas pessoas, também, argumentam sobre a restrição calórica prolongada como uma forma de melhorar a longevidade. 

Você acha que essa é uma alternativa viável para a maioria das pessoas? 

É possível viver passando fome o tempo todo, vale a pena fazer isso para viver alguns anos a mais? Como que funciona essa relação toda?

Dr. Fabio Rieger: Olha, tem estudos, realmente, já tem estudos da Coreia do Sul, do Japão que realmente mostram que viver em déficit calórico, em princípio, pode sim aumentar a longevidade. 

Mas eu acho que a única maneira de conseguir viver um pouquinho mais em restrição é comendo comida de verdade.

Se alimentar mal, em alimentos ricos em açúcares, que fazem picos de insulina, então acabam gerando uma compulsão alimentar, dificilmente tu vai conseguir se manter em déficit calórico. 

Então, mesmo para o déficit calórico, são importantes alimentos densos nutricionalmente falando. 

Que mesmo com um pouco de menos caloria, tu vai conseguir manter os macro nutrientes dentro de um consumo adequado, você vai manter com minerais, com vitaminas, então mesmo dessa forma, uma alimentação adequada ela é fundamental.

Roney: Sim, com certeza. Não adianta a gente ficar passando fome, e aí quando for comer se entupir de massas, pães e bolos

Isso com certeza não vai dar certo, tanto porque você vai morrer de fome, quanto porque você não vai ter nutrientes bons, e não adiantar, nesse caso, a restrição calórica não vai compensar toda essa sua péssima nutrição. 

Dr. Fabio Rieger: É, exatamente. Para você ver, um dos pilares acaba sendo praticamente fundamental para todo o resto. 

Para manter o corpo, em primeiro lugar, o teu corpo tem que tá energizado e bem nutrido, e o resto vem naturalmente — ou pelo menos é pra vir naturalmente. 

Relacionado: nós, Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho, nos juntamos ao dr. Fábio Rieger para trazer para você um treinamento com mais de 10 horas de duração sobre longevidade. Clique aqui para saber mais.

Metformina — A Pílula Da Longevidade?

Guilherme: Boa, Fábio. E, nesse mundo da longevidade, a gente vê o pessoal recorrendo a cada vez mais coisas, já falamos sobre restrição calórica, falamos sobre jejuns prolongados, dentre as alternativas que são menos ortodoxas, digamos assim. 

Até porque os setes pontos que você levantou ao longo dessa nossa conversa, eu acho que não são muito debatidos. 

Todo mundo percebe, intuitivamente, que acrescentar esses pontos no seu estilo de vida, vai ser positivo. 

Porém, tem essas medidas um pouco mais diferentes, e uma das mais estranhas e mais polêmicas que a gente vê, é o pessoal tomando metformina de maneira indiscriminada, como se fosse uma balinha, muitas vezes, para aumentar a longevidade.

Isso é seguro, tem efeitos colaterais? Qual é a verdade sobre a metformina e a longevidade?

Dr. Fabio Rieger: Perfeito, é, a metformina ela é realmente uma das medicações mais faladas quando se fala de longevidade. 

A metformina ela traz alguns benefícios, no sentido de ativar uma enzima que a gente chama de AMPK

Essa enzima, em princípio, ela melhora o perfil lipídico, melhora colesterol, triglicerídeos, causa um relaxamento do endotélio vascular, então em teoria melhora a pressão arterial. 

A gente tem que lembrar que a metformina é uma medicação — e, como medicação, ela tem efeitos colaterais.”

Algumas pessoas não a toleram bem, pois têm uma intolerância gastrointestinal, e ela pode interferir em absorção de algumas vitaminas, principalmente vitaminas do complexo B

Então, eu acho que ela não pode ser usada indiscriminadamente. 

O mais importante de tudo, se tu quer viver, adquire esses bons hábitos, mas passe por uma consulta médica, nutricional. 

Realmente, faz uma avaliação. 

Existem exames hoje à disposição que a gente pode detectar carências, então… assim, conforme uma necessidade, aí tu tem que suplementar ou usar alguma medicação, no sentido de fazer alguma correção que seja necessária, mas como a gente já conversou aqui, adotando todos esses bons hábitos, dificilmente tu vai necessitar fazer uso de alguma medicação ou suplemento. 

E, se necessário for para detectar isso, passe por um médico, passe por uma nutricionista para ter uma avaliação adequada, e daí sim tu usar uma medicação com segurança. 

Restrição De Proteína Aumenta A Longevidade?

