Pré-Treino E Pós-Treino Na Low-Carb: O Que Comer Antes E Depois Do Treino Na Dieta Cetogênica

Já ajustei as minhas refeições principais para a dieta low-carb e cetogênica. Mas o que comer no pré-treino ou pós-treino?”

A dúvida sobre o que comer nos momentos antes e depois do treino é bastante comum ao se iniciar uma alimentação low-carb ou cetogênica.

Isso acontece por três motivos principais.

O primeiro motivo é a crença de que comer antes do treino seria importante para se ter “energia” para um bom treino,

O segundo motivo é a noção de que a alimentação após o treino seria importante para repor nutrientes e favorecer a recuperação.

E o terceiro motivo é o de que os alimentos normalmente ingeridos nesses horários (banana, aveia, leite, etc) não são os alimentos ideais para uma dieta baixa em carboidratos.

Neste artigo, você vai aprender qual é a real importância da alimentação pré e pós-treino.

E entender o que realmente importa na hora de ver resultados na sua rotina de dieta e exercícios. 

Inclusive, vai saber exatamente:

  • por que você não precisa ficar obcecado com a ideia de uma refeição pré-treino na dieta low-carb ou cetogênica,
  • quais são as melhores opções de alimentação e suplementação para o pré-treino na dieta low-carb ou cetogênica,
  • quão importante é a refeição pós-treino,
  • o que comer na refeição pós-treino para potencializar a recuperação, e
  • exemplos de alimentos e suplementos que nossos alunos do Projeto Tanquinho de Hipertrofia usam para maximizar seus resultados.

Ou seja: este é mais um artigo completo que estamos publicando aqui no blog — e se soma a centenas de outros que estão disponíveis gratuitamente.

Você pode receber os novos artigos gratuitamente no seu email — e ainda ganhar de brinde nossa seleção de 15 receitas low-carb que são bem em conta de se fazer.

(E que são ótimas para comer antes ou depois do treino também.)

Sendo que este artigo sobre pré e pós treino na low-carb foi publicado originalmente em forma de vídeo — que você pode ver abaixo.

(Tem vídeos novos todas as semanas em nosso canal do YouTube.)

Caso prefira ler, é só continuar aqui na página.

Porque, assim, você descobrirá como otimizar sua alimentação pré e pós-treino.

De uma maneira descomplicada e sem ficar “paranoico(a)” com isso.

E vamos começar questionando o conhecimento convencional: será que o pré-treino é tão importante assim?

Pré-Treino Na Low-Carb: Você Precisa Disso?

Antes de mais nada, vamos deixar algo claro.

Este artigo não é focado em atletas profissionais, preocupados com desempenho esportivo acima de tudo.

Aquelas pessoas que valorizam a competitividade acima de qualquer benefício do treino.

Inclusive mais do que saúde, bem-estar, perda de peso, e ganho de massa muscular.

Então entenda que, para atletas olímpicos e afins, realmente pode haver motivos para protocolos bizarros de treino e recuperação.

Mas você não é essa pessoa.

Você não precisa dos rituais, suplementos, e alimentos do Michael Phelps se não nada como ele.”

A verdade é que eu e você somos pessoas “normais”. 

Não somos atletas profissionais.

Sendo que treinamos para melhorar a saúde, composição corporal, disposição, e colher diversos outros benefícios dos exercícios — que vão desde ter um corpo bonito até mais longevidade.

E, para colher os resultados de uma boa rotina de treinos, você não precisa necessariamente de um pré-treino.

Resumindo: A maioria das pessoas, que se exercita recreativamente (e não profissionalmente) não precisa de nenhum tipo de alimentação ou suplementação especial antes de treinar.

Isto é especialmente verdade caso você siga uma alimentação low-carb.

Pré-Treino: Por Que Ele É Ainda Mais Dispensável Na Low-Carb Ou Cetogênica

Ao longo destes mais de 7 anos trabalhando com alimentação saudável, nós observamos o seguinte.

Que muitas das pessoas que perguntam sobre a importância da alimentação pré-treino são alunos de nossos cursos e treinamentos.

Isto é: pessoas que já emagreceram e tiveram muitos resultados com low-carb.

Protagonizando dramáticos casos de antes e depois da dieta.

Estas pessoas conseguiram emagrecer e ganhar disposição com a alimentação saudável.

E estão prontas para levar seus resultados a um próximo nível — por exemplo, treinando para ganhar massa muscular.

Elas começaram a consertar seu metabolismo.

Agora, não precisam mais ficar comendo a cada poucas horas.

Quando comem, ingerem alimentos nutritivos e de alta saciedade.

E, graças a este processo, elas se tornam capazes se exercitar sem a necessidade de qualquer tipo de pré-treino.

Pois o corpo consegue usar a gordura corporal como combustível (estando em cetose ou não).

Assim, é como se você tivesse sempre acesso a um “tanque de combustível” — que é a gordura existente em seu corpo.

Resumindo: Você não precisa comer antes do treino para ter energia para se exercitar.

Como o seu corpo possui a capacidade de queimar a sua gordura para gerar energia, é possível até mesmo treinar em jejum.

Vamos falar um pouco sobre isso agora.

Treinar Em Jejum Também É Uma Opção

Existem pessoas que costumam treinar em jejum — e algumas até mesmo preferem treinar nesse estado.

Uma boa fala é a do treinador Danilo Balu, que transcrevemos abaixo.

No caso, ele se referia à corrida, mas a analogia é válida para outros esportes.

É um mistério hoje o porquê os treinadores têm esse medo… mas eles passam isso aos corredores amadores — o medo de se correr em jejum.

Eles falam “não corra em jejum porque você vai perder massa muscular, vai desmaiar e vai morrer”.

Mas não faz sentido esse medo do jejum.

O jejum é melhor para a corrida? Não, ele não é melhor. 

Ele é pior para a corrida? Não, ele não é pior. Ele é seguro

Se a pessoa corre em jejum, corre em jejum. Se a pessoa não corre em jejum, não corre em jejum.”

(Excerto da entrevista completa que saiu aqui no site.)

O fato é que existem muitos mitos a respeito de se treinar em jejum.

Falam que você teria hipoglicemia.

Ou que iria perder massa muscular.

Mas, na realidade, adultos saudáveis deveriam ter plena capacidade de treinar em jejum.

E isso faz sentido quando pensamos evolutivamente.

Pois, no nosso passado paleolítico, era justamente quando estávamos sem comer que saíamos para caçar ou coletar alimentos.

Por isso — após ajustar sua alimentação — você possivelmente pode sim treinar em jejum.

E, desta forma, seu pré-treino poderia ser apenas a água.

Ou, então, alguma bebida sem calorias — como um café preto, por exemplo, que não quebra o jejum.

Na verdade, treinar em jejum pode até mesmo potencializar seu treino.

Pois, após algumas horas em jejum, o seu metabolismo aumenta

(Isso acontece devido ao aumento de hormônios como adrenalina e noradrenalina — que elevam seu metabolismo e causam o que alguns chamam de “euforia do jejum”.)

Então, aliar o jejum intermitente com o potencial ergogênico do café pode ser uma boa forma de melhorar seu desempenho.

Resumindo: É completamente normal e seguro treinar em jejum. E vários atletas low-carb fazem isso.

No entanto, não é algo obrigatório — e nem é necessariamente superior a se treinar alimentado.

Porque pode ser que você queira sim consumir algo como pré-treino.

Por isso, vamos ver algumas opções de alimentos e suplementos de pré-treino que podem ser consumidas na low-carb ou cetogênica.

Pré-Treino Na Low-Carb: Comida De Verdade

Se em uma dieta low-carb você prioriza alimentos de verdade em todas as suas refeições “normais” (café da manhã, almoço, jantar)…

Por que antes do treino seria diferente?

O seu corpo prefere a comida de verdade a qualquer momento do dia — inclusive antes de treinar.

Sendo assim, você pode simplesmente comer os alimentos permitidos na low-carb ou cetogênica antes de ir treinar.