Roney: Sem dúvidas, Fábio. E, nessas outras medidas, digamos, menos ortodoxas de se aumentar a longevidade, uma que a gente considera um tanto polêmica, é a restrição de proteína

Você acha que faz sentido a restrição de proteína aumentar a longevidade? 

Por que que as pessoas falam isso, o que que a gente pode tirar daí?

Dr. Fabio Rieger: Olha, ao meu ver restringir proteína é um grande erro. 

Primeiro, as proteínas elas são fundamentais.

O nosso corpo é construído com base em aminoácidos, e a principal fonte de aminoácidos, os aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que a gente não consegue produzir, eles provêm das proteínas, principalmente de origem animal, então começa por aí o erro. 

Ferro, por exemplo, nosso organismo, nosso corpo foi feito absorver principalmente o Ferro heme, que é o ferro que está contido nas proteínas animais.

O nosso corpo gosta desse ferro e não do ferro não-heme, dos vegetais

Então, a gente pode ter aí aquela deficiência do ferro, ter uma deficiência de aminoácidos. 

A gente precisa de vitamina B12, a vitamina B12 só existe em produtos de origem animal, então se a gente restringir o consumo das proteínas, a gente vai ter uma deficiência de vitamina B12. 

E a gente falou da importância do músculo, o quanto o músculo é importante para o nosso processo de envelhecimento, para manter a gente saudável. 

E a gente precisa do que para construir músculo

A gente precisa de uma fonte rica em aminoácido. 

Então, se a gente não tá consumindo proteínas, a gente não vai ter um aporte adequado de aminoácidos para manter a nossa musculatura. 

Então, olha como é importante o consumo das proteínas. 

Eu vejo, sinceramente, como um erro querer restringir proteínas e associar a essa restrição a longevidade. Eu não concordo com isso.

Guilherme: Excelente, Fábio. A gente também concorda com você nesse posicionamento. 

Acho que não faz sentido, dentre todas as medidas que a gente tem, reduzir a ingestão de proteína.

Até porque a gente mencionou a questão da massa muscular, e inclusive para idosos, que tem super a ver a questão da força, da mobilidade, mesmo a prevenção de quedas, de acidentes, enfim, para viver uma vida mais longa e mais saudável.

Então não faz sentido a gente restringir um macronutriente essencial para a vida e que está implicado justamente na sarcopenia.

A gente sabe que na vida prática, essas questões acabam impactando muito a longevidade das pessoas. 

Então, essa especulação teórica na restrição de proteína, na nossa opinião, também não se sustenta. 

E, Fábio, a gente abordou bastante coisa até agora, eu queria saber se você tem alguma sugestão para o pessoal que está nos ouvindo de como integrar tudo isso em termos de um regime, de um protocolo, de um conjunto de ações que as pessoas possam começar a seguir.

Isto é: para quem ouviu a gente até aqui, gostou do que ouviu mas falou, nossa, é muita informação, como que eu começo? Como que essa pessoa pode começar?

Como Começar Sua Jornada Para A Longevidade

Dr. Fabio Rieger: Olha, eu acho que o começo é muito simples, tá gente. 

Como eu falei, o ponto de largada é a gente modificar a nossa alimentação, e depois o resto vem.

Então, de que maneira que a gente pode modificar a nossa alimentação

A gente lembrar dos nossos avós, se a gente pensar como que os nossos avós se alimentavam. 

Há muitos anos atrás, mercado era um artigo de luxo, então as pessoas plantavam, as pessoas criavam gado, criavam frango, então vamos pensar gente, vamos fazer as nossas compras mais no açougue e na verdureira. 

Vamos desempacotar menos e descascar mais. 

Então, dessa forma, é uma forma simplista, mas é uma maneira muito simples de começar. 

Vamos frequentar o açougue, vamos frequentar a frutaria, a verdureira e vamos parar de desempacotar. 

É uma atitude simples e que leva a gente comer e se alimentar bem, e dali para frente é o processo natural que vem.

Roney: Sem dúvidas, Fábio. E uma coisa que a gente gosta sempre de dizer, principalmente relacionado à alimentação, é que você está sempre a uma refeição de começar a sua alimentação correta, começar a sua melhor alimentação. 

Então mesmo que ontem no jantar você não tava fazendo nada certo, amanhã no almoço você pode começar comendo um bom prato de carnes, ovos, saladas

E a gente acredita muito nisso, e também que a sua dieta, a sua alimentação começa no mercado, ou seja, que evitar comprar os alimentos que você sabe que não fazem bem para você é muito melhor do que deixar eles na despensa, e depois tentar evitar comê-los quando bater aquela vontade. 

Dr. Fabio Rieger: Exatamente, as coisas não aparecem dentro do nosso armário como mágica. 