No caso da maior parte das pessoas que seguem esse estilo alimentar, esses alimentos poderiam ser:

dentre outros.

Enfim: os exatos alimentos que você já sabe que são permitidos em uma dieta low-carb. 

Relacionado: clique aqui para baixar grátis uma lista completa com os alimentos permitidos na low-carb

Desta forma, você pode se sentir à vontade para consumir os alimentos que consumiria em qualquer refeição low-carb como almoço ou jantar.

Resumindo: Comida de verdade é uma ótima opção de pré-treino. 

Qualquer alimento low-carb que você comeria em outro momento pode ser consumido antes de treinar.

Agora, nem sempre é prático consumir um pratão de carne com salada antes de treinar.

E, por isso, muitas pessoas optam por consumir suplementos antes do treino.

Vamos ver quais são os principais suplementos que podem ser úteis antes de treinar.

Pré-Treino Na Low-Carb Ou Cetogênica: Suplementos

Nem todos os suplementos são iguais.

Se, por um lado há alguns suplementos que podem sim ser úteis numa dieta low-carb ou cetogênica

Por outro lado, também existem alguns que não servem para nada — ou quase nada.

Uma boa diferenciação entre esses tipos foi feito pela Nutri Paula Mello, em um podcast exclusivo que gravou com a gente.

Mesmo assim, vamos ver rapidamente os principais suplementos que as pessoas usam como pré-treino na dieta low-carb.

Suplementos tipo pré-treino: geralmente têm um monte de coisa dentro (creatina, vasodilatadores, vitaminas, etc), mas o principal princípio ativo é a cafeína

Suplementos de proteína: BCAAs, whey protein, caseína, albumina, beef protein, EAAs (aminoácidos essenciais) — quase todos têm a mesma função, que é a de fornecer proteínas para você.

Suplementos para dar energia: pessoas que estão nalguma variação da dieta cetogênica tomam óleo MCT, ou óleo de coco. Outras pessoas (por exemplo, quem está numa dieta flexível) tomam maltodextrina (um carboidrato sem nenhum valor nutricional). Quase ninguém precisa desse tipo de suplementos.

No fim das contas, nós achamos mais gostoso (e mais saudável) ingerir comida do que suplementos. 

Mas, se quiser usar suplementos, estes que elencamos acima são os que podem fazer mais sentido.

Resumindo: O principal argumento para o consumo de suplementos (em vez de comida) é o da praticidade.

No entanto, existem opções de comida de verdade que também são práticas.

Pois elas não envolvem você ter de cozinhar ou preparar uma refeição elaborada antes de partir para a academia.

Vamos ver algumas delas agora.

Pré-Treino Low-Carb: Opções De Lanches Rápidos E Práticos

Você não precisa preparar uma refeição completa — com entrada, prato principal e sobremesa — para o seu pré-treino.

Pois existem opções mais práticas, com “jeito de lanche”, que podem servir muito bem a este propósito.

Por isso, resolvemos agrupar aqui algumas opções de alimentos low-carb ou cetogênicos que se enquadram nessa categoria.

Antes de ir à lista, vale ressaltar dois pontos.

O primeiro é de que essa não é uma lista exaustiva. 

Isto é: existem muitas outras opções além destas que serão apresentadas — estas são apenas boas ideias.

E o segundo é que os alimentos desta lista não apresentam nenhuma característica especial que os torne “melhores” do que outras opções de alimentos low-carb. 

Eles apenas são alimentos com pouca quantidade de carboidratos que por acaso são bastante práticos.

Algumas das opções favoritas dos nossos alunos do Projeto Tanquinho De Hipertrofia são:

  • abacate, que você pode levar em um potinho, ou mesmo abri-lo na hora. Pode ser consumido com uma colher, por exemplo, para facilitar; 
  • coco seco, quebrado em pedaços, pode ser uma ótima opção também;
  • ovo cozido, que você pode cozinhar com antecedência de manhã e deixar para descascar na hora e comer. É fácil de levar num pote, caso você vá direto do trabalho para o treino, por exemplo; 
  • enroladinhos de presunto e queijo. Basta enrolar os dois e comer, fica bem gostoso e você pode levar em um potinho para comer a qualquer hora; 
  • outras opções de frios e embutidos. Alguns nem mesmo precisam ficar na geladeira e conservam bem.
  • oleaginosas — o que inclui castanha-do-Pará, macadâmia, amêndoas, nozes. Elas são fáceis de transportar e não requerem nenhum tipo de armazenamento específico. O mesmo vale para o amendoim.

Todas estas opções são do tipo “pegar e partir” — pois não exigem absolutamente nenhum preparo na hora de consumir.

No entanto, você também pode aproveitar algumas receitinhas low-carb, que são muito gostosas e extremamente convenientes para essas ocasiões.

Dentre elas, temos duas categorias de receitas.

A primeira é a de receitas que podem ser preparadas com antecedência para depois serem levadas e consumidas quando e onde você bem entender.

E nesse caso podemos citar: 

E a segunda é a de receitas extremamente fáceis e rápidas de serem preparadas em cerca de 5 minutos ou menos, como por exemplo:

Separamos as nossas melhores receitas baixas em carboidratos (incluindo várias das que levam menos de 5 minutos para ficar prontas) no livro 120 Receitas Low-Carb E Cetogênicas De Sucesso.

Este livro traz as melhores receitas para dieta low-carb e cetogênica, e está disponível tanto em formato físico quanto em formato digital.

Vale a pena conhecer este livro.

Resumindo: Muitas pessoas optam por consumir alimentos low-carb práticos — como frutas cetogênicas, castanhas, ou receitas fáceis — no período de pré-treino. 

Outras pessoas preferem consumir receitas low-carb — ou preparadas de antemão, ou feitas na hora (quando leva menos de 5 minutos para fazer).

Treinar Em Low-Carb Ou Cetogênica: O Período De Adaptação

Nós vimos algumas opções de pré-treino na dieta low-carb.

E até mesmo falamos sobre a possibilidade de treinar durante o seu protocolo de jejum.

No entanto, se você vem de uma alimentação tradicional (daquelas ricas em carboidratos refinados), você pode notar uma queda de desempenho esportivo durante as primeiras semanas.

Pois existem grandes chances de que seu corpo ainda não esteja muito acostumado a usar as gorduras como fonte de energia.

Essa adaptação leva algum tempo — geralmente algumas semanas, mas dependendo da pessoa pode levar até mesmo alguns meses.

Durante esse período de adaptação à uma dieta com menor quantidade de carboidratos por dia, é normal que seja mais difícil realizar atividades físicas.

(Esta é apenas uma das manifestações da adaptação a este novo estilo de vida — veja outras na chamada gripe low-carb.) 

E esta pequena queda no desempenho é esperada.

Afinal, foram anos e anos acostumando seu corpo a queimar o carboidrato na hora das atividades físicas.

O treinador Rafa Lund falou sobre a diminuição de performance durante o período de adaptação à dieta em nosso podcast. 

Ele disse o seguinte.

Essa redução de desempenho varia de pessoa para pessoa. 

Ela pode levar de 3 a 6 semanas, e para algumas pessoas um pouco mais.

Não tem um tempo certo, mas o que a gente sabe é que, a partir do momento que o corpo se adapta, você não tem mais uma redução do desempenho.

E que, reduzindo a quantidade de carboidrato, principalmente se você estiver treinando, você vai conseguir manter a sua massa magra.

Você não vai ter nenhuma redução da massa magra e ainda vai, em alguns casos — principalmente de endurance — você pode ter uma melhora no desempenho.”

Este ponto é válido para qualquer tipo de esporte e atividade física, seja caminhada, corrida, musculação, natação, entre outros. 

Sendo que exercícios de mais alta intensidade, como exercícios anaeróbicos (sessões intensas de HIIT, ou de levantamento de pesos em alta intensidade) tendem a consumir mais o carboidrato como forma de energia. 

No entanto, isso não quer dizer que você tenha que comer carboidratos.