Eu vejo muitas pessoas, às vezes, muitos pacientes falando “ai doutor me deu vontade… eu acabei escorregando e comi uma besteira e tal, comi um doce, uma bolacha, enfim, uma lasanha congelada”. 

Gente, as coisas não surgem como mágica dentro da geladeira e do nosso armário! 

Então, claro, a gente sabe que a mudança não é fácil — mas ela é benéfica. 

Olha o tanto de coisa que a gente abordou, dos benefícios que essa mudança pode ocasionar na nossa vida… e a gente vai viver mais, gente. 

O impacto de uma má alimentação é enorme.

Eu vou dar um exemplo aqui, uma pessoa obesa, a partir de mais ou menos 30 anos de idade, desde a juventude, estatisticamente, ela tem uma expectativa de vida diminuída em dez a quinze anos

Eu não sei vocês, mas eu gostaria muito de viver esses dez ou quinze anos a mais da minha vida. 

Então, vamos lá, as coisas não surgem dentro do armário, a gente tem que assumir a responsabilidade da nossa vida e querer viver mais, com saúde. 

E só depende da gente.

Relacionado: Conheça mais de nossos dicas pessoais e sobre o que a ciência diz sobre longevidade clicando aqui.

Como O Dr. Fábio Rieger Coloca Em Prática Todos Estes Pilares

Roney: Com certeza, Fábio. 

E todos esses pilares que a gente já abordou até aqui, você segue todos eles? 

Como isso tá implementado na sua rotina?

Você acha que tem alguns pontos a melhorar e outros que você está bem?.

Pode contar pra gente, para os nossos ouvintes como é que tá. 

Dr. Fabio Rieger: Posso, claro, vamos lá, e com sinceridade. 

Eu, realmente, sigo um estilo de vida low-carb, há quase quatro anos, e me mantenho nesse estilo de vida. 

Eu tenho o hábito de tomar bastante líquido, realmente, não fumo.

Consumo bebida alcoólica com bastante moderação, somente aos finais de semana, e apenas vinho

Eu pratico jejum.

Então, eu sigo boa parte deles. 

Eu já fui uma pessoa mais esportista, atualmente eu deixo um pouco a desejar no aspecto de atividade física, isso eu realmente confesso, eu tenho que mudar.

Tenho muita dificuldade a lidar com estresse, em virtude até da minha profissão eu faço plantões, e tal, e realmente são situações às vezes estressantes, né. 

E eu sou teimoso para dormir, sabe, isso é uma coisa que eu tenho que aprender. 

Eu não gosto de dormir, por incrível que pareça, então eu brigo com o sono. 

Então esses são os pontos, realmente. 

Atividade física, o controle do estresse e o dormir são pontos assim que eu tenho muito a melhorar. De resto, eu sigo muito bem.

Roney: perfeito, Fábio. 

É bom para mostrar que as pessoas acham “Ah, eles estão aí falando, é fácil para eles, eles já tão nessa faz um tempão”… mas não é assim. 

A gente também tem nossas dificuldades, a gente também não tá perfeito em todas as áreas, a gente tenta caprichar no que tá ao nosso alcance, mas nem sempre tudo sai perfeitamente.

Então, é bom essa hora da gente contar como que tá do nosso lado também, para o pessoal ver que precisa começar. E

 o mínimo que você fizer, já é melhor do que não fazer nada. 

Depois, com o tempo, é mais fácil você mudar um hábito de cada vez do que tentar mudar todos de uma vez e não conseguir. 

Depois, com o tempo, você vai agregando novos bons hábitos no seu dia a dia.

Dr. Fabio Rieger: Perfeito, com certeza. Uma das minhas metas aí para este ano, claro que existe essa questão talvez aí dessa pandemia que a gente vem vivendo, uma situação muito especial, então acabou impactando muito. 

É um porque, desculpa gente, é claro que a gente faz atividade física em casa, com certeza, né. 

Mas eu frequentava academia diariamente, então é uma coisa que realmente acabei não frequentando mais academia. 

A culpa é minha, eu admito que eu vou ter que fazer atividade física em casa, mas é como tu falou, ou seja, eu sigo boa parte das recomendações, e com certeza isso já vai impactar muito positivamente na minha saúde. 

E vou voltar a praticar atividade física. 

A questão do dormir e do estresse, realmente, são os dois pontos que eu tenho muita dificuldade que eu tenho para lidar ao longo da minha vida. 

Mas, pensamento positivo, vou conseguir mudar isso, com certeza. 