Porque você tem uma reserva de carboidratos no seu corpo na forma de glicogênio — que é capaz de se recuperar sozinha, por meio de mecanismos como a gliconeogênese.

Resumindo: Você não terá falta de energia para treinar na low-carb ou cetogênica (este é apenas mais um mito sobre essas dietas).

No entanto, uma queda temporária de desempenho pode acontecer. 

Passada a fase de adaptação, você estará apto(a) para treinar novamente em boa intensidade.

E conseguirá excelentes resultados — conforme explicamos no Projeto Tanquinho de Hipertrofia.

Pós-Treino Na Low-Carb Ou Cetogênica: Eu Preciso Comer Algo Após Treinar?

Até agora, falamos bastante sobre a questão do pré-treino.

Isto é: o que comer antes de uma sessão de exercícios.

E você viu que existem muitas opções. 

(Até mesmo a opção de não comer nada.)

Mas e para depois do treino: será que você realmente precisa comer algo?

Afinal de contas, existe uma ideia popular de que, se você não comer algo após treinar, vai destruir massa muscular, e prejudicar sua recuperação.

Muitas pessoas têm essa dúvida, e inclusive citam a famosa (ao menos entre os frequentadores de academia) “janela anabólica”.

De acordo com a lenda popular, essa suposta janela corresponderia a um período curto (as lendas variam entre 30 e 60 minutos) logo após o treino onde você tem que se alimentar — porque senão “o seu treino não vai ter nenhum efeito”.

Pare um minuto para observar o quanto essas afirmações são contundentes e dramáticas.

E repare que, na nutrição, dificilmente vemos algo tão absoluto assim: “ter” que se alimentar, “nenhum” efeito, “30 minutos e nada mais”, e por aí vai.

A verdade é que diversos estudos mostraram que a necessidade de alimentação após o treino é algo grandemente exagerado.

Isto é: o treino de fato gera uma demanda maior por nutrientes (especialmente proteína), mas essa demanda não se resume a poucos minutos após o treino.

Na verdade, a existência de uma janela anabólica não é consenso na literatura científica.

E mais: mesmo os pesquisadores que acreditam que ela existe admitem que essa janela provavelmente engloba um período de muitas horas (alguns chegam a citar 24 horas).

O que é especialmente verdade caso você tenha se alimentado antes do treino.

Sendo assim, comer algo depois de treinar é positivo para a recuperação e para a construção de massa muscular.

Mas entenda que não há necessidade para toda essa pressa: você não precisa ingerir algo logo após treinar.

Você pode ir sua casa, tomar um banho, preparar sua comida, e comer quando tiver fome.

(Treinos muito intensos podem inclusive tirar seu apetite momentaneamente. Mas, quando a fome bater, pode comer.)

Sem necessidade de um cronômetro.

Uma única observação importante sobre fazer jejum antes de treinar, e permanecer em jejum após treinar é a seguinte.

Não é ideal treinar no meio de jejuns muito longos.”

Por exemplo: se você já está há 20 horas em jejum, depois do treino seria interessante comer algo — em vez de ficar mais 20 horas em jejum.

Na verdade, não há problema algum (em termos de saúde), em se fazer isso.

Apenas queremos ressaltar que essa abordagem é contraproducente para quem está buscando a hipertrofia muscular.

Se este é seu caso, recomendo que siga os ensinamentos do Projeto Tanquinho de Hipertrofia

Nele, você vai ter acesso a tudo o que sabemos sobre hipertrofia na low-carb — e verá resultados poderosos de ganho de massa magra e definição muscular.

Resumindo: Comer após treinar é importante — mas não precisa ser “imediatamente” após treinar. 

Você pode esperar ficar com fome (mesmo que isso leve algumas horas), se quiser.

Pós-Treino Low-Carb: O Que Comer Após O Treino

Se você faz uma estratégia baixa em carboidratos, sua alimentação provavelmente tem os seguintes moldes:

Então, é exatamente este modelo que você vai seguir para se alimentar após o treino.

Sendo que cada um desses pontos pode ser ajustado individualmente.

Até porque sua demanda e suas preferências vão variar caso a caso, inclusive dependendo da sua atividade.

(Por exemplo, você vai estar com mais apetite e desejar mais calorias se treinou por 2h, do que se treinou por 15 minutos.)

Então, você vai priorizar as proteínas no pós-treino — completando seu prato com boas gorduras, e relativamente poucos carboidratos.

E claro: se possível, opte por comida de verdade, pouco processada.

Sendo que você não precisa de carboidratos no pós-treino para repor o glicogênio muscular, nem para ganhar massa magra.

No entanto, se você for comer carboidratos, então o momento após o treino é a melhor ocasião para consumi-los.

Resumindo: Após treinar, faça uma bela refeição low-carb / cetogênica. Ela pode ser alta em proteínas, e você pode comer até a saciedade.

Você não precisa de carboidratos após o treino. Mas, se quiser comer carboidratos, este é o melhor momento.

Vamos ver o porquê.

Pós-Treino: O Melhor Momento Para Ingerir Carboidratos

O melhor momento para consumir carboidratos se você faz uma dieta low-carb é justamente logo depois do treino. 

Isso porque o seu corpo está mais apto a usar esses carboidratos de maneira inteligente após o estímulo do treinamento.

Por isso, uma boa refeição pós-treino composta de proteínas (e, opcionalmente, carboidratos) pode ser uma adição inteligente a um programa de ganho de massa muscular.

Pois você estará com uma melhor sensibilidade à insulina, o que tende a favorecer um melhor particionamento de nutrientes.

Note que, conforme falamos algumas vezes, os carboidratos não são necessários para a recuperação e o ganho muscular.

E que até mesmo pessoas em uma dieta carnívora conseguem ganhar massa magra com as orientações adequadas.

O que estamos enfatizando é que, sem o estímulo do treino, esses carboidratos não seriam tão bem utilizados na construção de massa muscular.

Então, se for comer carboidratos, esta é a melhor ocasião.

Agora, existem pessoas para quem esta abordagem não será recomendada.

Por exemplo, quem está em uma das seguintes situações:

Essas pessoas não precisam desses carboidratos — e provavelmente ficariam melhor sem eles.

Resumindo: Os carboidratos que você for ingerir tendem a ser mais bem aproveitados após treinos intensos.

No nosso Treinamento Projeto Tanquinho De Hipertrofia, ensinamos como usar os carboidratos de maneira estratégica — para que você consiga aproveitar ao máximo o potencial derretedor de gordura da low-carb / cetogênica enquanto constrói cada vez mais massa muscular.

Como Simplificar O Pré-Treino E O Pós-Treino Na Low-Carb Ou Cetogênica — O Que Nós Mesmos Fazemos

Até agora, vimos muitas opções de pré-treino e pós-treino na low-carb (ou cetogênica), inclusive que:

  • você não precisa necessariamente de nenhum pré-treino,
  • você não precisa necessariamente de nenhum pós-treino,
  • você pode treinar em jejum,
  • você pode permanecer um tempo sem comer após treinar,
  • você pode comer “comida normal” antes de treinar,
  • você pode comer “comida normal” depois de treinar,

e ainda vimos suplementos, lanches práticos, e muito mais.

Sendo assim, nesse mar de confusão, muitas pessoas querem saber o seguinte.

Adorei saber de todas essas opções, Senhor Tanquinho… mas o que vocês pessoalmente fazem?”

De fato, nós já passamos por várias fases distintas.

Já houve momentos em que treinávamos pela manhã, em jejum.

E, após uma ou duas horas finalizado o treino, almoçávamos.

Colocando em horários, poderia funcionar mais ou menos assim.

  • Acordar umas 8h,
  • Treinar por volta das 10h,
  • Almoçar por volta das 12h,
  • Jantar por volta das 20h.

Desta forma, nosso pré-treino era o jejum (na verdade, um café preto, sem adoçar). E o pós-treino era o almoço.

Atualmente, uma das nossas maneiras favoritas de treinar inclui almoçar quando a fome vier, e treinar umas 3 ou 4 horas depois disso.