Relacionado: Treinamento conosco: Revelados: Os 7 Pilares De Saúde Para Viver Mais E Melhor (Começando Hoje)

Siga O Dr. Fábio Rieger Para Continuar Aprendendo

Guilherme: E, Fábio, para quem ouviu a gente até aqui, e quer te acompanhar nas mídias sociais, quer saber mais sobre o seu trabalho, como que eles podem fazer? 

Dr. Fabio Rieger: Perfeito, bem, as pessoas podem me seguir no Instagram @dr.fabiorieger

Com esse mesmo nome eu tenho uma conta no Twitter, tenho um canal no Youtube também e o Facebook. 

Então, é só procurar Dr. Fábio Rieger que você vai me achar em praticamente todas as redes sociais. 

Eu acabo centralizando muitas das minhas ações no Instagram, uma rede social que eu gosto e então praticamente as minhas ações acabam mais sendo realizadas lá. 

Então, minha sugestão é me sigam no Instagram, tem muita informação boa, procuro postar coisas de qualidade, muita informação baseada em conhecimento científico, em estudos científicos, nada de achismos. 

Então, convido a todos a me seguirem. 

Roney: E a gente vai deixar também um link aqui na descrição, para seguir o Fábio. A gente também recomenda que vocês sigam ele no Instagram @dr.fabiorieger.

Fábio, muito, muito obrigado pela sua presença, pela sua entrevista, pelo seu tempo, ficou uma entrevista realmente incrível.

Dr. Fabio Rieger: Olha, muito obrigado, eu agradeço vocês mais uma vez, essa oportunidade de a gente tá levando informação de qualidade para as pessoas, e com certeza isso impacta muito positivamente, estimula as pessoas a buscarem mais saúde. 

Eu já comentei com vocês no podcast anterior que a gente gravou, vocês serviram de exemplo pra mim há uns anos atrás, foram um dos meus incentivadores, inclusive aprendi muita coisa com vocês, assisti muita receitinha de vocês no Youtube, fiz muita receita em casa, então é isso, acho que é uma corrente do bem, a gente atuando juntos aí, e nas nossas redes sociais, vocês eu e tantos outros que seguem essa linha, e a gente acaba fazendo uma corrente do bem e levando, espalhando saúde. 

Roney: Com certeza, a nossa missão aqui é levar informação para o maior número de pessoas, apresentar o maior número de profissionais atualizados, assim como você e tantos outros que vieram aqui no nosso podcast, para o público. 

Assim, a boa informação e a boa ciência podem chegar cada vez mais longe — levando saúde para todo mundo.

Dr. Fabio Rieger: É isso aí, e sempre que precisarem a gente tá à disposição aí, podemos conversar, trocar ideias. É sempre um prazer.

Guilherme: Com certeza, Fábio. A gente também tá à disposição para o que você precisar, muito obrigado novamente. Obrigado a todos os tanquinhos e tanquinhas que ouviram a gente até aqui. 

Eles também fazem parte dessa corrente, porque a gente acaba aprendendo, trocando ideias e difundindo também para amigos e familiares, então realmente acaba se tornando uma bola de neve de conhecimento e de cada vez mais pessoas, vivendo mais e melhor. 

Então muito obrigado a todos vocês, Roney, Fábio e você que nos ouviu, porque a gente tá junto nessa. 

Roney: Muito obrigado por sua audiência. 

E se você gosta dos nossos episódios, das nossas entrevistas, então se inscreva no podcast.

A gente está por todos os players de podcast, é só procurar lá por podcast do Sr. Tanquinho que você vai nos encontrar. 

Ou clique abaixo para nos acompanhar no seu player favorito.

iTunes | Google Podcasts | Stitcher | Spotify | YouTube

A gente solta episódios novos todas as semanas, duas vezes por semana. 

E para você não perder o próximo, é importante que você se inscreva. 

A gente se fala no próximo episódio. 

Um forte abraço do Senhor Tanquinho.

Receba atualizações dos comentários
Notifique-me de
guest
2 Comentários
mais votados
mais novos mais antigos
Inline Feedbacks
View all comments
Robb
Robb
22 de agosto de 2020 16:15

E aí, rapazes, tudo bom? Achei incrível as informações desse artigo/podcast. muita informação boa! Caras, se eu fazer um jejum das 21h até as meio dia, sendo que de meio dia as 20h eu tenho que consumir 180g de proteínas em duas refeições, isso é possível? Bom, entre essas duas refeições eu poderia colocar um ou dois Smoothies com albumina e algumas sementes para ter mais calorias boas para não ter um déficit calórico, porque não quero perder peso. isso seria possível? Nesse meio tempo da para consumir as 180g de proteínas de boa, né? Não fico na paranoia de… Read more »