Voltar para casa, tomar banho… e, depois, quando a fome bater, jantar.

Colocando em horários, poderia ficar algo deste tipo.

  • Acordar umas 8h,
  • Almoçar por volta das 12h,
  • Treinar por volta das 16h,
  • Jantar por volta das 20h.

Desta forma, nosso pré-treino é o almoço. E o pós-treino é o jantar.

Esses números são apenas exemplos — não se repetem com perfeita exatidão todos os dias.

E nenhum dos dois cenários que apresentamos acima é necessariamente melhor do que o outro. 

Nós seguimos a primeira maneira porque era o que se encaixava em nossa rotina na época. 

E mudamos para a segunda maneira porque é o que se encaixa melhor com nossa rotina atual.

Esta sempre deve ser a sua prioridade: encaixar o treino e as refeições na sua rotina e na sua vida.

Você não precisa fazer malabarismos com a agenda, nem viver carregando potes e mais potes de marmitas.

Porque é um erro comum tentar seguir algum tipo de protocolo maluco. 

Descobrir o “stack” de suplementos ideal. 

Ou buscar o “treino perfeito”.

Pois nada disso vai fazer uma grande diferença nos seus resultados se você não mantiver como um estilo de vida.

Em vez disso, você precisa de 

  • boas escolhas alimentares, 
  • um treino eficaz, e 
  • consistência para seguir o plano.

Isso é o que trará os melhores resultados no curto, no médio, e no longo prazo.

Muito mais do que qualquer suplemento de pré ou pós-treino.

Resumindo: O mais importante é encontrar uma rotina de alimentação e treino que funcione para você.

Nós passamos os últimos 7 anos estudando, testando e aprimorando diversas rotinas, o que culminou no Projeto Tanquinho De Hipertrofia.

Se quer ganhar massa muscular, definir o corpo, e conquistar seu Tanquinho, recomendo que leia o que estão falando sobre o programa nesta página aqui.

Pré-Treino E Pós-Treino Na Low-Carb E Cetogênica: Conclusão E Palavras Finais

Neste texto, abordamos tudo o que você precisa saber sobre pré e pós-treino na dieta low-carb.

Nós demos diversas opções de alimentos para refeições ou lanches a serem ingeridas antes ou após os treinos.

E até mesmo falamos sobre treinar em jejum e ficar sem comer após o treino.

Estes são temas que, por vezes, suscitam muita polêmica.

Mas que, ao nosso ver, não precisaria ser assim.

O fato é que muito do que foi dito (e cegamente repetido) por aí sobre alimentação e treino nos últimos anos está sendo provado como errado.

Sabe, muito do que te falaram sobre emagrecimento estava absolutamente errado (como “comer a cada 3 horas, e basear sua dieta em grãos integrais”).

E, infelizmente, muito do que te contaram sobre hipertrofia também está.

Se você gostou do que aprendeu até aqui, e gostaria de ter acesso ao nosso exato método para ganhar massa muscular, definir o corpo, e obter seu tanquinho com uma dieta low-carb ou cetogênica…

Então te convido a conhecer o Projeto Tanquinho de Hipertrofia.

Neste treinamento, você terá acesso à estratégia passo a passo que nós mesmos utilizamos para ganhar múltiplos quilos de massa muscular com uma dieta baixa em carboidratos.

E vai receber os nossos melhores aprendizados dos últimos 7 anos. 

Isto é: tudo o que pesquisamos, testamos, e aprimoramos para desbloquear a ciência dos ganhos limpos na low-carb.

Você pode ver alguns depoimentos e alguns dos resultados dos nossos alunos nesta página aqui.

A verdade é que, para a maior parte das pessoas (especialmente aquelas que já foram gordinhas), não é difícil “ganhar peso”.

Difícil é ganhar massa muscular, de qualidade, enquanto se minimiza o ganho de gordura.

Com o Projeto Tanquinho de Hipertrofia, você vai descobrir como construir massa muscular de maneira lenta e consistente, porém imparável.

Sem que você tenha que fingir que é um atleta profissional, daqueles que têm que 

  • pesar comida, 
  • comer a cada poucas horas, 
  • ficar obcecado com pré e pós-treino,
  • se encher de suplementos, e
  • passar horas por dia na academia.

Você vai aprender o passo a passo para ganhar massa muscular com uma rotina simples de seguir, que se adequa ao seu estilo de vida.

>>> Saiba mais sobre este projeto nesta página aqui.

Nos vemos no Treinamento!

Forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.

Referências

Para tornar a leitura mais fluida, agrupamos nesta seção algumas das referências consultadas para a elaboração deste artigo.

Note que você pode ter acesso a um livro físico que reúne em linguagem simples (e com mais de 300 referências bibliográficas) tudo o que a ciência reúne de melhor sobre alimentação e saúde: conheça o livro Saúde Sem Mitos.

  1. Zauner, C., Schneeweiss, B., Kranz, A., Madl, C., Ratheiser, K., Kramer, L., Roth, E., Schneider, B., & Lenz, K. (2000). Resting energy expenditure in short-term starvation is increased as a result of an increase in serum norepinephrine. The American journal of clinical nutrition, 71(6), 1511–1515. https://doi.org/10.1093/ajcn/71.6.1511 
  2. Tipton, K. D., Borsheim, E., Wolf, S. E., Sanford, A. P., & Wolfe, R. R. (2003). Acute response of net muscle protein balance reflects 24-h balance after exercise and amino acid ingestion. American journal of physiology. Endocrinology and metabolism, 284(1), E76–E89. https://doi.org/10.1152/ajpendo.00234.2002 
  3. Hoffman, J. R., Ratamess, N. A., Tranchina, C. P., Rashti, S. L., Kang, J., & Faigenbaum, A. D. (2009). Effect of protein-supplement timing on strength, power, and body-composition changes in resistance-trained men. International journal of sport nutrition and exercise metabolism, 19(2), 172–185. https://doi.org/10.1123/ijsnem.19.2.172 
  4. Erskine, R. M., Fletcher, G., Hanson, B., & Folland, J. P. (2012). Whey protein does not enhance the adaptations to elbow flexor resistance training. Medicine and science in sports and exercise, 44(9), 1791–1800. https://doi.org/10.1249/MSS.0b013e318256c48d 
  5. Schoenfeld, B. J., Aragon, A., Wilborn, C., Urbina, S. L., Hayward, S. E., & Krieger, J. (2017). Pre- versus post-exercise protein intake has similar effects on muscular adaptations. PeerJ, 5, e2825. https://doi.org/10.7717/peerj.2825 

O nosso treinamento Projeto Tanquinho De Hipertrofia reúne as melhores estratégias para ganho de massa muscular e definição apoiadas em ciência.Conheça o Treinamento e veja o que estão falando dele nesta página aqui.

Receba atualizações dos comentários
Notifique-me de
guest
6 Comentários
mais votados
mais novos mais antigos
Inline Feedbacks
View all comments
Yasmim Oliveira
Yasmim Oliveira
9 de janeiro de 2020 17:32

Excelente texto

Itamar
Itamar
17 de outubro de 2019 05:53

Melhor pós treino da minha vida foi comer 6 ovos (cozidos, fritos com pouco oleo, omelete, pochê, não importa a forma de preparo)

Eduardo Aragão
Eduardo Aragão
9 de setembro de 2019 19:41

Que bom. No final da matéria vi que vcs fazem oq a minha nutricionista recomendou. Eu estava com 108 kg e agora tô com 80. Já tô no peso que quero e quero ganhar massa agora. Ela me recomendou comer 80 gramas de batata ou inhame e 3 ovos cozidos depois do treino, só nosdias de treino, achei estranho mas como vi que vcs tmbm fazem assim perdi a insegurança. Obrigado.

Guilherme e Roney
Guilherme e Roney
9 de setembro de 2019 19:58

Opa Eduardo, tudo bom?

Que maravilha, acreditamos que você só tem a ganhar com isso.

Boa sorte! E seguimos a disposição para o que precisar.

Forte abraço =)